Fonte: OpenWeather

    Filmes


    Estudo revela que fãs de terror estão mais adaptados para a quarentena

    O experimento mostrou que ao assistir esses filmes, a mente prepara um 'plano de fuga' para sair das situações que despertam o instinto de sobrevivência

    Uma prova de que as pessoas querem se sentir seguras ou preparadas em situações que não é familiar e que no começo da pandemia do novo coronavírus  o filme Contágio de 2011 foi o mais assistindo na Netflix
    Uma prova de que as pessoas querem se sentir seguras ou preparadas em situações que não é familiar e que no começo da pandemia do novo coronavírus o filme Contágio de 2011 foi o mais assistindo na Netflix | Foto: Reprodução

    Os fãs de filmes de terror estão mais preparados ou menos pessimistas sobre a pandemia da Covid-19. Um estudo realizado no Estados Unidos e na Dinamarca reuniu 310 voluntários, que foram analisados por  cientistas. Eles perceberam que as pessoas que assistiam esses filmes estavam mais preparadas mentalmente para esse momento. O motivo é que assistindo esse tipo de conteúdo, a mente forma uma espécie de plano de sobrevivência para fugir do perigo.

    Essa sensação termina sendo prazerosa por se tratar de um esforço mental, que dura até o final do filme, mas que a pessoa, conscientemente, sabe que não teve um perigo real. Comparados ao público que não assiste esse tipo de produto, como filmes que mostram os apocalipses de zumbis, invasões alienígenas ou de sobrevivência, os cinéfilos -  que mesmo com medo consomem esse nicho - acabam por prever as situações e encontram válvulas de escape para a ansiedade ou o medo.

     "Se o filme é bom, você toma a perspectiva dos personagens, então está involuntariamente ensaiando aqueles cenários”, explicou o psicólogo Coltan Scrivner, da Universidade de Chicago, um dos responsáveis pelo estudo, ao jornal britânico Guardian.

    Uma prova de que as pessoas querem se sentir seguras ou preparadas em situações que não são familiares e que, no começo da pandemia do novo coronavírus, o filme Contágio de 2011 foi o mais assistindo na Netflix. Outro sucesso de público foi o documentário Pandemia. Os streamings acreditam que essa procura se deve justamente ao fato da pessoa buscar ver aquilo que tem medo ou curiosidade.

    *Estagiário sob a coordenação da editora Bruna Souza

    Leia mais:

    Netflix anuncia última temporada de 'O Mundo Sombrio de Sabrina'

    Academia responsável pelo Oscar anuncia 819 novos membros

    Mulher Maravilha vai ganhar um filme derivado focado nas Amazonas 

    Comentários