Fonte: OpenWeather

    produtos natalinos


    Feirinha de Artesanato do Prosamim é realizada até sexta-feira (7)

    Nesta quinta-feira (6), é a vez da equipe do Cajual expor produtos e na sexta o São Raimundo encerrará a feira

    A Feirinha de Artesanato do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim) será realizada até sexta-feira (7), das 15h30 às 17h, na sede da Secretaria de Estado da Região metropolitana de Manaus (SRMM) e Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), no Centro, Zona Sul de Manaus. Com diversas opções de produtos natalinos, confeccionados por moradoras dos parques residenciais, os valores vão de R$ 10 a R$ 70.

    A cada dia, um grupo de um dos Parques Residenciais irá comercializar as peças na secretaria. Nesta quarta-feira (5), moradoras do Mestre Chico iniciaram as vendas e apresentaram desde árvore de Natal até laços e tiaras. Na quinta (6), será a vez da equipe do Cajual expor produtos e na sexta o São Raimundo encerrará a feira.

    “A Feirinha de Artesanato visa geração de renda para as artesãs, consolidação das ações de capacitação, como empreendedorismo, técnicas artesanais e de vendas, bem como a aproximação dos técnicos às ações sociais do programa”, comentou a subcoordenadora Setorial de Projetos Sociais (SSPS), Viviane Alves.

    Capacitação gratuita

    O Prosamim, em parceria com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), realiza cursos gratuitos semanalmente para os moradores dos Parques Residenciais e o de artesanato é um dos mais procurados.

    “Participo dos cursos realizados pelo Prosamim há mais de um ano e, antes, eu não gostava muito de artesanato, mas hoje em dia é uma das minhas paixões. Além de aprender, agora também consigo garantir uma renda extra”, comentou Regina Kelly, moradora do Mestre Chico, que também falou sobre a Feirinha de Artesanato.

    “A Feirinha de Artesanato é a forma de colocarmos em prática tudo o que aprendemos no curso. Estou realmente muito feliz. Fazer artesanato é uma terapia. E fazer isso com produtos recicláveis torna tudo ainda mais especial, porque de certa forma ainda estamos cuidando do meio ambiente, fazendo arte daquilo que poderia ir para os igarapés e assim poluir os nossos rios”, comentou a artesã.

    *Com informações da assessoria 

    Leia mais:

    Casa do Rio cria oportunidades de vida para comunidades do Amazonas

    Famílias ribeirinhas geram renda sem desmatar floresta amazônica

    Prefeitura recebe propostas para ocupação de casarões históricos


    Comentários