Fonte: OpenWeather

    Dia dos Pais


    Comida de pai: quando a habilidade gastronômica também está no DNA

    Chefes de cozinha revelam tradição de pai para filho e dão dicas de pratos e receitas para os filhos que querem surpreender os pais

    Chefs de cozinha revelam tradição repassada de pai para filho na gastronomia | Foto: Divulgação e Lucas Silva

    Manaus - Quando são pequenos, os filhos têm nos pais o maior exemplo a seguir. Eles repetem gestos e palavras, sempre buscando serem iguais àqueles que os inspiram. E até mesmo carregam heranças com valores inegociáveis como as receitas de família. É o caso do Marcos Silva, descendente de português e desde muito novo, aprendeu a tradição de fazer bacalhau na brasa com seu pai.

    Marcos, que também é proprietário do Calçada Alta, estabelecimento com 31 anos de tradição, conta que seus pais sempre foram inspiração para ele. Ele revela que aprendeu a cozinhar aos 10 anos com seus pais.

    “As duas receitas que aprendi com meu pai foi o bacalhau na brasa e a omelete de queijo com presunto. Meu pai sempre teve um cuidado com os clientes. Lembro que ele tirava a pele do pimentão com muito cuidado para não causar acidez na comida”, lembra.

    Com lágrimas nos olhos e a voz embargada, Marcos revela a gratidão de seguir a tradição da família. “São cinco anos que meus pais se foram. E fico muito emocionado em falar deles e do que me ensinaram. Sou muito grato ao homem que sou hoje. Meu pai tinha princípios e valorares morais. Ele tinha força de trabalho, empenho e sempre íntegro. Queria ser pelo menos 70% do que ele foi. Um cara aguerrido e que cuida da família”.

    Marcos fica sempre emocionado em falar dos seus pais
    Marcos fica sempre emocionado em falar dos seus pais | Foto: Arquivo Pessoal

    Marcos conta que aprendeu a cozinhar apenas olhando os seus pais a cozinharem e que daí surgiu a paixão pela gastronomia. Ele ainda acrescenta que não se troca por outro chefe de cozinha.

    “Tenho que manter a tradição e o legado dos dois. E digo que hoje eu não vendo só comida, mas a experiência. Gosto de receber os elogios dos clientes e de saber que eles estão se sentindo bem em comer aquilo”, ressalta.

    Marcos Silva, proprietário do Calçada Alta  e suas filhas
    Marcos Silva, proprietário do Calçada Alta e suas filhas | Foto: Lucas Silva

    O Calçada Alta é totalmente familiar. Trabalham no negócio a esposa de Marcos, Kelry Simões e os dois filhos: Natália e Matheus Silva. O prato que mais sai no estabelecimento é o filé alto acebolado. O restaurante tem uma mistura da culinária brasileira, especificamente amazonense junto com a portuguesa.

    Calçada Alta é um restaurante totalmente familiar
    Calçada Alta é um restaurante totalmente familiar | Foto: Lucas Silva

    Em seguida, confira a receita do Marcos, o bacalhau na brasa, tradição de pai.

    Bacalhau na brasa do Calçada Alta
    Bacalhau na brasa do Calçada Alta | Foto: Lucas Silva

    Bacalhau na brasa (serve 2 pessoas)

    Ingredientes

    - 500 gramas de lombo de bacalhau;

    - 2 batatas portuguesas;

    - 1 cebola grande;

    - Sal a gosto

    Modo de preparo

    Tempere o lombo com bastante azeite e alho a gosto. Coloque na brasa com fogo brando e com distância média da chama virando por todos os lados até que fique dourado. Cozinhe a batata cortada ao meio e fatie a cebola em fatias bem fina e depois é só empratar.

    “Todos tinham que sentar na mesa para comer juntos”

    Mansur Seffair Neto e o seu filho
    Mansur Seffair Neto e o seu filho | Foto: Divulgação/ Filet do Chef

    Outro pai que também segue tradição de receita de família é o Mansur Seffair Neto, proprietário do Filet do Chef. Descendente de libaneses, Mansur aprendeu receitas como quibes, tabule, esfirras, lentilha e outros quitutes com seus avós paternos.

    “Eu fui criado pelos meus avós paternos. Meus pais se separaram eu tinha 11 anos. E os dois eram médicos. E médico não tem tempo para criar filhos. A casa era comida do início ao fim do dia. Sempre tinha algo gostoso saindo do forno e ai de ti se não comesse”, revela.

