Fonte: OpenWeather

    LIVE NA QUARENTENA


    Zezé Motta e Maria Fernanda Cândido falam sobre Clarice Lispector

    Bate-papo ocorrerá em live na próxima segunda-feira (21) às 18h

    | Foto: divulgação

    | Foto: divulgação

    Manaus - Considerada uma das maiores escritoras do Brasil, ela foi romancista, contista, cronista, tradutora e jornalista. Clarice Lispector se estivesse viva, faria 100 anos neste ano de 2020. O centenário da escritora será o tema da live de duas grandes atrizes brasileiras: Zezé Motta e Maria Fernanda Cândido.

    Com mais de 50 anos de carreira, ícone da cultura brasileira, Zezé Motta além de grande admiradora da escritora vive há quase uma década no apartamento em que morou Clarice por muitos anos, no bairro do Leme, na Zona Sul do Rio.

    Já Maria Fernanda Cândido, uma das atrizes de maior sucesso no Brasil, à frente de inúmeros personagens marcantes na TV, teve um papel recente no filme “A Paixão Segundo G.H”, dirigido por Luiz Fernando Carvalho, a partir do livro homônimo de Clarice Lispector, publicado em 1964. Além de conexões com a escritora, Zezé e Maria Fernanda se declaram fãs das obras de Lispector.

    O bate-papo “Falando de Clarice” acontecerá na próxima segunda-feira (21), às 18h, e poderá ser visto pelo perfil das atrizes (@mariafernandacandidooficial e @zezemotta).

    "Não escrevo para fora, escrevo para dentro". Assim a escritora Clarice Lispector (1920-1977) explicava sua literatura.

    Sobre Zezé Motta:

    Ícone negro da cultura brasileira, foi pré-indicada ao Nobel. De mil mulheres a quem o prêmio resolveu prestar homenagem, 33 foram do Brasil e Zezé esteve entre elas. Onde ela vai parar, ninguém sabe. Zezé Motta é a rainha negra do Brasil. A mulher da pele preta que enfrentou a ditadura desse país livre e nua. É uma atriz de dar orgulho. Sua voz poderosa ecoa na história da música brasileira há muito tempo desde os antigos anos setenta. É uma figura respeitada da música, televisão e cinema, em suma, Zezé é incansável. Cantora, atriz, mãe de seis filhos, ativista. Cinquenta anos de carreira. São 14 discos, 36 novelas e mais de 50 filmes. Impossível não se orgulhar. Não apenas pelos números. Mas também por sua história de luta. Esta é Zezé Motta.

    Maria Fernanda Cândido

    São 25 anos de carreira dedicados à arte. A atriz já esteve à frente de inúmeros papéis marcantes. É um dos nomes de maior sucesso no Brasil e se destaca por seu talento, elegância e papéis que marcam gerações! Nos cinemas recebeu o Kikito de Melhor Atriz no Festival de Gramado por sua interpretação em Dom, em que viveu Ana, em 2003. Também esteve em Sal de Prata, Meu Amigo Hindu, dirigido por Hector Babenco e O Traidor, de Marco Bellocchio, que esteve na seleção oficial do festival de Cannes e venceu o David Di Donatello, considerado o Oscar Italiano. Por seu papel no longa Maria Fernanda recebeu o prêmio Kinéo, de melhor atriz, em Veneza, e o Prêmio das Nações, na Sicília.

    Seu mais recente trabalho na televisão foi vivendo a Joyce, de A Força do Querer, novela que bateu recordes de audiência na Globo. Com personalidade forte e opiniões contundentes, a personagem foi um dos destaques da trama. Anteriormente esteve na série Capitu. A atriz se destaca também por seu trabalho à frente da Casa do Saber, uma das instituições de cultura mais importantes do país.

    Leia mais:

    Vídeo: Musa, o museu de imersão na floresta amazônica

    Web TV Em Tempo lança programa Amazonpedia

    Arte urbana: Grafite em vias públicas iluminam cotidiano em Manaus

    Veja também


    Comentários