Fonte: OpenWeather

    Clima


    Por que tantos temporais fora de época no Amazonas?

    Meteorologistas explicam o que está ocorrendo com o clima amazônico nesta última semana e a previsão para os próximos dias

    Nas imagens do satélite de segunda-feira (16), é possível ver as baixas temperaturas no topo das nuvens (cores quentes) | Foto: Reprodução / Climatempo

    Manaus - As chuvas que têm caído nos últimos dias em Manaus e no restante Amazonas surpreenderam a população local. Na segunda (16) e terça-feira (17), temporais atingiram a capital manauara causando desligamentos na rede elétrica e outros transtornos. No município de Manaquiri , a 156 km de Manaus, a chuva intensa e a ventania vieram acompanhadas de granizo.

    Atualmente, a região amazônica passa por seu período seco, por isso a ocorrência de tempestades pode ser estranha para muitos. Mas de acordo com o meteorologista do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), Marcio Segundo, o quadro é mais comum do que se pensa. 

    “Como estamos no período seco da nossa região, são esperados menos dias com chuva, porém tempestades podem ocorrer em alguns casos com maior intensidade, devido ao calor armazenado e o aumento da umidade relativa do ar", explica o especialista. 

    Dados do Censipam revelam que o temporal de segunda (16) foi causado por uma instabilidade que surgiu sobre a cidade. Já o de terça-feira (17) ocorreu devido ao deslocamento de uma área de instabilidade vinda do Sudeste em direção à capital, provocando ventos fortes e chuva intensa.

    “Em ambos os casos, tanto o calor como a umidade contribuíram para intensificar o sistema precipitante”, informou Márcio. O acumulado de chuva do dia 16 foi de 12,6 milímetros (mm), enquanto o dia 17 registrou 14,3 mm. Os ventos atingiram a velocidade de 48 quilômetros por hora (km/h) e as temperaturas variaram de 33 a 22 graus Celsius (ºC).

    Apesar da quantidade de chuva nesses dois dias, o nível de precipitação em setembro ainda está abaixo do padrão normal para o mês. Até o momento, foram registrados 26,8 mm de chuva, quando o esperado é de 65 a 89 mm.

    No bairro São Jorge, uma padaria teve as telhas arrancadas pelo forte vento trazido pela chuva
    No bairro São Jorge, uma padaria teve as telhas arrancadas pelo forte vento trazido pela chuva | Foto: Daniel Landazuri

    Transição

    Segundo a meteorologista do Instituto de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Marta Sá, a umidade característica da região amazônica é um dos fatores que explicam os temporais. 

    “Independente do período seco, a região amazônica possui muita umidade e está sempre mandando água para a atmosfera. Com o sol mais presente, a atmosfera e a superfície vão aquecendo. Isso forma grandes nuvens de alto desenvolvimento vertical, que são as responsáveis pelas tempestades”, explica Marta.

    Marta também explica que é comum, na época seca, muita energia se acumular na atmosfera, favorecendo a formação dessas nuvens de tempestade, provocando raios e ventos fortes. “Está dentro da normalidade. Isso pode se intensificar na transição entre a estação do período seco para o úmido, que é quando começam as chuvas e as tempestades ocorrem mais vezes”, acrescenta.

    A meteorologista informa que setembro é o fim do período seco, com início da fase de transição para a época mais úmida. De outubro a novembro, as chuvas tendem a aumentar, até alcançar dezembro - o início do inverno amazônico, caracterizado por dias chuvosos e nublados.  

    Transtornos 

    Em Manaquiri, chuva com granizo e ventos fortes arrancou telhados e derrubou árvores
    Em Manaquiri, chuva com granizo e ventos fortes arrancou telhados e derrubou árvores | Foto: Divulgação Prefeitura de Manaquiri

    Por conta da chuva forte, foram registradas diversas ocorrências em Manaus e outros municípios do Amazonas. Na capital, a chuva de terça-feira causou interrupções elétricas em vários pontos da capital. Pelo menos 75 mil pessoas foram afetadas pela falta de luz. 

    A suspensão da energia elétrica também atingiu o fornecimento de água tratada nas Zonas Norte, Oeste, Centro-Oeste, Sul e no Distrito Industrial. Quedas de árvore também foram registradas. Na avenida do Turismo, bairro da Ponta Negra, por exemplo, uma árvore caiu por causa dos fortes ventos e bloqueou temporariamente a via. 

    No São Jorge, na Zona Oeste, o telhado de uma padaria foi arrancado e atingiu fios elétricos.

    Em Manaquiri, o mau tempo veio com granizo e rajadas de ventos fortes. Várias casas foram destelhadas e pessoas foram atingidas com o desabamento de telhados. As vítimas sofreram apenas escoriações e estão sendo auxiliadas pela Prefeitura daquele município, que trabalha para reparar os danos causados pela chuva.

    Comentários