Fonte: OpenWeather

    Carta de apoio


    Organizações indígenas e ribeirinhas apoiam o Fundo Amigos da Amazônia

    Fundo criado para captar recursos em prol de ações de conservação e desenvolvimento sustentável da Amazônia recebe apoio de 20 entidades, além da COICA, SDSN e FAS

    A assinatura da carta aconteceu durante o XXIII Encontro de Lideranças, um evento organizado pela FAS em parceria com a Sema | Foto: Vinícius Leal/FAS

    Organizações indígenas e ribeirinhas assinaram na noite desta quarta-feira (20), em Manaus, uma carta de apoio ao Fundo Amigos da Amazônia, um fundo lançado em setembro com objetivo de captar recursos financeiros em prol de ações de conservação e desenvolvimento sustentável da Amazônia, em meio ao estado de emergência que vive a região. Vinte entidades assinaram o documento, entre elas a Coordenação das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica (COICA), a Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (SDSN-Amazônia) e a Fundação Amazonas Sustentável (FAS).

    A assinatura da carta aconteceu durante o XXIII Encontro de Lideranças, um evento organizado pela FAS em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) que reúne em Manaus, durante uma semana, mais de 60 lideranças indígenas e ribeirinhas de todas as regiões do Estado para uma extensa programação de debates, palestras, mesas redondas e capacitações.

    “Esse é um momento histórico e simbólico por estarmos criando uma ação concreta. O Encontro de Lideranças é uma oportunidade única para a assinatura da carta e adesão das associações indígenas e ribeirinhas ao Fundo Amigos da Amazônia. Esse fundo é um mecanismo inovador para captar recursos privados voltados para a redução do desmatamento e a melhoria da qualidade de vida das populações tradicionais e indígenas da Amazônia e hoje tivemos o apoio de diferentes instituições que representam esses povos”, ressaltou Virgílio Viana, coordenador da SDSN-Amazônia e superintendente-geral da FAS.

    O Fundo Amigos da Amazônia, lançado em setembro de 2019, foi criado com objetivo de captar recursos financeiros em prol de ações de conservação da Amazônia
    O Fundo Amigos da Amazônia, lançado em setembro de 2019, foi criado com objetivo de captar recursos financeiros em prol de ações de conservação da Amazônia | Foto: Vinícius Leal/FAS

    Tuntiak Katan, indígena equatoriano e presidente da COICA, uma organização que coordena outras nove organizações indígenas da bacia amazônica, incluindo a brasileira Coiab, e que já havia assinado o Fundo Amigos da Amazônia, reforçou a importância da união dos povos para conservar o meio ambiente e desenvolver a região. “Quando existe aliança dos povos da floresta podemos buscar múltiplas alternativas tanto como estratégia para a defesa dos territórios e comunidades como oportunidade de cooperação em todos os aspectos, técnico, humano, institucional e financeiro. Se trabalharmos juntos, conseguiremos solucionar vários problemas”.

    Amigos da Amazônia

    O Fundo Amigos da Amazônia, lançado em setembro de 2019, foi criado com objetivo de captar recursos financeiros em prol de ações de conservação da Amazônia, como combate ao desmatamento e incêndios florestais, de desenvolvimento sustentável e de melhoria de qualidade de vida de povos indígenas e populações ribeirinhas, em meio ao estado de emergência e risco de colapso ecológico da região, e com foco em atingir os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2030. Mais informações em amigosdaamazonia.fund.

    Sobre a COICA

    A Coordenação das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica (COICA) é uma organização fundada em 1984 em Lima, Peru, que coordena nove organizações indígenas amazônicas a seguir: AIDESEP, APA, CIDOB, CONFENIAE, ORPIA, FOAG, Organização das Cidades Indígenas da Amazônia Colombiana e a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB).

    SDSN-Amazônia

    A SDSN é uma Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável (Sustainable Development Solutions Network, em inglês) existe desde 2012 com o objetivo de engajar a academia, sociedade civil e o setor privado a promoverem soluções práticas aos desafios do desenvolvimento sustentável do planeta, implementando uma agenda relacionada aos ODS e ao Acordo de Paris, em escala local, nacional e global. A SDSN-Amazônia é a regional da SDSN na região amazônica e que mobiliza os países da bacia amazônica como Brasil, Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Guiana Francesa, Peru, Suriname e Venezuela.

    Sobre a FAS

    A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) é uma organização brasileira sem fins lucrativos e sem vínculos político-partidários que tem por missão fazer a floresta valer mais em pé do que derrubada, promovendo ações de desenvolvimento sustentável e de melhoria de qualidade de vida dos povos que vivem na floresta. Por meio de programas e projetos, a FAS impacta a vida de cerca de 40 mil pessoas em 16 Unidades de Conservação do Estado, em cooperação com a Sema e apoio do Fundo Amazônia/BNDES, Samsung, Bradesco e Coca-Cola Brasil.

    Entidades

    - União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja)

    - Federação Indígena do Povo Kukami-Kukamiria “Kokama” (TWRK)

    - Rede de Mulheres Indígenas do Amazonas – MAKIRA-ËTA

    - Fórum de Educação Escolar e Saúde Indígena do Amazonas (Foreeia)

    - Conselho Nacional de Seringueiros (CNS)

    - Associação de Moradores e Usuários da RDS Mamirauá Antônio Martins (Amurmam)

    - Central de Associações dos Moradores e Usuários da RDS Amanã (Camura)

    - Associação Agroextrativista do Catuá-Ipixuna (AACI)

    - Associação dos Extrativistas da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Cujubim (AERDSC)

    - Associação dos Moradores e Usuários da RDS de Canumã (Amurdesc)

    - Associação Agroextrativista das Comunidades da RDS do Uatumã (AACRDSU)

    - Associação dos Moradores e Entorno da RDS Piagaçu-Purus (Amepp)

    - Associação de Moradores da RDS do Juma (Amarjuma)

    - Associação dos Produtores do Rio Madeira (Apramad)

    - Central das Associações Agroextrativistas de Democracia (CAAD)

    - Associação das Comunidades Sustentáveis da RDS do Rio Negro (ACSRN)

    - Associação de Povos e Comunidades Tradicionais da RDS Puranga Conquista (APCT)

    - Associação de Agroextrativistas da Floresta Estadual de Maués (Aspafemp)

    - Associação de Moradores Agroextrativistas do Rio Gregório (Amarge)

    *Com informações da assessoria.

    Comentários