Fonte: OpenWeather

    Eleições dos EUA


    Biden demonstra confiança e pede calma aos eleitores

    Em breve pronunciamento, candidato democrata defendeu que "cada voto precisa ser contado"

    Em um pronunciamento de poucos minutos, o até agora favorito a assumir o posto de 46º presidente dos Estados Unidos pediu, mais uma vez, calma e paciência aos eleitores
    Em um pronunciamento de poucos minutos, o até agora favorito a assumir o posto de 46º presidente dos Estados Unidos pediu, mais uma vez, calma e paciência aos eleitores | Foto: Divulgação

    Diante do cenário nebuloso da apuração dos votos e do ambiente incendiário que tomou conta dos apoiadores mais radicais de ambos os partidos, o candidato democrata Joe Biden se viu na obrigação de acalmar os ânimos dos eleitores.

    A mensagem de Biden, transmitida diretamente de Wilmington, no estado de Delaware, resumiu-se a algumas frases curtas, mas de grande significado. Em um pronunciamento de poucos minutos, o até agora favorito a assumir o posto de 46º presidente dos Estados Unidos pediu, mais uma vez, calma e paciência aos eleitores. 

    "Não tenho dúvidas de que, quando a contagem dos votos terminar, a senadora Kamala Harris e eu seremos declarados vencedores. Portanto, peço a todos que fiquem calmos. O processo está funcionando e todos os votos precisam ser contados", disse Biden, num tom de pacificação em meio à turbulenta e polarizada apuração eleitoral norte-americana.  

    Postura diferente tem sido adotada pelo adversário de Biden, o candidato republicano à reeleição, Donald Trump. Pelo twitter, o atual presidente vem disparando sequências de mensagens alegando fraudes eleitorais, pedindo a suspensão na contagem de votos e declarando vitória em estados ainda com resultados indefinidos oficialmente.

    Até o momento, de acordo com as projeções da agência de notícias internacionais Associated Press, Biden lidera o pleito com o apoio de 264 delegados, enquanto Trump garantiu, por enquanto, 214. Para conquistar a Casa Branca são necessários 270 delegados.

    Comentários