Fonte: OpenWeather

    Entrevista Especial


    Antônio Nelson fala sobre os desafios ambientais em Manaus

    Em entrevista o Secretário Municipal do Meio Ambiente trata de assuntos como lixões clandestinos, queimadas, áreas de invasão e cuidado com os igarapés em Manaus

    Secretário Antônio Nelson Júnior fala sobre as principais ações da prefeitura para o cuidado com o meio ambiente
    Secretário Antônio Nelson Júnior fala sobre as principais ações da prefeitura para o cuidado com o meio ambiente | Foto: Leonardo Mota

     

    Manaus - Em comemoração à Semana do Meio Ambiente que acontecerá na primeira semana de Junho, o  Secretário Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Antônio Nelson Júnior concedeu entrevista especial ao EM TEMPO, sobre os principais temas que interferem nas questões relativas ao meio ambiente em Manaus, a metrópole da Amazônia. 

    As invasões são responsáveis por parte do desmatamento na cidade
    As invasões são responsáveis por parte do desmatamento na cidade | Foto: Thiago Monteiro

     

    EM TEMPO: As áreas invadidas são as que mais provocam danos ambientais. Como a secretaria tem trabalhado a respeito desse assunto? 

    Antônio Nelson Jr:  Nós temos hoje em Manaus muito focos de invasão. É uma cidade encravada no meio de uma floresta viva, entrecortada por igarapés. Naturalmente as pessoas quando vão procurar uma habitação, procuram próximo da água. Somos uma cidade estado, capital do Norte do país. Em virtude disso, estamos recebendo há muitos anos invasores e imigrantes, tanto do interior quanto dos outros estados e países. Quem sofre diretamente é o meio ambiente. Nesse momento está em andamento pelo menos cinco novos focos de invasão de grande porte, 4 deles em monitoramento na zona norte e próximo à Reserva Ducke. Hoje estão estabilizadas, mas já há crime ambiental, o que nos preocupa, principalmente em relação a fauna e flora. Há crime organizado que trabalham direto nessas invasões. É uma luta das forças locais para o combater esse crime contra o meio ambiente.

    EM TEMPO: Em outubro do ano passado, foi registrado na cidade os quatro dias mais quentes do ano na cidade, segundo o Inmet. Quais os projetos da prefeitura para amenizar essa situação sobre o aquecimento ou ilhas de calor?

    Antônio Nelson Jr: A gente costuma falar de projetos que a prefeitura tem de curto, médio e longo prazo. Dois projetos a médio e longo prazo é a educação ambiental que é a semente que estamos plantando para o futuro das nossas crianças. E outro programa que temos de médio a longo prazo é o Arboriza Manaus, criado entre 2015 e 2016 e já plantou quase 40 mil árvores. Começamos em 2013 quando descobrimos que Manaus é uma das cidades menos arborizadas. Todo ano agora estabelecemos metas de plantio de mudas arbóreas, mudas florestais. As  árvores já são plantadas num porte mais alto, com cuidados para que não morram e assim tornar alto o índice de arborização para  trazer conforto térmico, andar na calçada sem sentir calor intenso, além de melhorar a qualidade do ar na cidade.

    O projeto de arborização ajudam a diminuir o calor na cidade
    O projeto de arborização ajudam a diminuir o calor na cidade | Foto: Ipês Djalma Batista-Alex Pazuello Semcom e Arlesson Sicsú Semmas

    EM TEMPO: Os estudos constataram as áreas mais críticas em relação a arborização?

    Antônio Nelson Jr:  Em toda a cidade vimos que há necessidade, principalmente nas zonas Norte e Leste. O conforto térmico é um direito que queremos levar a todos, a ideia de arborizar a cidade. A gente tem uma equipe que estuda a característica da árvore para cada área, por exemplo, se entendemos que há animais naquele lugar que comem determinada raiz ou planta, vamos estudar e colocar naquela região a árvore adequada ao bioma. As árvores frutíferas nós entregamos diretamente para as pessoas com o programa Pedágio Ambiental, elas levam essas mudas e plantam nos quintais. Nos corredores especificamente estamos trabalhando com os Ipês coloridos, quando florescem, nos períodos de setembro e outubro, deixam a cidade mais colorida e quem gosta são os moradores da cidade, hoje são mais de 6 mil árvores plantadas. Depois do programa nosso trabalho é manter e deixar mais bonito, mudamos o programa para uma segunda etapa que é o Ornamenta Manaus, que começamos a fazer paisagismo em jardins com cores que não usávamos na cidade, unimos o ambiental com o estético.”


    As queimadas na cidade aumentam a temperatura e podem causar doenças
    As queimadas na cidade aumentam a temperatura e podem causar doenças | Foto: Márcio Melo

    EM TEMPO: Percebe-se principalmente no verão muitos focos de queimada na área urbana. Como atacar o problema numa cidade com 2 milhões de habitantes e muitos pontos florestais? 

    Antônio Nelson Jr:  A maior concentração de queimadas é sim no verão intenso. Antecipamos com projetos para educação ambiental que também entra nesse assunto. Sempre trabalhando com metas de diminuir as queimadas e conseguimos diminuir todos os anos, com base nas denúncias. Combatemos também com equipes de rua recebendo as informações e rodando na cidade buscando os focos de incêndio. A conscientização das pessoas tem aumentado sobre esse assunto. A Semas até o mês de maio recebeu apenas uma denúncia de queimada. 

