Fonte: OpenWeather

    Tabatinga


    Inpa participa do Amazonlog, levando conhecimento da pesquisa científica e ambiental

    O Amazonlog é um exercício inédito do Exército Brasileiro de logística multinacional de caráter humanitário com a finalidade de atender a população atingida por acidentes ou catástrofes naturais na América do Sul

    Evento acontece de 6 a 13 de novembro, em Tabatinga. | Foto: Reprodução

    Para levar ao público o conhecimento da pesquisa científica e ambiental, e debater temas nas áreas da saúde, segurança alimentar, recursos hídricos e tecnologias sociais, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) participará do AmazonLog 2017, com dois workshops e uma exposição, de 6 a 13 de novembro, em Tabatinga (a 1.108 km de Manaus).

    O Amazonlog será o passo inicial para a criação de uma brigada humanitária. Benjamin Constant, município vizinho de Tabatinga, também receberá atividades do Amazonlog.

    Promovido pelo Inpa, o workshop “Minimizando o risco e atuando na redução dos agravos à saúde da população em desastres naturais”, ocorrerá das 8h às 17h, no auditório da Biblioteca Municipal de Benjamin Constant. O evento nos mesmos moldes será levado para Tabatinga, no dia seguinte (8), no mesmo horário, no Colégio GM 3. O instituto fecha sua participação na quinta-feira (9) com oficinas e exposição no ginásio do colégio.

    Leia também: Aproximadamente 15 mil usuários são afetados por paralisação de 40 linhas de ônibus em Manaus

    As atividades são gratuitas e abertas a professores, estudantes, comunitários, agentes públicos envolvidos na área da saúde e educação, além dos participantes do Amazonlog 2017.    

    Para o diretor do Inpa, Luiz Renato de França, o Inpa está marcado sua presença no Amazonlog, respondendo aos chamados das necessidades da Amazônia. “Esse exercício militar inédito, que são estratégias para ações humanitárias e não só para desastres naturais, também engloba ações para saúde a fim de trazer uma qualidade de vida para a população daquela região”, diz.

    “Estamos marcando nosso espaço como instituição estratégica da Amazônia com uma ação integradora,  juntamente com outras instituições”, destaca França ao comentar sobre os benefícios que Tabatinga receberá com as estruturas que o Amazonlog levará para a região.   

    Tabatinga foi escolhida para o treinamento graças às suas peculiaridades geográfica e hidrológica, além de ser uma região que representa fielmente as características amazônicas: chuvas frequentes, difícil acesso, vegetação densa, acesso limitado a sua bacia fluvial, ficando estrategicamente localizada em uma região de fronteira que enfrenta desafios como tráfico de drogas, contrabando da fauna e flora, isolamento e difícil fiscalização. 

    Workshop

    O workshop “Minimizando o risco e atuando na redução dos agravos à saúde da população em desastres naturais” debaterá temas relacionados ao Amazonlog. O objetivo é contribuir com as futuras ações de atendimento à população atingida por acidentes ou catástrofes naturais como terremoto, furacão, enchente, seca, desabamentos, incêndios, entre outros desastres na América do Sul. 

    Dentro da programação, pela parte da manhã, serão debatidos os seguintes temas: Segurança hídrica: eutrofização e potabilidade, pelos pesquisadores do Inpa Marcio Luiz da Silva e Domitila Pascoaloto; Segurança alimentar e nutricional em situações de emergência, pela pesquisadora Dionísia Nagahama; Planejamento de ocupação de um agrossistema em busca de sustentabilidade, pelo pesquisador Luis Augusto Gomes de Souza.

    À tarde, os assuntos a serem discutidos serão: Incidência de Doenças Negligenciadas no Estado do Amazonas (DTN): vulnerabilidade e Redução do Risco, pela pesquisadora Antonia Franco; Os mosquitos vetores da malária, dengue/chikungunya/zika e as principais ações de controle para estas doenças, pelos pesquisadores Wanderli Tadei e Rosemary Roque; Tecnologias Sociais no Inpa e Unidades Demonstrativas Agroflorestais, pela pesquisadora Denise Gutierrez.

    Oficinas e Exposições

    Na quinta-feira (9), no ginásio do GM3, acontecem oficinas e exposições com Plantas Alimentícias Não-Convencionais (Panc) e sua utilização, Visita técnica a uma Unidade Demonstrativa num sítio agrícola da área.

    As tecnologias sociais do portfólio do Inpa como acesso à água potável, processos educativos inclusivos, produção de alimentos e construção verde também estarão expostas no evento. Além dessas, estão expostas as Armadilhas Luminosas para os insetos barbeiros e flebotomíneos e transmissores, os Ciclos Biológicos dos mosquitos Aedes aegypti, vetor da dengue/chikungunya e zika, e do Anopheles darlingi, transmissor da malária.  

    Na oportunidade, serão realizadas as oficinas de Segurança Hídrica: eutrofização e potabilidade, Métodos de Isolamento e diagnóstico da Leishmaniose/transmissores e tratamento, Métodos de monitoramento e controle de mosquitos vetores de doenças tropicais na Amazônia e uma oficina infantil com marionetes.


    Leia mais:

    Brasil reciclou 280 mil toneladas de latas de alumínio em 2016, diz estudo

    Bafo: novo namorado de Fátima Bernardes está associado à operação Lava Jato

    Frota de ônibus em Manaus é reforçada para o Enem

    Comentários