Fonte: OpenWeather

    inovação


    Projeto transforma fezes humanas em gás renovável de cozinha

    O sistema também consegue economizar cerca de 40 mil litros de água desperdiçados em vasos sanitários comuns

    Experiência foi bem sucedida em comunidade carente da Guatemala
    Experiência foi bem sucedida em comunidade carente da Guatemala | Foto: Divulgação/HomeBiogas

    Jalpatagua - Uma comunidade carente da cidade de Jalpatagua, na Guatemala, costumava queimar madeira para cozinhar os alimentos e fazer as necessidades fisiológicas em uma pequena área de mata até recentemente. Um projeto científico conseguiu, a partir de resíduos orgânicos, esterco animal e fezes humanas, fazer gás natural para cozinha e revolucionou a qualidade de vida dessa comunidade.

    Isso durou até a instalação de 12 sistemas HomeBiogas. O projeto, realizado a partir da cooperação entre órgãos dos governos guatemalteco e israelense, é uma solução para melhorar as condições de vida, saneamento básico e saúde e reduzir a degradação ambiental.

    Com o aumento da população e consequente produção cada vez maior de lixo e esgotamento dos recursos naturais não renováveis, como a água e o petróleo, alternativas como essas são necessárias e primordiais.

    Foram instalados dois vasos sanitários, banheiro integrado que se conecta diretamente aos sistemas, sem necessidade de manuseio, reutilizando as fezes humanas, assim como os resíduos orgânicos em geral, na produção de gás para fins de cocção.

    Foram instalados dois vasos sanitários, banheiro integrado que se conecta diretamente aos sistemas
    Foram instalados dois vasos sanitários, banheiro integrado que se conecta diretamente aos sistemas | Foto: Divulgação/HomeBiogas

    Similar ao utilizado em barcos, ele é equipado com uma válvula para bombear água e consome 1,2 litro de água por descarga, ao invés dos 9 litros utilizados em um banheiro tradicional – o que corresponde ao desperdício de 40 mil litros de água por ano, em uma família de cinco pessoas.

    “É alarmante que as pessoas fizessem as necessidades no chão, já que contamina o solo e a água dos lençóis freáticos, desencadeando diversas doenças”, aponta Leandro Toledano, representante da iniciativa no Brasil. “O vaso sanitário é um sistema de simples funcionamento e que muda radicalmente a vida da comunidade”, completa.

    A substituição dos fornos a lenha por fogões a gás oriundos de resíduos de material orgânico também teve um grande impacto. “As famílias ganharam tempo, pois passavam até seis horas por semana coletando madeira para cozinhar, e principalmente tinham a saúde prejudicada por causa da inalação da fumaça altamente tóxica produzida”, esclarece Toledano.

    Com o biofertilizante líquido e natural, os moradores conseguiram, ainda, economizar deixando de comprar agrotóxicos frequentemente usados e ter uma alimentação mais saudável.

    O vaso consome 1,2 litro de água para bombear a descarga
    O vaso consome 1,2 litro de água para bombear a descarga | Foto: Divulgação/HomeBiogas

    Impacto ambiental

    Os efeitos são sem precedentes em diversas áreas. A longo prazo, o desmatamento e problemas de saúde devem cair na região, assim como o acúmulo de lixo e o gás metano proveniente, que será aproveitado nos aparelhos – cada sistema reduz as emissões de carbono em seis toneladas por ano.

    “A reação dos moradores foi instantânea, eles ficaram muito entusiasmados e esperançosos com as novidades. São pessoas que viviam uma situação precária, sem o suprimento das necessidades básicas e, com este projeto, tiveram suas vidas transformadas”, conta Toledano, feliz em ter participado. 

    A HomeBiogas já está presente em mais de 90 países, inclusive no Brasil, onde aterrissou em 2018. Engajada em causas socioambientais, a empresa apoia projetos governamentais e ONGs, além de oferecer equipamentos ao consumidor final.

    Com informações da assessoria*

    Leia mais

    Brasil avança, mas tem desafio para cumprir meta de emissão de carbono

    Entrega de documento para redução do ITR é prorrogada pelo Ibama

    Mais de uma tonelada ilegal de pirarucu é apreendida em Manaus

    Comentários