Fonte: OpenWeather

    Vitória


    Colégio Eleitoral oficializa vitória de Biden como presidente dos EUA

    Com 270 votos, o democrata teve vitória confirmada para posse em janeiro de 2021

    Essa etapa, porém, não é a última. Confirmado o resultado pelo Colégio Eleitoral, estes votos precisam chegar ao Senado até dia 23 de dezembro
    Essa etapa, porém, não é a última. Confirmado o resultado pelo Colégio Eleitoral, estes votos precisam chegar ao Senado até dia 23 de dezembro | Foto: Divulgação

    O Colégio Eleitoral oficializou a vitória de Joe Biden e a sua vice Kamala Harris, nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, nesta segunda-feira (14).

    Pela apuração parcial, Biden teve 302 votos no Colégio Eleitoral e Trump 232. Em número de votos, ao todo, foram 81, 1 milhões para o democrata e 74, 3 milhões para o republicano.

    Etapa é mais um dos protocolos que foram seguidos para a formalidade da votação de novembro e a posse do democrata como novo presidente.

    Foram 583 eleitores dos 50 estados e do Distrito de Columbia, designados a votarem conforme os resultados das eleições, certificados em cada unidade federativa depositando publicamente seus votos.

    Essa etapa, porém, não é a última. Confirmado o resultado pelo Colégio Eleitoral, estes votos precisam chegar ao Senado até dia 23 de dezembro.

    Corrida Eleitoral

    A corrida eleitoral foi acirrada e a apuração começou dramática para Biden, que perdeu na Flórida, estado de peso na votação e começou atrás na Geórgia e na Carolina do Norte. Mas as viradas nos estados da Filadélfia e da Pensilvânia ajudaram a garantir a vitória do democrata.

    Esses eleitores do Colégio Eleitoral foram nomeados a partir da certificação dos resultados eleitorais em cada estado, etapa oficializou os números da apuração.  As cédulas foram enviadas para a capital de Washington, onde serão recebidas em solenidade em janeiro no Congresso americano.

    No início desta noite (14), Biden ultrapassou oficialmente os 270 votos mínimos no Colégio Eleitoral.

    Biden e Harris foram eleitos em 7 de novembro. Kamala é a primeira mulher negra (e também a primeira de ascendência indiana) a assumir o cargo de vice-presidente do país.

    Trump não aceitou derrota

    Após os resultados das eleições americanas, Donald Trump vem tentando reverter o quadro de resultados das urnas nos tribunais, alegando fraude ou problemas nos sistemas de contagem de votos.

    Alguns aliados de Trump especularam sobre a possibilidade de contestar o resultado no dia 6 de janeiro, quando o Congresso validará formalmente a votação do Colégio Eleitoral.

    No fim de semana, ao ser questionado em uma entrevista no canal Fox News se compareceria à posse de Biden em 20 de janeiro, como exige o protocolo e séculos de tradição, Trump se limitou a responder: "Não quero falar sobre isto".

    Porém, nenhuma irregularidade foi capaz de mudar a vitória de Biden, que foi negada pela Suprema Corte. A campanha de Trump, não conseguiu provar nenhum caso de fraude e as tentativas de impugnar a votação, examinadas por dezenas de juízes, foram rejeitadas, com apenas uma exceção.

    Muitos congressistas republicanos respaldam as afirmações de fraude de Trump, mas alguns estariam dispostos a reconhecer a vitória de Biden após a ratificação do resultado pelo Colégio Eleitoral.

    Comumente a reunião do Colégio Eleitoral é apenas protocolar, em que todos os delegados de um estado dão seus votos para o candidato mais votado da região. Porém, já ocorreu de os delegados não darem o voto para o mesmo candidato que venceu nas urnas, apesar de nunca ter mudado o resultado final do pleito.

    Leia Mais:

    Tribunal que julga impeachment de Witzel ouvirá 29 testemunhas

    Câmara aprova projeto de incentivo ao transporte marítimo nacional

    Falta de consenso entre parlamentares deixa PEC Emergencial para 2021

    Comentários