Fonte: OpenWeather

    Oportunidade


    Desmatamento e extinções aumentam o risco de novas pandemias

    A University College London analisou mais de 6,8 mil comunidades ecológicas

    A atual pandemia também mostrou a importância da biodiversidade na transmissão de patógenos | Foto: Divulgação

    Um novo estudo mostra a relação direta entre as duas seguintes situações: conforme o habitat natural das espécies é degradado, apenas espécies mais fáceis de se adaptar sobrevivem. E elas incluem ratos e morcegos, que podem carregar patógenos capazes de provocar uma nova pandemia.

    A University College London analisou mais de 6,8 mil comunidades ecológicas, nos seis continentes, para conectar o surto de doenças com a perda da biodiversidade. Os resultados foram publicado na revista Nature. “Estamos alertando isso há décadas”, explica Kate Jones, modeladora ecológica e principal autora do estudo. Segundo ela, com a pandemia da Covid-19, agora seus esforços estão sob holofotes, a fim de mapear riscos e projetar onde doenças podem surgir. A atual pandemia também mostrou a importância da biodiversidade na transmissão de patógenos.

    Outro estudo, publicado em abril por pesquisadores da Universidade de Stanford, nos EUA, mostrou que o desmatamento em Uganda aumentou o contato entre humanos e primatas. Enquanto as pessoas se enfiavam nas florestas em busca de madeira, os animais passaram a frequentar as plantações em busca de alimento.

    *Com informações do MEGA CURIOSO

    Leia mais

    Queimadas no AM cresce 51,7% no 1º semestre de 2020

    Amazonas tem redução de 12% em alertas de desmatamento em junho

    Comentários