Fonte: OpenWeather

    Investigado


    Militar do Exército é suspeito de estuprar menino de 11 anos

    Militar de 19 anos, foi detido em Peruíbe, no litoral do Estado de São Paulo. Crime ocorreu há 10 dias, mas só foi denunciado no último sábado (24). Militar nega envolvimento

    Crime ocorreu em Peruíbe, no litoral de SP. | Foto: Reprodução

    Peruíbe (SP) - Suspeito de estuprar um menino de 11 anos, um militar do Exército, de 19 anos, foi detido em Peruíbe, no litoral de São Paulo. O caso aconteceu há cerca de dez dias, de acordo com a Polícia Civil (PC), mas o jovem só foi reconhecido pela vítima e denunciado no sábado (24).

    De acordo com a Polícia Militar (PM), o crime ocorreu no momento em que o menino voltava para casa do Ginásio de Esportes da cidade, onde praticou exercícios físicos. Ele foi abordado no meio do caminho e levado para um matagal, onde o suspeito praticou o abuso. O militar ainda teria torcido o braço da vítima, antes de abandoná-la no local.

    Após o estupro, o menino passou mal, foi socorrido e levado ao pronto-socorro da cidade, onde foi constatado o abuso. Ele descreveu para os pais o autor do crime e informou o tipo de mochila que ele usava. Ao avistarem um suspeito com as mesmas características, os pais da vítima acionaram a polícia.

    Leia também: 'Leandro do Mutirão' tentar alugar casa e é assassinado no Parque 10

    Por meio das câmeras de monitoramento do bairro, equipes conseguiram localizar o suspeito na Praça Melvin Jones. Viaturas da PM e de agente do Trânsito do município realizaram o cerco e detiveram o suspeito, que foi levado para a Delegacia Sede de Peruíbe. No distrito, ele foi reconhecido pela vítima. O militar, no entanto, nega que tenha cometido o crime.

    Por não ter ocorrido flagrante, o jovem foi solto, mas será indiciado. Um boletim de ocorrência foi registrado e a polícia realizará uma investigação para comprovar ou não seu envolvimento no crime.

    A Divisão de Relações com a Mídia do Exército Brasileiro informou que vai acompanhar a investigação da Polícia Civil e as decisões da justiça para decidir o futuro do atirador do Tiro de Guerra. A identidade do suspeito não foi divulgada. Conforme a Polícia Civil, até a tarde deste domingo, 25, ele não tinha constituído advogado para acompanhar a investigação.


    Leia mais:

    Motorista de ônibus da linha 680 é baleado em assalto na Zona Leste

    Dois homens são executados a tiros no centro de Manaus neste sábado

    Homem é morto com facada no peito no Campo do Bahia, em Manaus

    Comentários