Fonte: OpenWeather

    Somas 2019


    Festival exalta protagonismo das mulheres em Manaus

    O evento tem como objetivo potencializar o cenário artístico-musical da capital amazonense protagonizados por mulheres

    O evento acontecerá no Teatro Gebes Medeiros e no Centro Cultural Palácio Rio Negro | Foto: Karen Francis/Divulgação

    Manaus - Em sua segunda edição, o Festival Somas propõe programação artística e de formação/reflexão exclusivamente protagonizada por mulheres, nos dias 26 e 27 de julho de 2019, em Manaus.

    O evento acontecerá no Teatro Gebes Medeiros e no Centro Cultural Palácio Rio Negro, e tem como objetivo potencializar o cenário artístico-musical da capital amazonense, tornando-o cada vez mais acessível e viável para o desenvolvimento de trabalhos protagonizados por mulheres.  Todas as atividades são gratuitas. 

    Sexta-feira (26, as artistas Elisa Maia, Karen Francis, Lary Go & Strela  e a banda Gramophone abrem o Festival com shows musicais no Teatro Gebes Medeiros (Av. Eduardo Ribeiro, 937, Centro), a partir das 19h, e lembram o Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha. Elisa Maia e Karen Francis fazem um duo, com repertório baseado em seus respectivos EPs – ‘Ser da cidade’, lançado em 2013 por Elisa Maia, e ‘Acontecer’, de 2018, da cantora Karen Francis -, além de canções novas que as artistas se preparam para lançar ainda este ano.

    Vívian Silva
    Vívian Silva | Foto: Karen Francis/Divulgação

    A dupla Lary Go & Strela, que atua desde 2015 e já é referência no hip hop da cidade, apresenta músicas de seu repertório habitual e as novas ‘Risadas de bruxas’ e ‘Ideia florescida’, que estão em fase de produção para serem lançadas.

    Já a banda Gramophone, que tem à frente de seus vocais a poderosa voz da cantora Vívian Silva, executa seu regional experimental, em canções da própria banda e releituras de sucessos da região.

    Sábado (27), acontece no Salão Nobre do Centro Cultural Palácio Rio Negro (Avenida Sete de Setembro, 1546, Centro) programação de formação, com foco em passos que as artistas, produtoras, mobilizadoras locais podem dar para profissionalizar e potencializar seus trabalhos. As atividades iniciam às 14h, com o painel “Mulher impressa: a representação do feminino”, no qual a designer e mestranda no Programa de Letras e Artes – PPGLA/UEA, Samara Nina, propõe discussão sobre a representação da mulher nos mais diversos veículos informacionais e seus equívocos.

    Lary Go & Strela. Foto: Junior Moares
    Lary Go & Strela. Foto: Junior Moares | Foto: Karen Francis/Divulgação

    Às 15h, Tita Virgílio, que é da Diretoria de Cultura da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos – Manauscult, facilitará oficina sobre “Currículo e Portfólio Artístico”, trazendo uma perspectiva prática de formatos ideias de organização de informações da atuação de artistas/produtoras junto aos órgãos públicos, para apresentação em editais e oportunidades de trabalho em geral.

    Logo depois, às 16h, é a vez da jornalista e gestora da Impact Hub Manaus, Juliana Teles, mediar a oficina “Pitchings: fale sobre seu projeto em 10 minutos”, que, numa abordagem dinâmica e participativa, ajudará as profissionais a apresentarem seus projetos em processos seletivos, editais e encontros com iniciativa privada.

    Encerrando a programação de formação, a Coletiva Banzeiro Feminista conduz roda de conversas com o tema “Tecendo redes de cuidado entre mulheres”, em que a psicóloga e mestra em Processos Psicossociais e atriz no Grupo Garagem, Andreza Costa, propõe vivência de autocuidado com foco numa reflexão social crítica enfatizando a influência dos sistemas hegemônicos na nossa saúde.

    Novos trabalhos 

    O Somas 2019 ainda abriu inscrições para novos trabalhos artísticos encabeçados por mulheres e selecionou quatro artistas, que apresentarão pocket shows encerrando a programação do Festival. A MC Catarina, revelação do rap na cidade de Manaus, as estreantes Natty dos Anjos e a banda Trialis (que como a cantora Julhia Alcântara no vocal) e Olívia de Amores, veterana, mas que está lançando carreira solo, se apresentam a partir das 19h, no jardim do Centro Cultural Palácio Rio Negro, no dia 27 de julho, sábado, logo após a programação de formação.

    Toda a programação do Festival Somas 2019 é gratuita e livre para todos os públicos.

