Fonte: OpenWeather

    Mundo em perigo


    Ataque contra Irã resultaria em "guerra total", diz chanceler

    Ministro iraniano diz que país não quer guerra mais está preparado contra os EUA caso seja necessário

    Qualquer ataque militar dos Estados Unidos ou da Arábia Saudita contra o Irã resultaria em uma "guerra total", disse o ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, nesta quinta-feira. "Estou fazendo o comunicado muito sério de que não queremos guerra, não queremos nos envolver em um confronto militar... mas não hesitaremos em defender nosso país", disse Zarif em entrevista à CNN.

    Indagado sobre a consequência de um ataque militar norte-americano ou saudita ao Irã, Zarif respondeu: "Uma guerra total".

    Os EUA estão debatendo com a Arábia Saudita e outros aliados do Golfo Pérsico reações possíveis a um ataque a instalações petrolíferas sauditas no sábado, que atribuem ao Irã e que o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, descreveu como um ato de guerra contra o reinado.

    Zarif já havia alertado no Twitter que aquilo que descreve como o time B - que inclui o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o príncipe herdeiro saudita, Mohammad Bin Salman - está induzindo o presidente dos EUA, Donald Trump, a entrar em guerra com o Irã.

    Trump adotou um tom cauteloso na quarta-feira. Ele disse haver várias opções que não uma guerra com o Irã, que nega envolvimento nos ataques de 14 de setembro que inicialmente reduziram a produção de petróleo saudita pela metade. Ele ordenou sanções mais duras a Teerã.

    Zarif também disse em um tuíte postado nesta quinta-feira que Pompeo está tentando adiar a emissão de vistos para a delegação iraniana comparecer à Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Trump disse que não pretende se encontrar com o presidente iraniano, Hassan Rouhani, durante o evento da ONU em Nova York neste mês. 

    Sanções

    O presidente dos EUA, Donald Trump, pediu que o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, imponha mais sanções sobre o Irã. Ontem (18), Trump twitou que "instruiu o secretário do Tesouro a aumentar significativamente as sanções".

    Acredita-se que a medida seja uma reação aos ataques por drones no último fim de semana contra refinarias na Arábia Saudita. Os Estados Unidos acusam o Irã de estar por trás dos ataques.

    A tensão vem em meio as especulações de Trump que deve realizar conversações com o presidente iraniano Hassan Rouhani, nos bastidores da Assembleia Geral da ONU, ainda este mês.

    Trump, que expressou o desejo de realizar diálogos de cúpula, disse à imprensa, na terça-feira (17), que prefere não se encontrar com o presidente do Irã. Teerã, por sua vez, continua a negar seu envolvimento nos ataques.

    Comentários