Fonte: OpenWeather

    Dia Internacional da Mulher


    Vozes feministas que brilham no Amazonas

    As artistas amazonenses Márcia Siqueira, Lucilene Castro e Márcia Novo abrem espaço para novas mulheres no gênero musical

    Lucilene Castro, Márcia Siqueira e Márcia Novo se consolidaram como grandes ícones do gênero musical nortista | Foto: Divulgação

    Manaus - Após décadas de protagonismo masculino, mulheres vêm conquistando espaço artístico e, principalmente, na Música Popular Amazonense (MPA) e nas toadas de boi-bumbá. As amazonenses Márcia Siqueira, Lucilene Castro e Márcia Novo são artistas que receberam o dom da música e, com muita dedicação e profissionalismo, solidificaram-se como grandes ícones do gênero musical nortista.

    A brilhante cantora e intérprete Lucilene Castro conta que não se recorda exatamente do dia em que decidiu fazer música.

    “Eu não tenho uma data fixa. As coisas fluíram naturalmente. Lembro que sempre gostei de música, comecei a cantar e me envolver com pessoas com gostos em comum. Foi um curso natural. Como profissional, tenho 25 anos de carreira, mas já canto há mais tempo que isso. Se for para dizer em números, gravei meu primeiro CD chamado ‘Vento Norte’ em 1997. Álbum composto por diversas toadas”, comentou Lucilene.

    Lucilene Castro possui uma carreira de mais de 25 anos
    Lucilene Castro possui uma carreira de mais de 25 anos | Foto: Divulgação

    Questionada sobre a definição do estilo musical a qual pertence, Lucilene conta que, por ser intérprete, não se limita a um gênero da música.

    “Assim como a atriz está para as artes cênicas, a intérprete está para a música. Como intérprete, eu posso me desenvolver e interpretar diversos papeis. Dar voz a diversos gêneros. Isso me permite ser um pouco mais eclética. Cantar aquilo que eu gosto, aquilo que me faz bem”, contou a intérprete.

    Colega de profissão e parceira de trabalhos de Lucilene, a “Rosa Vermelha” do Garantido, Márcia Siqueira, explica que não considera a atividade de cantar como uma profissão e sim, como uma vocação.

    “A música não surgiu em minha vida. Acredito que cada um de nós tem uma missão na Terra. Eu não escolhi trabalhar como música. Eu fui escolhida pela música. Lembro de já desempenhar os primeiros passos no canto aos quatro anos de idade. Já profissionalmente, acredito comecei a realizar meus primeiros trabalhos aos 15 anos e, desde lá, venho cada vez mais me dedicando a isso. Nós sabemos que ser artista independente da Região Norte é algo desafiador, o que faz cada vitória ter um sabor diferente”, explicou Márcia.

    Márcia Siqueira é chamada de 'Rosa Vermelha' do Garantido
    Márcia Siqueira é chamada de 'Rosa Vermelha' do Garantido | Foto: Leonardo Mota

    Durante sua trajetória como artista e como mulher, Márcia Siqueira recorda dos desafios em que enfrentou no início da carreira.

    “Não foi fácil. Tive algumas dificuldades no começo. Os desafios que encontrei no caminho me encorajaram para levantar luta e conquisto o espaço. Mulher, mãe, empresária, dona de casa e artista foram papeis que tive que exercer ao mesmo tempo e ainda resistir em um meio onde encontrei muitos empecilhos para me fazer desistir. A mulher que canta em casas noturnas, por exemplo, infelizmente, está submetida a um ambiente de violência contra ela própria”, ressaltou Siqueira.

    Assim como Lucilene e Siqueira, outra mulher que resistiu e ainda levanta voz no Amazonas é a parintinense Márcia Novo. A artista relembra que começou a cantar também aos 15 anos por incentivo de familiares e amigos. Márcia conta também que, apesar de todos estes desafios, a mulher tem conquistado cada vez mais o seu espaço no boi-bumbá – gênero comum entre as três artistas.

