Fonte: OpenWeather

    Coronavírus


    Covid-19: Bolsonaro pedirá uso emergencial para spray nasal de Israel

    Bolsonaro já havia citado possibilidade de importar a droga, chamada EXO-CD24, na última quinta-feira (11)

    Inflação é melhor que desabastecimento, diz Bolsonaro | Foto: Divulgação

    O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (15) que seu governo pedirá autorização para o uso emergencial de um spray nasal contra a covid-19 desenvolvido por Israel e descrito por Benjamin Netanyahu como um tratamento “milagroso”. O presidente já havia citado possibilidade de importar a droga, chamada EXO-CD24, na última quinta-feira (11), após conversa por telefone com o primeiro ministro de Israel.

    “EXO-CD24 é um spray nasal desenvolvido pelo Centro Médico Ichilov de Israel, com uma eficácia próxima de 100% (29/30), em casos graves, contra a Covid”, tuitou Bolsonaro, dois dias depois de falar por telefone com Netanyahu, que chama o presidente brasileiro de “bom amigo”.

    “Brevemente será enviado à ANVISA o pedido de análise para uso emergencial do medicamento”, acrescentou Bolsonaro.

    O Centro Médico Ichilov anunciou há duas semanas que um de seus pesquisadores realizou um teste de Fase 1, a primeira de três fases de ensaios clínicos, com um spray nasal que desenvolveu contra os sintomas respiratórios relacionados à covid-19.

    O pesquisador, Nadir Arber, informou que administrou o spray em 30 pacientes, de moderados a graves, e que 29 de 30 receberam alta hospitalar entre três e cinco dias depois. O paciente restante também acabou se recuperando, apesar de ter demorado mais.

    O centro médico, no entanto, não informou se administrou placebo em um grupo de controle e ainda não publicou suas descobertas em uma revista científica revisada por seus pares.

    Mas isso não impediu que Netanyahu descrevesse o EXO-CD24 como um remédio “milagroso” na semana passada.

    Bolsonaro, que costuma minimizar a pandemia no segundo país com mais mortos (239.000) e critica as medidas de quarentena devido os seus efeitos econômicos, promoveu o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina, tratamentos questionados pelos especialistas.

    *Com informações do EXAME

    Comentários