Fonte: OpenWeather

    Amor de neto


    Jovem deixa carreira convencional para cuidar da avó com Alzheimer

    O jovem amazonense cuida, em horário integral, de dona Mariza Azevedo, 95 anos e resolveu criar um perfil no instagram mostrando a rotina de quem convive com a doença

    “Sinto muita gratidão por parte dela, principalmente, retribuição. Eu perdi meu pai muito cedo. Poder cuidar da mãe dele é um prazer e uma honra enorme”, revela Hamilton Junior 

“Sinto muita gratidão por parte dela, principalmente, retribuição. Eu perdi meu pai muito cedo. Poder cuidar da mãe dele é um prazer e uma honra enorme”, revela Hamilton Junior.
    “Sinto muita gratidão por parte dela, principalmente, retribuição. Eu perdi meu pai muito cedo. Poder cuidar da mãe dele é um prazer e uma honra enorme”, revela Hamilton Junior “Sinto muita gratidão por parte dela, principalmente, retribuição. Eu perdi meu pai muito cedo. Poder cuidar da mãe dele é um prazer e uma honra enorme”, revela Hamilton Junior. | Foto: Divulgação

    Manaus - A fase da juventude é marcada por experiências, descobertas, prioridade profissional e pessoal. Mas para o bacharel em direito e músico, Hamilton Azevedo Junior, essa fase tem sido de dedicação exclusiva para cuidar da avó,  dona Mariza Azevedo, 95 anos. Ela é professora de história aposentada e foi diagnosticada com Alzheimer há 8 anos.

    Desde 2016, Hamilton cuida da avó. Ele não foi criado por ela, mas frequentava sua casa todos os dias. Em 1997, o pai faleceu e atualmente, o jovem mora com a mãe e a avó em Manaus. Ele passou a cuidar dela por conta de maus tratos que a idosa estava sofrendo.

    “Foi uma decisão necessária porque ela estava sofrendo maus tratos pelo meu primo, que ela criou, e então, fizemos isso para resguardar  vida dela. Rolaram e ainda estão tramitando processos contra esses crimes. A vovó não tem mais nenhum filho vivo, é viúva e meus irmãos não moram aqui. Um mora em Portugal e a outra em Minas Gerais”, relata.

    Atenção integral

    Para se dedicar aos cuidados de dona Mariza Azevedo em tempo integral, Hamilton, que é bacharel em direito e músico, aceita trabalhos em home office desde 2019, quando abriu mão do trabalho convencional. “Já recusei trabalhos por não poder trabalhar fora de casa e, também  por conta da pandemia,  por estar interessado em não ser vetor de transmissão para ela”, conta.

    Dicas para cuidar de portadores de Alzheimer

    Hamilton, criou um perfil no Instagram (@dona.mariza) para falar sobre a avó e mostrar  como é o dia a dia de uma pessoa com Alzheimer. Na rede social, que é recente, ele pretende publicar além da rotina, algumas dicas de cuidados com quem convive com a doença.

    Confira o perfil de dona Mariza. 

    “A vovó sempre agradece por tudo que a gente faz, desde pegar um copo d'água até dar banho, ou preparar qualquer coisa. Claro que, com o Alzheimer, algumas vezes ela está impaciente, nervosa, mas, até nessas vezes, ela chega a pedir desculpas se xingou, ofendeu”, conta.
    “A vovó sempre agradece por tudo que a gente faz, desde pegar um copo d'água até dar banho, ou preparar qualquer coisa. Claro que, com o Alzheimer, algumas vezes ela está impaciente, nervosa, mas, até nessas vezes, ela chega a pedir desculpas se xingou, ofendeu”, conta. | Foto: Divulgação

    Até então, as publicações eram feitas no perfil pessoal dele, em que mostra parte da rotina dedicada para cuidar da avó, inclusive, sobre as viagens que fez com ela e outas atividades do dia a dia. São vários registros de vídeos e fotos.

    Hamilton e dona Mariza já fizeram várias viagens pelo Brasil, juntos
    Hamilton e dona Mariza já fizeram várias viagens pelo Brasil, juntos | Foto: Arquivo Pessoal

    “Nós fazemos tudo juntos, tudo mesmo! Ela já foi comigo em algumas apresentações musicais que eu toquei. Antes da pandemia, a gente ia ao cinema, saía para caminhar na Ponta Negra, tomar café em alguma padaria, coisas que ela gosta de fazer. Nós já viajamos para Minas, para o casamento da minha irmã, para o Rio de Janeiro, onde ela tem muitas lembranças, gosta muito de carnaval. Fomos a Alter do Chão e em Fortaleza, porque ela gosta de tomar banho em praia e piscina”, descreve.

    Em outra publicação, sobre uma recente viagem de dona Mariza ele diz que o portador de Alzheimer, mesmo tendo a perda da memória, consegue sentir, ter emoções e viver o presente. "É possível ter uma vida plena, convivendo com Alzheimer", finaliza.

    Veja publicação na íntegra

    No Dia das Mães deste ano, Hamilton fez uma publicação na rede social para homenagear a avó e sua mãe.  “A vovó, todos os dias se preocupa com "o que os meninos vão jantar", mesmo sem ter mais nenhum menino sob sua responsabilidade e sempre está preocupada em "ir para casa", pois "a mamãe está esperando". É amor o nome, né? O Alzheimer apaga muita coisa, mas o amor está ali, no coração.

    Prevenção

    Dia 21 de setembro é o Dia Mundial do Alzheimer. Essa data existe para ajudar pessoas no combate à doença e alertar sobre os sintomas para que o diagnóstico seja feito precocemente. Até 2018, a Associação Brasileira de Alzheimer (Abraz) identificou 35,6 milhões de pessoas com a doença no mundo. Só no Brasil, 1,2 milhão de pessoas possuem esse diagnóstico.

     Leia Mais:

    Máscaras doadas a estudantes no AM viram memes na internet

    Em Manaus, preso diz que morte de empacotador foi um acerto de contas

    Mulher é ameaçada e xingada pelo marido na frente dos filhos em Manaus

     Veja também


    Comentários