Fonte: OpenWeather

    Educação


    Ufam se classifica para disputar prêmio mundial de empreendedorismo

    Três equipes da Universidade Federal do Amazonas representam a instituição na maior competição e premiação de empreendedorismo estudantil do mundo

    Três equipes representam a Ufam na competição nesta etapa que ocorre em várias cidades do mundo inteiro
    Três equipes representam a Ufam na competição nesta etapa que ocorre em várias cidades do mundo inteiro | Foto: Divulgação

    Manaus - Depois da concorrência acirrada na primeira fase do Hult Prize, que contou com mais de 1000 universidades participantes, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) dá mais um passo na competição Hult Prize e é uma das seis universidades brasileiras selecionadas para a segunda fase do Hult Prize, o maior prêmio de empreendedorismo estudantil do mundo, organizado em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU).

    Três equipes representam a Ufam na competição nesta etapa que ocorre em várias cidades do mundo inteiro: a equipe Orbe, que foi classificada para Londres/Grã-Bretanha e é composta pelos alunos Douglas Ferreira, Juliana Tizatto, Thainá Bentes e Yanka Sombra, os quais competem com a proposta de atuar na geração de experiência para os jovens e, dessa forma, possibilitar que sejam empregados com agilidade; a equipe Neptur, classificada para Oslo/Noruega, composta pelos alunos Mariel Justa, Maria Clara Chíxaro e Matheus Pantoja, os quais propõem um modelo de negócio voltado ao turismo amazônico e a equipe Meira, classificada para Madrid/Espanha e é composta pelos alunos Bruna Lins, Gabriel Saraiva, Lívia Ibernon e Paulo Simonetti, os quais têm a proposta de criar uma rede social que promova a interação entre jovens que buscam emprego e empregadores.

    A competidora Thainá Bentes, 21, do 7º período do curso de Medicina, fundadora da empresa Júnior Mediare, a primeira da Região Norte do país na área de Medicina, conta que ficou sabendo da premiação Hult Prize durante o Encontro Nacional de Empresas Juniores (ENEJ).

    “Durante o ENEJ eu conheci um amigo que também estava fundando uma empresa júnior em Juiz de Fora (MG) e ele comentou comigo sobre o prêmio. Então, eu me inscrevi e fui selecionada para ser a representante do prêmio junto à Ufam. O mais motivador nessa premiação é que, além de ser a maior premiação estudantil do mundo, congregando mais de 100 países e mais de 1000 universidades, todo ano é proposta uma temática a ser solucionada e nesse ano a temática é o desemprego juvenil. Uma premiação dessas nos faz pensar insistentemente em soluções”, declara a aluna.

    Leia mais:

    'Século Google Day', um dia temático dentro da escola

    'Global Jam Manaus' será realizado no dia 25 de janeiro

    Equipe de Roraima é a campeã do Torneio Norte SESI de Robótica

    Comentários