    Os lixões clandestinos fazem parte de um dos problemas da cidade
    Os lixões clandestinos fazem parte de um dos problemas da cidade | Foto: Emerson Quaresma

     

    EM TEMPO: Percebe-se em muitos bairros a questão das lixeiras viciadas. Como a Secretaria tem trabalhado sobre esse problema na cidade?

    Antônio Nelson Jr: Identificamos que existiam muitas lixeiras viciadas na cidade, muitas áreas verdes com devastação. Lançamos então o projeto Parque da Juventude que é a revitalização de uma área verde.  Pegamos uma empresa que tenha medidas compensatórias com a prefeitura  e ela revitaliza esses locais para que as pessoas  utilizem esse espaço. Nós tínhamos a meta de fazer um por ano, mas em 2019 temos planejado cinco parques da juventude. Nosso objetivo é chegar em todos os bairros da cidade. Juntamente com a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana-Semulsp, há os fiscais que monitoram as lixeiras viciadas.


    Os lixos na rua deixam a cidade de Manaus como uma das capitais mais sujas do país
    Os lixos na rua deixam a cidade de Manaus como uma das capitais mais sujas do país | Foto: Janailton Falcão

    EM TEMPO: Manaus foi considerada pelos turistas com uma das cidades com mais lixos nas ruas. A cidade produz pelo menos 70 mil toneladas de lixo por mês, segundo a Semulsp. Como contornar isso? 

    Antônio Nelson Jr: Lembro que fizemos na prefeitura uma ação de revitalização dos abrigos de ônibus na cidade, e nelas existiam as lixeiras. O que acontecia era que no dia seguinte a lixeira era furtada. Tentamos criar ferramentas de modo que não fossem retiradas, mas não deu certo. A prefeitura através da Semulsp compra um determinado número de lixeiras com frequência, mas há furtos. A gente tem boa vontade de fazer, mas existem minorias que insistem em furtar e depredar as lixeiras. A gente recebe até denúncia de roubo de mudas, sendo que a gente entrega de forma gratuita aqui na secretaria.


    Todos os anos toneladas de lixo são retirados dos igarapés
    Todos os anos toneladas de lixo são retirados dos igarapés | Foto: Janailton Falcão

    EM TEMPO: A prefeitura lançou a campanha fornecendo o número para descarte de lixo que geralmente vai parar nos igarapés. Como funciona? Desde a criação, como tem sido a participação da população?

    Antônio Nelson Jr: Eu vejo que a comunidade está tendo mais consciência. Hoje a prefeitura faz esse trabalho de agendamento em ir na casa da pessoa e fazer a retirada para não ir para os igarapés . Não há outra cidade no país que faça isso. O custo de ir buscar na casa das pessoas o que vai ser descartado, é bem menor que fazer a mesma retirada nos igarapés, principalmente pela dificuldade de acesso a essas áreas. Estamos também em parceria com legalização da política reversa com as fábricas de coletar os resíduos gerados por eles mesmos. É um projeto novo que estamos trabalhando. Estamos nos preparando para a semana do meio ambiente e participaremos com palestras voltadas para o assunto. Recebemos alunos acadêmicos, convidamos a população e temos a intenção de aumentar o número de palestras dos nossos programas. 

    A campanha no início do ano já retirou milhares de publicidade irregular
    A campanha no início do ano já retirou milhares de publicidade irregular | Foto: Janailton Falcão

     

    EM TEMPO: No início de 2019, a prefeitura fez a retirada de propagandas que contribuem para a poluição visual das principais avenidas da cidade. O programa continua? 

    Antônio Nelson Jr: O programa Manaus Mais limpa faz esse trabalho da retirada de publicidade irregular, principalmente das árvores na nossa cidade. A ideia é ajudar o Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano-Implurb, pois muitos casos viram processos criminais. Nossas medidas no começo do ano foram para mostrar que não ficarão impunes quem insiste em praticar esses crimes contra o meio ambiente. É importante ressaltar que podem ser denunciadas pela população ao Disque Ordem com o número 161 ou no telefone 3625-5340, no horário das 8h às 15h. Estamos atento para manter a cidade limpa de engenhos.

    Programações na Semana do Meio Ambiente

    A Secretaria na semana do meio ambiente realizará plantio de mudas e palestras educativas. Confira a programação completa:

    Confira a programação da secretaria.
    Confira a programação da secretaria. | Foto: Ascom Semmas

    Vídeo: O Secretário  Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) Antônio Nelson Júnior, convida à população a participar da programação da Semana do Meio Ambiente, na cidade de Manaus: 

    Com palestras educativas e lançamentos, o Secretário de Meio Ambiente de Manaus convida a população para participar da programação na Semana do Meio Ambiente | Autor: Bruna Oliveira
     

    Leia mais:

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Bar no Eldorado é multado em R$ 25 mil por poluição sonora em Manaus

    Água distribuída em Parintins é imprópria para consumo

    Acadêmicos promovem conferência sobre políticas públicas em Manaus

    Comentários