    O Festival Somas, além de contar majoritariamente com equipe composta por mulheres, é realizado/produzido pelo Coletivo Difusão – organização cultural coletiva de Manaus, que visa produzir arte para fomentar cultura e que desde 2006 atua promovendo a integração entre as manifestações artísticas independentes nos eventos e projetos que assina; desenvolve troca de informações entre os cenários culturais para escoamento e intercâmbio das produções independentes; incentiva as experimentações artísticas, viabiliza e organiza oficinas, seminários, workshops, eventos culturais e grupos de estudos relacionados à produção artística com intuito de mapear e incentivar não somente a produção, mas a pesquisa e a capacitação dos atores envolvidos, tendo como público-alvo prioritário a juventude.

    Elisa Maia
    Elisa Maia | Foto: Karen Francis/Divulgação

    O Festival também tem o fundamental apoio da Secretaria de Estado de Cultura do Amazonas (SEC-AM), Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos – Manauscult, Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer – Semjel, banca Todas São Manas e Coletiva Banzeiros Feminista.

    PROGRAMAÇÃO FESTIVAL SOMAS 2019:

    Sexta-feira (26)

    19h às 21h _ Show de abertura do Festival Somas 2019

    Local: Teatro Gebes Medeiros (Av. Eduardo Ribeiro, 973, Centro)

    Atrações: Elisa Maia & Karen Francis / Lary Go & Strela / Gramophone

    Acesso: gratuito

    27/07 (sábado)

    Programação de formação e reflexão e Pocket Shows do Festival Somas 2019

    Local: Centro Cultural Palácio Rio Negro(Av. Sete de Setembro, 1546, Centro)

    Acesso: gratuito

    14h às 15h _ Painel ‘Mulher impressa: a representação do feminino’

    Facilitadora: Samara Nina (Mestranda no Programa de Letras e Artes – PPGLA/UEA, designer, atuando como design de livros na Editora Universitária da Universidade do Estado do Amazonas (UEA); pesquisando A Representação do Feminino em materiais editoriais).

    O painel terá como reflexão discutir a representação da mulher nos mais diversos veículos informacionais, frisando as representações equivocadas seja no sentido da sexualidade ou da sua inferiorização perante a figura masculina, tendo como base a cultura imposta por um modelo patriarcal, levando em conta o contexto histórico e a luta pela independência feminina.

    15h às 16h _ Oficina – Currículo e Portfólio Artístico

    Facilitadora: Tita Virgílio (Diretoria de Cultura da Fundação MANAUSCULT, onde atua como Gerente de Projetos Especiais e é Conselheira Municipal de Cultura (CONCULTURA)

     A oficina propõe uma abordagem objetiva e participativa sobre como as artistas e produtoras poderão organizar seus currículos e portfólios artísticos, de acordo inclusive com padrões jurídicos, que atendam a critérios de avaliação em editais públicos e privados.

    16h às 18h _ Oficina – Pitchings: fale sobre seu projeto em 10 minutos

    Facilitadora: Juliana Teles (Co-empreende o Impact Hub Manaus e é co-fundadora do projeto Banho do Bem. Formada em Jornalismo pela UFAM, desenvolveu suas habilidades e visão de mundo ao ser presidente da AIESEC Manaus, gerente de projetos sociais da AIESEC no Brasil).

    “Defesa oral” de uma determinada ideia é a tradução mais comum para a palavra pitching. Em duas horas de oficina a empreendedora criativa Juliana Teles, com uma abordagem dinâmica e participativa, pretende treinar artistas e produtoras para falarem de maneira sintética e interessante sobre seus projetos. O formato de apresentação oral, ou defesa oral de projeto, já é amplamente utilizada no cenário artístico-cultural, principalmente para captação de recursos.

    18h às 19h _ Roda de conversa – Tecendo redes de cuidado entre mulheres

    Facilitadora: Andreza Costa (psicóloga e mestra em Processos Psicossociais). Atriz no Grupo Garagem, integrante da Coletiva Banzeiro Feminista e da Rede Fulanas – Negras da Amazônia Brasileira (NAB).

    Vivência de autocuidado com foco numa reflexão social crítica enfatizando a influência dos sistemas hegemônicos na nossa saúde. A vivência possui o objetivo de construir estratégias de cuidado de maneira coletiva e de fortalecer a rede de apoio entre as manxs, compartilhando nossas práticas de cuidado realizadas no cotidiano.

    19h às 21h _ Pocket Shows

    Atrações: Trialis / Natty dos Anjos / Catarina / Olívia de Amores

    Leia mais: 

    Dia do Escritor: livros que mudaram o mundo

    Venezuelanos são atração na Ponta Negra vestidos de Mickey e Minnie

    Rutger Hauer, ator de 'Blade Runner', morre aos 75 anos

    Comentários