    Mansur herdou os temperos tradicionais dos seus avós e da sua mãe. O cardápio da família era bem rigoroso de segunda a sexta. Seffair conta que era tradição todos comerem na mesa. “Tínhamos os costumes de comer sempre na mesa e ai de quem não estivesse. A mesa ela une a família”.

    O pai de Mansur e seus avós não estão mais vivos, mas ele dedica uma mensagem nesta data especial. “Só me resta saudade. Mas somente tenho motivos para agradecê-los. A pessoa que eles me forjaram. Cada ralho e cada palmada valeu a pena. Aos dois eu digo muito obrigado. E a saudade é enorme”.

    Nascimento de uma tradição

    O chefe de cozinha que também é economista, a convite da tia, foi estudar gastronomia na Fametro. Em seguida fez uma pós-graduação na mesma Instituição. Depois começou a ministrar aulas no local e de lá, a pedido de muitas pessoas, nasceu o Filet do Chef, que atualmente é um delivery, mas que muito em breve lançará sua unidade física. 

    Dicas de pratos

    A dica do chef Mansur para os filhos que querem surpreender os pais com um almoço especial neste domingo são os pratos que envolvem a culinária amazônica como o pirarucu à casaca e o pato no tucupi.

    “A culinária amazônica é riquíssima. Ela é genuinamente brasileira. E temos aqui muitos ingredientes que testamos e ousamos com ingrediente bem inusitados. Já testei açaí com carne, por exemplo”, revela.

    A receita que o chef vai ensinar é o strogonoff de file mignon. Considerado por ele super fácil de fazer. Confira a receita!

    Strogonoff de Filé Mignon feito pelo Filet do Chef
    Strogonoff de Filé Mignon feito pelo Filet do Chef | Foto: Divulgação/ Filet do Chef

    Strogonoff de Filé Mignon (Serve 2 Pessoas)

    Ingredientes:

    - 300g de Filé Mignon Cortado em Cubos de 3cm;

    - 30g de Cebola bem Picada;

    - 2 Dentes de Alho bem Picados;

    - 100 ml de Conhaque;

    - 20g de Ketchup - 10g de Molho de Mostarda Amarela;

    - 2 Caixas de 200g de Creme de Leite;

    - 50g de Cogumelo Paris (Champignon), cortados bem finos;

    - Molho Shoyu;

    - Sal à Gosto;

    - Óleo de Soja.

    Modo de Preparo

    Tempere a Carne com o Molho Shoyu, sal e alho (cuidado com o sal, pois o molho shoyu já é salgado) o Molho Shoyu é para a Carne ganhar cor rapidamente e ajudar, também, na coloração final do Strogonoff. Não ponha muito, senão a carne vai cozinhar em vez de fritar.

    Em uma Frigideira de aproximadamente 30 a 40 cm de diâmetro, despeje um pouco de Óleo de Soja. Coloque em fogo alto e deixe ficar bem quente. Despeje a cebola. Quando a cebola chegar no ponto de refogado (ficar transparente), despeje toda a carne e comece a dourar a mesma. É importante que a cebola não queime, pois, a coloração final é clara. Vice certamente não gostaria de ver pontinhos pretos na sua obra de arte. Quando a Carne ganhar coloração (não precisa estar bem passada), retire a frigideira do fogo e, distante do fogão, despeje o conhaque.

    Vamos flambar?

    Despeje Agora os Cogumelos cortados em Lâminas. Vá até a ‘boca’ onde o fogo está aceso (chama alta) com a frigideira e LEVEMENTE vire a parte do meio dela em direção ao fogo. Isso fará com que o conhaque entre em contato com o fogo e incendeia. Não vá se assustar, por favor. Isso é a flambagem!

    Depois que a chama cessar, coloque em fogo baixo. Despeje o creme de leite, o Ketchup e a Mostarda. Misture bem, até ganhar uma coloração homogênea. Teste o sal. Se precisar coloque um pouco mais. Quando seu Strogonoff estiver cremoso, é o momento de apagar o fogo e pronto. Você Fez um Strogonoff!

    Sirva com arroz branco e batata palha. Pode ser a de saquinho, mas de batata de verdade é bem melhor

    Leia Mais

    Segunda Sem Carne: Chef ensina a fazer Strogonoff de Beringela

    Sexta Cultural do Calçada retorna suas apresentações adaptadas

    Comentários