Fonte: OpenWeather

    Investigação


    Tripulação sabia da emergência em voo da Chapecoense, aponta relatório

    A investigação apontou que os pilotos sabiam da falta de combustível e que o aeronave da LaMia não cumpria com as determinações exigidas pela aviação civil

    Segundo as normas internacionais, um voo deve ter combustível para chegar ao aeroporto de destino. | Foto: Reprodução / Twitter

    Manaus - Foram apresentadas nesta quarta-feira (27), as conclusões do relatório final da tragédia do avião da Chapecoense. A divulgação da Aeronáutica Civil da Colômbia revelou que, 40 minutos antes do acidente, a aeronave com os atletas da equipe catarinense já estava em emergência e a com a indicação na cabine com avisos sonoros.

    A certeza surgiu após a investigação da caixa-preta que continham indicadores de dados do voo. A investigação concluiu que o avião dispunha de 2.303 quilos de combustível a menos da quantidade necessária para uma viagem com aquele trajetória.

    Segundo as normas internacionais, um voo deve ter combustível para chegar ao aeroporto de destino, além do suficiente para alcançar um aeroporto alternativo, caso haja problemas e, ainda, mais 30 minutos de reserva. As informações são de um portal de notícias nacional.

    Leia mais: 

    Governo da Bolívia culpa piloto e LaMia por queda de avião da Chape

    Chape paga indenizações às famílias das vítimas e estuda ação contra LaMia

    Representante da ONU avalia simulações do Exército Brasileiro em Tabatinga

    Comentários