Fonte: OpenWeather

    Caso médico


    Justiça nega liberdade para médico conhecido como Doutor Bumbum

    A cirurgia estética foi feita na casa do médico, numa cobertura na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio

    Denis Cesar Barros Furtado, mais conhecido como "Doutor Bumbum"
    Denis Cesar Barros Furtado, mais conhecido como "Doutor Bumbum" | Foto: Reprodução / Internet

    Rio de Janeiro - A Justiça do Rio negou o pedido de revogação da prisão preventiva do médico Denis Cesar Barros Furtado, de 45 anos, conhecido como "Doutor Bumbum".  Preso desde o dia 19 de julho, ele é acusado de homicídio qualificado pela morte da bancária Lilian Calixto, de 46 anos, que veio de Cuiabá, no Mato Grosso para fazer um procedimento estético nos glúteos. 

    A cirurgia estética foi feita na casa do médico, numa cobertura na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A bancária passou mal e acabou morrendo horas depois, ao ser levada pelo médico para um hospital, no mesmo bairro.

    De acordo com o juiz Bruno Arthur Mazza Vaccari Machado Manfrenatti, da 1ª Vara Criminal do Rio, os motivos que levaram o médico à prisão permanecem inalterados. 

    “É imperioso observar que a prova da existência do crime e os indícios suficientes de autoria já restaram sobejamente expostos, conforme fundamentado pela decisão que decretou a prisão. Observo, desta forma, a presença intacta dos requisitos que admitem a prisão preventiva. Portanto, por não ter sido trazida pela defesa qualquer alteração das situações fáticas ou jurídicas, que ensejaram a decretação da medida prisional, indefiro o pedido de revogação da prisão preventiva”, escreveu o juiz na decisão.

    O magistrado marcou uma audiência para ouvir testemunhas da morte da bancária Lilian Calixto para a próxima terça-feira (11).

    Leia mais: 

    Idosa e sobrinho são mortos com a cabeça esmagada em casa, no Hiléia

    Assaltantes invadem loja odontológica e fazem reféns na Cidade Nova

    Em protesto, família de jovem morto em Coari tenta destruir delegacia


    Comentários