Fonte: OpenWeather

    Baixo Rio Negro


    Inpa promove Semana Nacional de C&T Ribeirinha em comunidades

    Programação do Inpa inclui oficinas, exposições, vivências, seminários, palestras, visitas a espaços e laboratórios, visitas técnicas a unidades demonstrativas, exibição de vídeos e lançamento de obras

    A Abertura da SNCT do Inpa acontecerá na segunda-feira (21) | Foto: Divulgação

    Manaus- A 16ª edição da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), que acontecerá de (21) a (27) de outubro, terá uma programação especial para os ribeirinhos do baixo Rio Negro, em Manaus. O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) desenvolverá atividades de popularização da ciência, educação ambiental e de capacitação em comunidades do Rio Negro e do Rio Cuieiras, área onde o Instituto possui uma base de pesquisa e turismo científico.

    No Inpa, pesquisadores, técnicos, estudantes de pós-graduação, colaboradores e parceiros embarcam nessa jornada divertida e de significativo aprendizado que vem marcando a vida dos estudantes. Muitos deles, antes da SNCT, sequer usaram microscópio, adentraram em um laboratório de pesquisa ou conheciam detalhes da riqueza da biodiversidade e dos recursos e serviços ambientais da Amazônia. 

    A Abertura da SNCT do Inpa acontecerá na segunda-feira (21), às 16h, com uma Mesa-Redonda que debaterá o tema da Semana, no Auditório da Ciência, localizado na rua Bem-te-vi, Petrópolis, zona Sul de Manaus. Participarão do debate Denis Benchimol Minev (Bemol), Carlos Gabriel Koury (Idesam), Saulo Zhamis Sousa Benício (ET Alimenta).

    “Trata-se de um tema da maior importância, pois implica em pensar o futuro dodesenvolvimento na Amazônia, tomando em conta os desafios na montagem das cadeias produtivas para ativação da economia na região”, disse a coordenadora de Tecnologia Social e uma das coordenadoras da SNCT no Inpa, Denise Gutierrez. “Na mesa de debates ouviremos depoimentos de empreendedores engajados e comprometidos em fazer a economia funcionar de forma social e ambientalmente responsável”, completou.

    A programação é aberta ao público e a maioria não precisa de inscrição. Uma atividade que precisa de inscrição é o curso de cerveja no dia (24) de outubro, das 14h às 18h, no Laboratório de Micologia. Inscrições e mais informações sobre a SNCT do Inpa podem ser obtidas no doity.

    Programação

    Palestras, seminários, oficinas, exposições, vivências e visitas técnicas fazem parte da programação da Semana de C&T do Inpa. Essas atividades estão reunidas nos carros-chefe tradicionais que são Inpa Portas Abertas – visita de escolas aos laboratórios (22 e 23), Palestras nas Escolas em parceria com os pós-graduandos do Instituto (21, 22 e 23), programação especial e entrada gratuita durante a semana no Bosque da Ciência - inclusive no feriado do dia 24 (Aniversário de 350 anos de Manaus), além da exibição do documentário “Novas Espécies - a expedição do século”, no sábado (26), 14h30, no Auditório da Ciência.

    Lançamento de obras

    A Editora Inpa organizou o Lançamento e Apresentação de Obras na terça-feira (22), às 10h, no Auditório da Ciência: 1.Guia de Campo de Herbáceas Aquáticas várzea Amazônica. Autores: Maria Teresa Fernandez Piedade, Aline Lopes, Layon Oreste Demarchi, Wolfgang Junk, Florian Wittmann, Jochen Shongart, Jefferson da Cruz; e 2. Cartilha: Tabela de composição de alimentos da Amazônia. Autor:  Jaime Paiva Lopes Aguiar. 3. Hidrelétricas na Amazônia: impactos ambientais e sociais na tomada de decisões sobre grandes obras (volumes 1,2, e 3). Autor: Philip Fearnside.

    Exposições

    Há ainda uma série de oficinas, exposições e capacitações da SNCT no Interior, que será realizada em Benjamin Constant e Tabatinga - Visitas Técnicas a Unidades Demonstrativas Agroflorestais e em municípios próximos a Manaus: Iranduba, Itacoatiara, Presidente Figueiredo e outros.

    De acordo com a Coordenadora de Extensão e uma das coordenadoras da SNCT do Inpa, a pesquisadora Rita Mesquita, a proposta da SNCT do Inpa deste ano é ir além da abordagem da bioeconomia, que é a economia dos recursos naturais ligados à biodiversidade, e mostrar que a diversidade dos ecossistemas amazônicos é a nossa fonte de riqueza.

    “Não queremos falar só do olhar da economia, mas abordar também sob a perspectiva da qualidade de vida incluindo a alimentação saudável e a saúde – e a qualidade ambiental, com a reintrodução de espécies ameaçadas e dos serviços ambientais oferecidos pela floresta, como o controle climático e o papel do ciclo hidrológico no regime de chuvas”, destacou Mesquita.

    *Com informações da assessoria 

    Comentários