Fonte: OpenWeather

    Venezuela


    Caravana que prepara ajuda humanitária é atacada na Venezuela

    As imagens e os relatos estão nas redes sociais do presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, e da Assembleia Nacional Constituinte do país

     Imagens mostram vidros quebrados e estilhaços.
    Imagens mostram vidros quebrados e estilhaços. | Foto: Agência Brasil

    Manaus - Deputados venezuelanos, que integram a caravana que segue para a fronteira da Venezuela com a Colômbia, denunciam nas redes sociais que os ônibus nos quais estão foram alvos de ataques durante a madrugada de hoje (22). Imagens mostram vidros quebrados e estilhaços.

    As imagens e os relatos estão nas redes sociais do presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, e da Assembleia Nacional Constituinte do país.

    “Não vão nos impedir que chegue a ajuda humanitária”, afirmou a deputada Mariela Magallanes em um vídeo postado nas redes sociais. “Não querem deixar entrar ajuda humanitária, então vamos caminhando, atravessando o Túnel de La Cabrera [fronteira com a Colômbia}”, acrescentou a deputada Delza Solozano também em vídeo.

    A Assembleia Nacional Constituinte é formada majoritariamente por parlamentares oposicionistas ao presidente venezuelano, Nicolás Maduro. Em seus discursos, ele diz que o Parlamento é ilegítimo. Porém, todos os parlamentares foram eleitos.  

    Ajuda

    A caravana se destina a apoiar o esquema organizado para distribuição amanhã (23) de ajuda humanitária, doada por países que respaldam o governo interino de Juan Guaidó, à população venezuelana.

    De acordo com os parlamentares, houve ataques com “objetos contundentes” na região próxima à cidade de Guanare, no estado Portuguesa. Segundo os deputados, um dos motoristas foi ferido “gravemente”.

    No seu perfil no Twitter, Guaidó reiterou o apoio aos parlamentares. “Respaldo total a nossos deputados e voluntários que se dirigem em caravana para Cúcuta, para a entrada da ajuda humanitária. A Venezuela está mobilizada com um propósito nobre e pacífico: salvar vidas. Não há razão alguma para impedir a esperança no país.”

    Leia mais: 

    Maduro fecha fronteira venezuelana com o Brasil

    Incêndio devasta bairro histórico em Bangladesh, na Ásia

    Polícia Federal cumpre mandados no caso Marielle

    Comentários