Fonte: OpenWeather

    Sequestro


    Motorista de aplicativo filma o próprio sequestro com celular

    Vítima rodou com os bandidos, no próprio carro, por mais de uma hora

     

    O sequestro relâmpago foi filmado pela própria vítima, com o celular
    O sequestro relâmpago foi filmado pela própria vítima, com o celular | Foto: Divulgação

    Uma mulher de 36 anos, motorista de transporte de passageiros via aplicativos, foi sequestrada e mantida como refém por mais de uma hora, na tarde dessa segunda-feira (5), entre os bairros da Lapa e Jaguaré, ambos na Zona Oeste da capital paulista, e também em Osasco (Grande SP). O sequestro relâmpago foi filmado pela própria vítima com o celular.

    De acordo com informações do site Folha de São Paulo, o caso foi registrado no 40º Distrito Policial (Vila Santa Maria), mas será investigado pelo 7º DP (Lapa). Ainda segundo a polícia, a vítima teve a solicitação de corrida por volta das 15h, na rua Dronsfield, na Lapa. Quando dois homens não identificados, entraram no veículo e chegaram na rua Engenheiro Vitor Freire, no Jaguaré, os criminosos anunciaram o assalto.

    “Foi muito rápido. Um deles abriu a porta do motorista, me empurrou e assumiu o volante. Eu pulei para o banco de trás”, contou a vítima. A partir deste momento, com a corrida já encerrada, os criminosos exigiram dinheiro da mulher, enquanto circularam com o carro dela. A vítima argumentou aos bandidos que não tinha dinheiro. Ela chegou a mostrar seu saldo bancário, e do aplicativo para o qual presta serviço, para provar que estava sem grana. 

    Durante mais de uma hora, os criminosos insistiram em conseguir algo da mulher, que gravou os rostos dos ladrões e alguns trechos da conversa mantida com eles, sem que percebessem. Em um momento do diálogo, um dos criminosos pergunta se a mulher tem filhos. Ao informar que sim, os ladrões falam que iriam atrás das crianças, caso a mulher pedisse ajuda à polícia. Após mais de uma hora, os ladrões desembarcaram do carro da mulher e fugiram a pé, levando somente o documento de identidade dela. 

    A empresa de aplicativo de transporte de passageiros 99 lamentou o crime sofrido pela motorista, acrescentando que está em contato com a vítima para lhe oferecer todo o suporte necessário. "Assim que a denúncia foi registrada, a 99 bloqueou o perfil do passageiro responsável pela chamada enquanto o caso é investigado pelas autoridades", diz trecho e nota.  



    Comentários