Fonte: OpenWeather

    Música


    Legião Urbana: filme 'Eduardo e Mônica' ganha prêmio internacional

    A faixa conta uma história de amor entre Eduardo, um jovem de 16 anos, e Mônica, mais velha e já estudante universitária, sendo os dois bens diferente um do outro

    Eduardo e Mônica revisita o romance dos jovens na cidade de Brasília nos anos 1980
    Eduardo e Mônica revisita o romance dos jovens na cidade de Brasília nos anos 1980 | Foto: Divulgação

    O filme Eduardo e Mônica, o clássico do Legião Urbana, composta por Renato Russo e lançado no álbum “Dois” de 1986, precisou atrasar sua estreia por conta da pandemia de Covid-19. Mas não foi um ano perdido para a produção, pois o filme venceu a categoria de Melhor Filme Internacional do Festival de Edmonton, no Canadá, no último domingo (4).

    Durante o festival, Eduardo e Mônica foi exibido em cinema no Canadá, país em que a situação já está melhor, em um dos poucos festivais presenciais deste ano. Porém, a própria equipe de produção do longa só ficou sabendo que o filme conquistou um prêmio por e-mail.

    O diretor René Sampaio acredita que uma vitória como esta pode ajudar na promoção da cultura brasileira em sua pluralidade. O famoso casal é interpretado pela veterana Alice Braga e Gabriel Leone. O elenco conta também com outros nomes conhecidos como Fabricio Boliveira, Otavio Augusto e Victor Lamoglia.

    Eduardo e Mônica revisita o romance dos jovens na cidade de Brasília nos anos 1980. A faixa fez um enorme sucesso na época de seu lançamento e contou com a produção de Mayrton Bahia.

    O filme tinha estreia marcada para o dia dos namorados, data extremamente simbólica para uma história de amor como a deste casal. E para o diretor René Sampaio, só faz sentido que o filme estreie agora quando for possível aglomerar novamente.

    | Foto: Divulgação

    A faixa conta uma história de amor entre Eduardo, um jovem de 16 anos, e Mônica, mais velha e já estudante universitária, sendo os dois bens diferente um do outro.

    É através da exploração das personalidades opostas dos protagonistas que o longa pretende capturar a essência da música: um romance que triunfa, apesar das adversidades. Assim como nos versos, Eduardo joga botão; já Mônica, 25 anos, estuda medicina e gosta do mundo das artes. Aliás, sua bota e moto fazem referências a Van Gogh e Bauhaus, respectivamente. O diretor de arte Tiago Marques, da franquia “Tropa de elite”, quis entranhar na cenografia alusões aos universos particulares das duas metades do casal.

    Faroeste Caboclo, filme de 2013 inspirado em outra música do Legião Urbana, também foi dirigido por Sampaio. O longa conquistou 7 prêmios no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.

    Confira a letra da música!

    Quem um dia irá dizer

    Que existe razão

    Nas coisas feitas pelo coração?

    E quem irá dizer

    Que não existe razão?

    Eduardo abriu os olhos, mas não quis se levantar

    Ficou deitado e viu que horas eram

    Enquanto Mônica tomava um conhaque

    No outro canto da cidade, como eles disseram

    Eduardo e Mônica um dia se encontraram sem querer

    E conversaram muito mesmo pra tentar se conhecer

    Um carinha do cursinho do Eduardo que disse

    "Tem uma festa legal, e a gente quer se divertir"

    Festa estranha, com gente esquisita

    "Eu não 'to legal, não aguento mais birita"

    E a Mônica riu, e quis saber um pouco mais

    Sobre o boyzinho que tentava impressionar

    E o Eduardo, meio tonto, só pensava em ir pra casa

    "É quase duas, eu vou me ferrar"

    Eduardo e Mônica trocaram telefone

    Depois telefonaram e decidiram se encontrar

    O Eduardo sugeriu uma lanchonete

    Mas a Mônica queria ver o filme do Godard

    Se encontraram então no parque da cidade

    A Mônica de moto e o Eduardo de camelo

    O Eduardo achou estranho, e melhor não comentar

    Mas a menina tinha tinta no cabelo

    Eduardo e Mônica era nada parecidos

    Ela era de Leão e ele tinha dezesseis

    Ela fazia Medicina e falava alemão

    E ele ainda nas aulinhas de inglês

    Ela gostava do Bandeira e do Bauhaus

    De Van Gogh e dos Mutantes, de Caetano e de Rimbaud

    E o Eduardo gostava de novela

    E jogava futebol de botão com seu avô

    Ela falava coisas sobre o Planalto Central

    Também magia e meditação

    E o Eduardo ainda tava no esquema "escola, cinema

    Clube, televisão"

    E mesmo com tudo diferente, veio mesmo, de repente

    Uma vontade de se ver

    E os dois se encontravam todo dia

    E a vontade crescia, como tinha de ser

    Eduardo e Mônica fizeram natação, fotografia

    Teatro, artesanato, e foram viajar

    A Mônica explicava pro Eduardo

    Coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar

    Ele aprendeu a beber, deixou o cabelo crescer

    E decidiu trabalhar

    E ela se formou no mesmo mês

    Que ele passou no vestibular

    E os dois comemoraram juntos

    E também brigaram juntos, muitas vezes depois

    E todo mundo diz que ele completa ela

    E vice-versa, que nem feijão com arroz

    Construíram uma casa há uns dois anos atrás

    Mais ou menos quando os gêmeos vieram

    Batalharam grana, seguraram legal

    A barra mais pesada que tiveram

    Eduardo e Mônica voltaram pra Brasília

    E a nossa amizade dá saudade no verão

    Só que nessas férias, não vão viajar

    Porque o filhinho do Eduardo 'tá de recuperação

    Ah! Ahaan!

    E quem um dia irá dizer

    Que existe razão

    Nas coisas feitas pelo coração?

    E quem irá dizer

    Que não existe razão!

    Confira o trailer do longa!

    | Autor:
     

    Leia mais:

    Corpo de Dança do Amazonas reapresenta ‘Solatium’, no Teatro Amazonas

    Banda amazonense Doral lança single ‘Desaguar’

    Escritora amazonense Myriam Scotti lança o livro ‘Mulheres Chovem’

    Comentários