Fonte: OpenWeather

    Carnaval 2019


    Saiba o verdadeiro motivo que tirou jornalista Mário Adolfo da Bica

    O jornalista Mário Adolfo, que é um dos compositores de 14 marchinhas da Banda Independente e Confraria do Armando (BICA) explicou ao portal EM TEMPO porque está fora da mais tradicional banda de Manaus, neste carnaval de 2019.

    Mário Adolfo, Edu do Banjo e Mestre Pinheiro em parceria para composição de antigas marchinhas da Banda da Bica
    Mário Adolfo, Edu do Banjo e Mestre Pinheiro em parceria para composição de antigas marchinhas da Banda da Bica | Foto: Arquivo Pessoal

     Manaus - O jornalista Mário Adolfo, que é compositor de 14 marchinhas da Banda Independente e Confraria do Armando (BICA),em parceria com Edu do Banjo, Dudu Brasil e Mestre Pinheiro, explicou ao portal EM TEMPO porque está fora da mais tradicional banda de Manaus, neste carnaval de 2019.

    Ele contou que foi convidado pela empresária Ana Cláudia Soeiro para participar de uma reunião no sábado ,13, no Bar do Armando.Ao chegar no bar, às 17 horas, foi informado por Cláudia, pelo celular, que a reunião já havia acabado e o enredo não havia sido escolhido.

    — Ela me disse que uma segunda reunião seria convocada para votar o enredo. Disse a ela que tinha um enredo interessante e que estaria disposto a apresentar, como faço há mais de 20 anos. Para ela me avisar da segunda reunião.

    Edu do Banjo, Mestre Pinheiro e Mário Adolfo, compositores de antigas marchinhas da Banda da Bica
    Edu do Banjo, Mestre Pinheiro e Mário Adolfo, compositores de antigas marchinhas da Banda da Bica | Foto: Arquivo Pessoal

    No entanto, para sua surpresa, soube pelo Facebook que o enredo havia sido escolhido e que o tema seria  “Jacaretinga do Pará, todos de mão dadas pra mamar” .

    Mário, que é um dos fundadores da banda,tinha criado o enredo “A Bica está com tudo e não está prosa. Aqui, menina veste azul, menino veste rosa”, uma sátira aos desencontros do início do governo Bolsonaro e às pataquadas da ministra-pastora Damares, que até chegou a ver Jesus na goiabeira. “Quer enredo melhor que esse?”, pergunta o jornalista.

    Como o Bar do Armando fez um evento pró-Bolsonaro às vésperas da eleição, muita gente entendeu que o tema do jornalista havia sido censurado. Mário nega a versão.

    — Mas não acredito em censura, porque nem cheguei a apresentar meu enredo. Minha decisão de sair é porque não concordo com um enredo escolhido que agride os paraenses. Tenho muitos amigos paraenses, respeito a cultura deles, que está muito ligada à nossa própria cultura, até porque somos todos amazônidas. Os amazonense têm que acabar com essa xenofobia –, disse o jornalista.

    Banda da Bica em 2001
    Banda da Bica em 2001 | Foto: Arquivo Pessoal

    Mas esse não é só o motivo que afastou o compositor da Bica. Ele disse também que não concorda com as críticas a um governo que só está começando.  O  perfil da Bica, avalia ele,  sempre foi de esquerda, mas sempre partiu dos fatos reais para chegar até à sátira.

    — Não existe fatos para dizer que alguém vai “mamar”, fica agressivo. E isso não é humor. É bom lembrar que existe uma linha muito tênue entre o humor e o chulo, por isso é preciso ter cuidado. Temos que fazer rir e não agredir. As marchinhas que fiz com meus parceiros,  todas, fazem  rir e não agridem. Nem apelidos a gente usa para se referir a alguém.

    Mário Adolfo também lembra que  maioria das vezes o alvo da sátira acabava indo à Bica brincar o carnaval com a banda, exemplo do Serafim Corrêa (PSB), Vanessa Grazziotin (PCdoB), Lúcia Anthony (PCdoB), o próprio Eduardo Braga (PMDB) e o Amazonino, que uma única noite visitou o bar para cumprimentar o português Armando.

    — Existe a polêmica e se não existe polêmica não seria a Bica. Todo o ano tem sido assim. As desavenças acabam na quarta-feira de cinzas. Somos amigos e assim continuaremos. A Bica hoje é um símbolo da cidade. Nós passaremos e a banda seguirá em frente – finalizou.

    Leia mais:

    Veja bandas e blocos confirmadas no Carnaval de Manaus em 2019

    Confira os enredos das escolas de samba no Carnaval de Manaus em 2019

    Chegada da Khamélia marca abertura do Carnaval 2018 em Manaus




    Comentários