Fonte: OpenWeather

    Gibis


    Quadrinhos 'Khalil', produzidos em Manaus, recebem atenção no Egito

    Produção de Malika Dahil e Eunuquis Aguiar com roteiro de Romahs Mascarenhas, ''Khalil'' chegou até a imprensa do Egito

     Malika Dahil e Eunuquis Aguiar com os quadrinhos ''Khalil''
    Malika Dahil e Eunuquis Aguiar com os quadrinhos ''Khalil'' | Foto: Divulgação

    Manaus – Os quadrinhos infantis ‘’Khalil’’, produção da marroquina Malika Dahil e do brasileiro Eunuquis Aguiar, com roteiro de Romahs Mascarenhas, chegaram até o Egito. O jornal Zaman Al-Masri publicou uma matéria recheada de elogios ao trabalho com origens amazonenses.

    Na publicação do Egito, o jornal descreve os quadrinhos ‘’Khalil’’ como ‘’um jeito bem divertido de ensinar que todo mundo é igual, independente da religião’’.

    Khalil, o personagem principal que dá nome à obra, é um menino brasileiro, que gosta de jogar futebol com os amigos e tem descendência árabe. Muçulmano, ele pratica a fé com amor, mas nem todo mundo ao seu redor consegue entender a religião.

    Com sete edições publicadas, cada obra expõe um assunto diferente e importante sobre a religião e cultura islâmica.

    "Nós ficamos realmente felizes com essa publicação. Ter nosso trabalho no mundo árabe é fruto de muito trabalho, um trabalho que há tempos buscamos aprimorar. Cada dia, vamos aperfeiçoando e pesquisando mais e mais, como melhorar o traço, como dar uma cor mais jovial’’, afirmou Eunuquis Aguiar.

    Religião islâmica

    Capa da primeira edição de ''Khalil''
    Capa da primeira edição de ''Khalil'' | Foto: Divulgação

    Na publicação do jornal Zaman Al-Masri, a matéria pontua ainda temas que os quadrinhos enfocam, como a essência da religião islâmica, o combate à islamofobia, a chegada dos muçulmanos ao Brasil e a importância de ajudar o próximo.

    "A Malika é muçulmana e eu sou cristão, mas isso é somente um detalhe para nós. Com esses quadrinhos, a mensagem que buscamos passar, e que esperamos que alcance o máximo de pessoas possível, é sobre amor e aceitação’’, ressaltou Eunuquis.

    Publicada pela Federação das Associações Muçulmanas Brasil (FAMBRAS), que visa dar suporte às comunidades islâmicas do país e divulgar o verdadeiro Islã aos não muçulmanos, a arte educativa é produzida em Manaus, mas a distribuição ocorre na sede da Federação, em São Paulo.

    "Dessa forma, a gente não sabe realmente até onde nosso trabalho chega. Ás vezes, vai muito longe e nós não sabemos, e no processo de criação, também não pensamos em quão longe esses quadrinhos podem chegar’’, ponderou Eunuquis.

    ‘Khalil’ foi lançado durante a 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que ocorreu durante 2 a 12 de agosto de 2018 na capital paulista e, desde então, a equipe por trás da obra trabalha para dar continuidade ao projeto.

    "Gostamos muito de produzir esses gibis, e trabalhamos exatamente por isso. Apesar do público alvo ser crianças e pré-adolescentes, até pessoas adultas leem. Eu, particularmente, com meus quarenta e seis anos, gosto muito de quadrinhos’’, revelou Eunuquis.

    Nascida em Marrocos e radicada no Amazonas, a muçulmana e islamita Malika Dahil iniciou a proposta do trabalho, ao lado do marido Eunuquis Aguiar, para incentivar um diálogo com a sociedade sobre os estigmas colocados aos islamitas que moram no Brasil, e geralmente sofrem preconceitos pela escolha da religião que é erroneamente associada as práticas terroristas de homens bombas.

    “Khalil” mostra, de forma bem-humorada, que todos são iguais, independentemente da religião que professam.

    Leia mais:

    Ilustrador amazonense retrata queimadas no Pantanal em tirinhas

    'A Última Flecha' é indicada ao 'Oscar' dos quadrinhos no Brasil

    Conheça sebos que mantêm a literatura viva em Manaus

    Comentários