Fonte: OpenWeather

    Arborização


    Vídeo: cercada de floresta, Manaus é uma das cidades menos arborizadas

    A capital amazonense possui apenas 22% da sua área urbana arborizada. Pesquisadores apontam o adensamento da cidade como principal motivo da diminuição da área verde

    Segundo um relatório da fundação britânica City Mayors, Manaus é a segunda capital do País que mais crescerá até o ano de 2020
    Segundo um relatório da fundação britânica City Mayors, Manaus é a segunda capital do País que mais crescerá até o ano de 2020 | Foto: Lucas Silva

    Manaus – Embora esteja localizada no coração da Amazônia, Manaus é uma das capitais menos arborizadas do país, ocupando o antepenúltimo lugar. Mesmo com ações de plantio de mudas por parte da Prefeitura, a paisagem urbana ainda está longe ser equilibrada para que o número de árvores seja proporcional ao de habitantes.  Dentre os principais fatores que contribuem para esse contraste, está o desmatamento, resultado de invasões em terras públicas concentradas, principalmente, nas zonas norte e leste da capital amazonense.

    Segundo um relatório da fundação britânica City Mayors, Manaus é a segunda capital do País que mais crescerá até o ano de 2020. A pesquisa foi elaborada pela instituição especialista em estudos dedicados a temas urbanos com mais de 300 cidades do mundo. A capital amazonense apresenta uma taxa de crescimento populacional de 2,83%.

    O doutor em geografia urbana e professor do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Marcos Castro, explica que o adensamento urbano é a principal causa da diminuição da arborização na cidade. 

    "

    “Conforme a cidade vai crescendo, principalmente para as zonas norte e leste, com exceção da região do Puraquequara, as pessoas vão desmatando para ocuparem as áreas irregulares. Geralmente, elas não têm a preocupação com as árvores, nestes casos, a parte verde, para elas, é um problema”. "

    Marcos Castro, Doutor em geografia urbana e professor do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Amazonas

    Distribuição de mudas 

    Para amenizar a falta de árvores na capital, somente nos seis primeiros meses deste ano, a Prefeitura de Manaus já realizou a distribuição de 42 mil mudas de árvores para a população.

    A ação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) tem por objetivo contribuir com a arborização da cidade, incentivando a população a plantar as mudas nos quintais de casa, em  jardins e até praças nos bairros onde residem.

    Desde 2016, até agora, o programa Arboriza Manaus já plantou cerca de 33 mil mudas em canteiros centrais, praças, parques, rotatórias, áreas verdes, margem de igarapés entre outros, segundo a Prefeitura de Manaus.

    Manaus cresce, e o verde? 

    O crescimento da cidade nos últimos 15 anos é apontado como um dos principais motivos pela diminuição da área verde da cidade. A capital amazonense passou de 232,80 km quadrados, em 2000, para 243,02 Km quadrados, em 2015, de área florestal nativa. Em contrapartida a este crescimento, Manaus não acompanha o mesmo ritmo no quesito arborização.

    Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com dados de 2010, Manaus é a segunda capital brasileira menos arborizada no país. A pesquisa revelou que apenas 25,1% da cidade possuía cobertura vegetal na área urbana. 

    Os dados são reforçados pela pesquisa feita em 2013 pelo Departamento de Geografia da Ufam, onde foi constatado que apenas 22% dos 11.500 km² da área territorial urbana da cidade é arborizada. Segundo o professor responsável pela pesquisa, Marcos Castro, a área verde da cidade está concentrada em partes específicas como na Ufam e Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

    “Nós fizemos o monitoramento por satélite e verificamos a reunião da mata vegetal em áreas específicas, ela fica concentrada na Ufam e no Inpa. Agora, são poucos os resíduos espalhados pela cidade. O percentual da massa vegetal em relação à área urbana gira em torno de 22%, podendo ter regredido devido as ocupações irregulares na área da metrópole”, afirma o pesquisador da Ufam.

    Segundo o especialista, as ações do governo são insuficientes para atender o crescimento da cidade. “ O Município deveria investir mais em espécies nativas. Não temos uma política sistemática de arborização por parte do poder público. Existem atividades pontuais como em datas específicas”, frisa.

    Benefícios da arborização

    De acordo com o ambientalista Carlos Durigan, a arborização na cidade traria mais conforto para a população, além de benefícios para a saúde, já que a capital amazonense sofre com maior incidência de raios solares, devido a posição geográfica. “Os efeitos dos raios solares poderiam ser amenizados com quantidade maior de árvores, que gerariam sombreamento e conforto térmico, além de nos protegerem dos raios”, afirma o ambientalista.

    De acordo com o ambientalista Carlos Durigan, a arborização na cidade traria mais conforto para a população, além de benefícios para a saúde
    De acordo com o ambientalista Carlos Durigan, a arborização na cidade traria mais conforto para a população, além de benefícios para a saúde | Foto: Lucas Silva

    Além de benefícios para as pessoas, a arborização também ajuda a preservar dois aspectos importantes: a paisagem e a biodiversidade de espécies que vivem em área urbana. “Somos uma cidade que pode investir na arborização e melhorar o aspecto paisagístico da cidade, também podemos contribuir para conservação de espécies que só são encontradas na região, como o sauim e as araras”, afirma o ambientalista Carlos Durigam.

    Para ambientalistas e pesquisadores, estamos situados no coração da floresta amazônica e negamos nosso verde ao preencher nossas ruas e avenidas com concreto e cimento. “É uma questão paradoxal, estamos no coração da Amazônia e tentamos negar a nossa área verde. Nos últimos anos, a expansão urbana contribuiu para diminuição do espaço e o crescimento avançou sobre a floresta e degradou áreas intocadas. Não houve um processo consolidado de arborização planejada nos últimos anos”, comentou o especialista.

    Esforço em conjunto

    Além de ações do poder público para melhorar a paisagem da cidade por meio da arborização, a mudança não pode ser realizada sem um esforço em conjunto com a sociedade civil e empresariado acerca da importância da questão.

    “Eu vejo que existem esforços do poder público para arborizar a cidade, mas é necessário se intensificar campanhas de conscientização e envolver mais a sociedade e o empresariado com o assunto. É um trabalho em conjunto que deve ser uma ação coordenada para mudar até mesmo a postura de quem degrada” afirma o ambientalista, Carlos Durigan.

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:
    Assista a reportagem | Autor: Gabriela Moreno/ TV Em Tempo
     
    Leia Mais

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!

    Mais 42 mil mudas de árvores são distribuídas em Manaus

    Prefeitura oferta minicurso de paisagismo e jardinagem no Hiléia

    Comentários