Fonte: OpenWeather

    Covid-19


    Twitter classifica como 'enganosa' postagem do Ministério da Saúde

    O post incentivava o tratamento precoce da doença, que não possui nenhuma eficácia comprovada cientificamente

     

    Desde o início da pandemia, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem defendido o uso de medicamentos sem eficácia científica
    Desde o início da pandemia, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem defendido o uso de medicamentos sem eficácia científica | Foto: Divulgação

    Manaus - O Twitter classificou uma postagem do perfil oficial do Ministério da Saúde como conteúdo “enganoso e potencialmente prejudicial”. O post incentivava o tratamento precoce da doença, que não possui nenhuma eficácia comprovada.

    A postagem, publicada há quatro dias no perfil do Ministério da Saúde, trazia a seguinte informação: “Para combater a Covid-19, a orientação é não esperar. Quanto mais cedo começar o tratamento, maiores as chances de recuperação. Então, fique atento! Ao apresentar sintomas da Covid-19, #NãoEspere, procure uma Unidade de Saúde e solicite o tratamento precoce”.

    Já neste sábado (15), a rede social classificou a postagem com uma advertência. “Este Tweet violou as Regras do Twitter sobre a publicação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas à COVID-19”, alertou. 

    Tratamento precoce 

    Desde o início da pandemia, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem defendido o uso de medicamentos sem eficácia científica comprovada para compor um kit a ser utilizado no tratamento precoce da COVID-19.

    Remédios como hidroxocloroquina e invermectina, defendidos pelo chefe do executivo para tentar conter a doença, já foram alvos de vários estudos em diferentes países. Em ambas as pesquisas, a eficácia dos medicamentos não foi comprovada.

    Sob o Ministério da Defesa de Jair Bolsonaro, o Exército Brasileiro chegou a produzir mais de três milhões de comprimidos de cloroquina. Enquanto sobram fardos do medicamento inútil no combate à Covid-19, o Amazonas sofre com a falta oxigênio.

    Veja mais:

    Cinco motivos para confiar nas vacinas contra a Covid-19

    Prefeitura planeja distribuir ivermectina para amazonenses

    Com dúvidas sobre eficácia, 'Kit Covid' dispara nas vendas, em Manaus

    Comentários