Fonte: OpenWeather

    Amazônia


    Pesquisador do Inpa realiza live sobre plantas medicinais da Amazônia

    Uxi amarelo, unha de gato e jatobá estão entre as plantas estudadas pelo pesquisador para o tratamento de doenças

     

    Entre as plantas com potencial fitoterápico e econômico estudadas por Revilla, estão o uxi amarelo, útil no tratamento de distúrbios menstruais
    Entre as plantas com potencial fitoterápico e econômico estudadas por Revilla, estão o uxi amarelo, útil no tratamento de distúrbios menstruais | Foto: Divulgação

    MANAUS - Pesquisador do Inpa há mais de 40 anos, Juan Revilla atua na pesquisa, ensino e utilização de plantas nativas da Amazônia no tratamento de diferentes doenças. “Temos que valorizar a floresta amazônica no sentido de entender que as plantas da região têm utilidade, faltando descobri-las, utilizá-las e transformá-las em produtos”, comenta o doutor em Botânica do Inpa, que participará de live no dia 30 de julho, às 9h, com transmissão pelo canal do Inpa no Youtube/Inpa.

    Entre as plantas com potencial fitoterápico e econômico estudadas por Revilla, estão o uxi amarelo, útil no tratamento de distúrbios menstruais, inflamações do útero, miomas e hemorragias, e a unha de gato, que possui propriedades anti-inflamatórias eficazes no tratamento de tumores e candidíase, além de ser antiviral. O biólogo também pesquisa a aplicação da casca do jatobá no combate à gripe, cistite, bronquite e infecções da bexiga.

    Jardim botânico

    No período da pandemia, Revilla se dedicou mais ao estudo de campo, na região de Manaquiri-AM, onde está localizado o Economic Botanical Garden Project, propriedade privada da família do pesquisador, que pretende torná-lo o maior jardim botânico de plantas de valor econômico da Amazônia. Atualmente, conta com mais de 1600 plantas, mas há a intenção de instalar 3 mil plantas, todas catalogadas. “Também temos unidades demonstrativas. Plantamos camu-camu, jenipapo, açaí, entre outras plantas que podem ser utilizadas no tratamento de doenças”, completou o pesquisador. 

    Até o momento, o Jardim Botânico é aberto apenas para a realização de pesquisas, porém Revilla afirma que está viabilizando os recursos para que em breve a população tenha acesso ao conhecimento das plantas ali implantadas. 

    Laboratório de medicamentos fitoterápicos

     

    Outro sonho de Revilla é o referente à proposta para a implantação de laboratório de fitoterápicos
    Outro sonho de Revilla é o referente à proposta para a implantação de laboratório de fitoterápicos | Foto: Divulgação

    Outro sonho de Revilla é o referente à proposta para a implantação de laboratório de fitoterápicos no município de Manaquiri que teria o papel de transformar plantas amazônicas em produtos fitoterápicos, como chás desidratados e medicamentos com extratos em pó, líquidos ou comprimidos.

    O uso de fitoterápicos no tratamento de doenças é uma opção terapêutica presente no sistema público de saúde, institucionalizado na Portaria Nº 971, de 3 de maio de 2006, embora ainda necessite de maior conhecimento da população. Revilla ressalta que já há comprovação científica de que certas plantas têm propriedades que auxiliam no tratamento de doenças, a exemplo da unha de gato no combate a infecções virais. Quando bem orientado e usando as plantas medicinais adequadas, uma pessoa tem alta possibilidade de recuperação de doenças crônicas.

    Capacitação de produtores rurais e profissionais de Saúde

    O trabalho de Revilla em Manaquiri oferece ainda a possibilidade de capacitar produtores rurais para o desenvolvimento de negócios sustentáveis pautados em insumos da floresta amazônica. “Estamos trabalhando com uxi amarelo, unha de gato, ipê roxo, jatobá, entre outras plantas transformadas em produtos in natura que também podem ser usadas no preparo de xaropes, cremes e pomadas. Criamos uma técnica para transformar chá em pó. Após a pandemia, teremos condições de fazer muitos cursos em Manaquiri. Será uma oportunidade de capacitar a população do município para que eles também desenvolvam trabalhos que possam gerar renda”, comentou o biólogo.

    Além dos produtores rurais, o pesquisador almeja continuar ministrando treinamentos para profissionais de saúde sobre coleta, cultivo, armazenamento, processamento, uso e aplicabilidade de plantas medicinais. Diversas dessas ações tiveram início em Manaquiri, com capacitações de agentes de saúde, mas o objetivo é que seja disseminado aos demais municípios do Estado do Amazonas e outros estados da Amazônia. Também em Barreirinha foram capacitados, além dos agentes de saúde, todo o corpo médico compreendendo médicos, técnicos e enfermeiros. Essas iniciativas tiveram forte parceria do Sebrae, porém por questões de conjuntura política e falta de recursos, essas ações foram descontinuadas.

    Live

    Juan Revilla participará da Live “Plantas úteis da bacia amazônica para fortalecimento e recuperação da saúde: Uma verdadeira Tecnologia Social ancestral”, que ocorrerá no dia 30 de julho, às 9h, com transmissão pelo canal do Inpa no Youtube/Inpa.

    O evento busca explorar as possibilidades de articulação do conhecimento científico em botânica e o conhecimento ancestral na Amazônia, centrando a atenção no emprego de ervas para fins medicinais. “A trajetória de mais de 40 anos do palestrante como pesquisador do Inpa na área de Botânica e suas práticas de campo, auxiliando comunidades excluídas da região, permite um consolidado de conhecimentos úteis à população, inclusive para enfrentamento de infecções virais, como ainda estamos vivendo com a pandemia de Covid”, destacou a Coordenadora de Tecnologia Social do Inpa, a psicóloga Denise Gutierrez, que vai atuar como mediadora.

    Os interessados em acompanhar a Live podem se inscrever aqui ou acessar diretamente a transmissão em Youtube/Inpa. Os inscritos receberão uma declaração de participação de 3 horas.

    *Com informações da assessoria

    Leia Mais

    Pesquisador usa plantas da Amazônia para tratamentos

    Comentários