    “As pessoas do Norte ainda têm uma visão patriarcal cultural. Estamos um pouco atrasados em relação a isso. Mas A mulher está aí a cada dia quebrando paradigmas. As pessoas às vezes acham que só o homem é capaz de executar determinadas tarefas. Quando entramos na seara da nossa cultura, que é o boi-bumbá, lembro quando eu comecei a cantar boi, e a Márcia Siqueira também. Os comentários maldosos de homens dizendo que mulher não era para cantar boi-bumbá e que não tinha voz para cantar boi. São coisas que surgem da cabeça dos outros e as pessoas absorvem essas não-verdades. A gente como mulher passa isso que estamos com um processo de mudança”, comentou Novo.

    Projetos futuros

    Lucilene aproveitou o momento para contar que ela e Márcia Siqueira foram aprovadas no Edital de Conexões Culturais, onde apresentarão o novo projeto da dupla chamada “Desafio das Cores”. Ambas apresentarão um espetáculo no dia 14 de junho, no Teatro Amazonas.

    “Vamos continuar todo o projeto que já começamos em 2017 sobre toadas de boi-bumbá, que já trabalhamos há algum tempo. Fazer um show com nós duas cantando Garantido e Caprichoso, dois videoclipes com a direção da Cristiane Garcia e a gravação de um EP com quatro músicas, duas de cada boi”, anunciou Lucilene.

    Siqueira Lucilene anunciaram o novo projeto chamado 'Desafio das Cores'
    Siqueira Lucilene anunciaram o novo projeto chamado 'Desafio das Cores' | Foto: Divulgação

    Siqueira também contou que, apesar dos inúmeros projetos em parceria com diversos artistas, no ano de 2020 quer desenvolver um trabalho solo e que será lançado ainda este ano.

    Márcia Siqueira planejar lançar um trabalho solo de MPA
    Márcia Siqueira planejar lançar um trabalho solo de MPA | Foto: Divulgação

    A xará de Siqueira, Márcia Novo anunciou para o EM TEMPO, que está em projeto de lançamento do seu mais novo EP chamado “Eletroboi” – uma coletânea que mistura toadas antigas com uma mixagem de pop eletrônico.

    “É um trabalho de contemporização de toadas de boi-bumbá misturadas com beats eletrônicos. Fizemos uma visita ao acervo musical da década de 90, resgatamos algumas músicas e buscamos propor novas músicas repaginadas com uma pegada superpop. Vou lançar no dia 19 de abril e estamos a todo vapor. Gravamos um videoclipe no início do ano e já vamos gravar mais um ainda este mês”, anunciou Novo.

    Márcia Novo lançará este ano o mais novo EP chamado 'Eletroboi'
    Márcia Novo lançará este ano o mais novo EP chamado 'Eletroboi' | Foto: Divulgação

    Resistência feminina

    E, para as mulheres que almejam e se inspiram nos trabalhos de cada uma. Lucilene conta que perseverança é o principal mantra. “Devemos acreditar naquilo que estamos fazendo. Consultar, perguntar, se espelhar em pessoas que você admira. Se juntar com outras pessoas que tem o mesmo objetivo é agregador para o crescimento como artista”, aconselhou Lucilene.

    Conselho reforçado por Márcia Siqueira. “Eu acho que o primeiro ponto de partida é acreditar que você pode. O empoderamento é necessário para qualquer mulher e principalmente para mulher que é artista. Acreditar no seu potencial que ela pode e desbravar todos os desafios que vão surgindo”, acrescentou Siqueira.

    Somando a isso, Márcia Novo conta que, apesar das dificuldades que possam surgir, ou de situações que possam desencorajar, a resposta é “resistir”.

    Márcia Novo orienta que as jovens mulheres a não desistir
    Márcia Novo orienta que as jovens mulheres a não desistir | Foto: Divulgação

    “Tem que botar para cima, se empoderar. Não abaixar a cabeça. Temos que ter confiança e acreditar no nosso trabalho. O machismo sempre vai acontecer. Até que conseguimos sanar vai demorar muito ainda. Estamos em um processo de desenvolvimento cultural. A dica que eu dou é insista, persista, resista, mas não desista”, finalizou Novo.

    Comentários