Fonte: OpenWeather

    Igarapé do Mindu


    Ações de requalificação podem salvar igarapé do Mindu

    O principal igarapé de Manaus atualmente está tomado pela poluição, mas apesar da situação, as nascentes do representam esperança para revitalização das águas.

    O Mindu, principal igarapé Manaus atualmente está tomado pela poluição
    O Mindu, principal igarapé Manaus atualmente está tomado pela poluição | Foto: Reprodução

    Manaus - O Mindu, principal igarapé Manaus atualmente está tomado pela poluição. Mas apesar da situação, as nascentes do igarapé representam esperança para revitalização das águas. Para isso acontecer, é necessário uma série de práticas de requalificação socioambiental. 

    O igarapé fica localizado a 200 metros da entrada do Parque do Mindu, Zona Centro-Sul.  No local, a cor escura, quantidade de lixo e o odor tomam conta. Mas não foi sempre assim. Na década de 40 o espaço era sinônimo de lazer, pois diversas família se banhavam nas águas.

    Apesar da poluição, ainda há esperança de recuperação do igarapé. Protegido por mata nativa em área de conservação ambiental, no bairro Cidade de Deus, o Parque Nascentes do Mindu é a única parte do igarapé que está livre da poluição. Com 23 quilômetros de extensão e três nascentes, o trecho de águas não poluída aumenta a esperança de que sonha em ver o igarapé do Mindu recuperado.

    Parque Nascentes do Mindu é a única parte do igarapé que está livre da poluição
    Parque Nascentes do Mindu é a única parte do igarapé que está livre da poluição | Foto: Arquivo Em Tempo

    Pesquisadores explicam que a revitalização do igarapé é possível, mas é necessário a união do poder público com as pessoas. Enquanto isso, trabalhos de conscientização devem ser desenvolvidos.

    Leia mais sobre na matéria do Portal Em Tempo:

     https://d.emtempo.com.br/amazonas/98431/mindu-morte-e-vida-do-maior-igarape-de-manaus

    Confira a reportagem da TV Em Tempo:

    Assista à reportagem | Autor: Débora Martins/ TV EM TEMPO
     

    Texto WEB: Marhia Edhuarda Bessa

    Comentários