Fonte: OpenWeather

    Instagram


    Após divulgar foto de estuprador, Mariana Ferrer tem perfil bloqueado

    Mariana Ferrer usava seu perfil no Instagram para relatar traumas deixados por estupro sofrido em 2018

    Mariana Ferrer foi vítima de um estupro em 2018
    Mariana Ferrer foi vítima de um estupro em 2018 | Foto: Reprodução

    Brasil - A blogueira Mariana Ferrer, que foi vítima de um estupro em 2018, teve seu perfil no Instagram bloqueado nesta terça-feira (18). A página serviu para expor o caso e fotos do suspeito, mas também continha relatos dos traumas deixados pelo abuso, com intuito de chamar a atenção das autoridades sobre o caso. Segundo o comunicado do próprio Instagram, o bloqueio ocorre devido "um processo judicial". 

    Mariana Ferrer utilizou o Instagram para denunciar o empresário André de Camargo Aranha, de 43 anos, em maio de 2019. Segundo ela, o caso de estupro teria ocorrido em um clube de praia em Santa Catarina, enquanto a vítima estava dopada. 

    Após exames, o crime foi comprovado, mas Aranha manteve a versão de que não teve contato físico com Mariana. Contudo, ele foi indiciado pelo crime de estupro de vulnerável e o processo segue em andamento.

    Desde então, a blogueira usava sua conta no Instagram para relatar as consequências do estupro em sua vida. No início de agosto, usuários levantaram a hashtag #justiçapormaribferrer, como forma de questionar as autoridades sobre o andamento do caso. 

    Porém, nesta terça-feira (18), Mariana usou seu perfil no Twitter para comunicar que o Instagram bloqueou o perfil dela, devido "um processo judicial". Ela escreveu: 

    "ISSO É INACEITÁVEL. @instagram não basta ser vitima de violência contra mulher, o homem que foi indiciado e denunciado pelas autoridades por estupro de vulnerável entrou na justiça para remover minha conta do instagram e silenciar a única voz que tenho para lutar por justiça".

    Perfil de Mariana Ferrer no Instagram relatava traumas deixados pelo estupro
    Perfil de Mariana Ferrer no Instagram relatava traumas deixados pelo estupro | Foto: Reprodução

    Até o meio-dia desta quarta-feira (19), a conta permanecia bloqueada. Com isso, a hashtag #justiçapormaribferrer ganhou ainda mais repercussão. 

    Leia mais: 

    Feto de criança vítima de estupro é removido em Recife

    Whindersson Nunes e Felipe Neto vão ajudar a criança que foi abusada

    Integrante do CPM22 sai da banda por conversas com menor de idade

    Comentários