Fonte: OpenWeather

    Cobras venenosas


    Surucucu: a cobra venenosa mais temida da Amazônia

    Podendo atingir até 2,5 metros, a surucucu se mantém durante o dia escondida em buracos, raízes de árvores e tocas abandonadas. Saiba mais:

     

    A majestosa Surucucu (Lachesis muta).
    A majestosa Surucucu (Lachesis muta). | Foto: Gentil Filho

    A cobra, conhecida como surucucu pico-de-jaca, subespécie comum na América do sul, da mesma família de jararacas e cascavéis, é a cobra venenosa mais temida da Amazônia, lembrando que ela também pode ser encontrada na Mata Atlântica. Característica comum desse tipo de cobra é a presença de uma fosseta loreal, ou seja, um orifício localizado entre o olho e a narina. É por meio dele que as serpentes conseguem sentir o calor das presas, antes de atacá-las.

    Características da Surucucu

    Sua coloração varia de marrom-avermelhado, castanho e até rosado. Possuem protuberâncias nas escamas que lembra a casca de uma jaca (daí seu nome popular). São ovíparas colocando de 5 à 19 ovos e os filhotes eclodem medindo de 30 à 50cm. Essa serpente atinge a maturidade sexual por volta dos 4 anos. Um fato interessante dessa serpente é que a fêmea se enrola junto aos ovos, o que podemos dizer que é uma forma de cuidado parental.

    Leia também: Anaconda: a maior cobra do mundo mora na Amazônia

    Podendo atingir até 2,5 metros, a surucucu se mantém durante o dia escondida em buracos, raízes de árvores e tocas abandonadas. Quando sai à noite para a caça, percorre a mata em busca de vítimas, em geral, pequenos mamíferos e roedores em que injeta o seu veneno, antes de devorá-los.

    A surucucu é considerada a maior serpente venenosa da América do Sul, e também uma das mais letais que existem no Brasil. Embora somente 2% dos acidentes com cobras envolvam essa espécie, metade das pessoas picadas acaba morrendo

    Na presa o efeito é quase que imediato: perda da pressão arterial e consequente perda da sensibilidade. Em geral, suas vítimas ficam em estados graves por conta da quantidade de toxina liberada. 

    Tratamento para picada da surucucu:

    O único tratamento disponível atualmente para o tratamento da picada da surucucu é a administração intravenosa do soro antilaquético ou anti botrópico-laquético no 

    O que fazer ao ser picado por cobra:

    O mais importante depois de uma picada de cobra é manter o membro que foi picado o mais parado possível, porque quanto mais se movimentar mais o veneno poderá se espalhar pelo corpo e chegar em vários órgãos vitais. Isso se aplica também a qualquer atividade que possa acelerar o batimento cardíaco, já que o aumento da circulação do sangue também espalha o veneno. Assim, o ideal é que a vítima não caminhe e seja transportada por maca até ao hospital. Outra opção é ligar para a ajuda médica, através do 192.

    Providências urgentes

    . Lavar o local com água e sabão, para limpar a ferida e impedir a entrada de mais veneno ou micro-organismos;

    . Amarrar um pedaço de tecido alguns centímetros acima do local da picada de cobra. No entanto, não se deve amarrar muito apertado porque pode causar maiores complicações, e se já passou mais de meia hora da picada da cobra, não se deve amarrar.

    . A maior parte das cobras no Brasil não têm veneno e, por isso, a picada não é perigosa para a saúde, no entanto, em qualquer caso é sempre importante ir no hospital para informar as características da cobra e confirmar e identificar se realmente era venenosa ou não. Caso tenha sido um picada por cobra venenosa, geralmente é administrado o antídoto para o veneno, de forma a que as lesões parem de acontecer.

    . Se não for possível transportar a cobra para o hospital, é aconselhado tomar nota das principais características, como cor, padrão, formato da cabeça e tamanho, ou tirar uma foto.

    Leia mais

    Cobra gigante devora mulher de 54 anos

    Família encontra cobra de dois metros em forro da casa, no AM

    Vídeo: homem compra alface e ganha cobra venenosa de brinde

    Comentários