Fonte: OpenWeather

    Arte nas ruas


    Grafite ilumina paradas de ônibus do Centro de Manaus

    O projeto "Grafite é Arte" visa dar maior visibilidade para intervenções urbanas, além de promover melhorias em espaços públicos

    Antes e depois da intervenção artística | Foto: Divulgação

     

    Antes e depois da intervenção artística
    Antes e depois da intervenção artística | Foto: Divulgação

    Manaus - Quem precisa esperar pelo transporte coletivo nas paradas da avenida Getúlio Vargas, no Centro de Manaus, terá uma surpresa agradável a partir dos próximos dias. Através do projeto “Grafite é arte”, o Casarão de Ideias iluminou muros com o trabalho do duo parintinense Curuminz, formado por Alzyney Pereira e Kemerson Freitas.

    Oito pessoas trabalham de forma direta na realização da iniciativa, e além do grafite nos muros, as lâmpadas dos espaços foram trocadas e os bancos receberam pinturas. Revitalizando as paradas, o projeto também proporciona maior segurança aos usuários do transporte público durante a noite, tendo em vista as cores vibrantes utilizadas nas artes.

    “A gente viu quantas pessoas ficaram felizes com esse trabalho. Para alguns, pode não representar nada, mas para quem pega ônibus naquela parada, onde era escuro e não tinha segurança, é um outro ânimo. E esse é o papel da arte”, afirmou o diretor do Casarão de Ideias, João Fernandes.

     

    Grafites trazem figuras amazônicas
    Grafites trazem figuras amazônicas | Foto: Brayan Riker

    Até o momento, dois muros já foram pintados, totalizando 180 metros quadrados de paisagem grafitada na capital amazonense. Mais uma parada da avenida Getúlio Vargas também deve receber intervenção artística nas próximas semanas, aguardando somente autorização do proprietário do espaço.

    “Estamos aguardando a resposta do proprietário desse terceiro muro. Nossa ideia é ampliar a ação, mas sempre na área do Centro, até porque nos bairros, os coletivos já têm esse tipo de trabalho. E nós, no Centro, somos uma ‘coluna’ desse lugar”, explicou Fernandes.

    Segundo o diretor do Casarão de Ideias, a expectativa é que o projeto continue iluminando outras paradas por Manaus, e busca parcerias e patrocínios para tornar isso possível. Fernandes destaca, também, que a arte do Curuminz é voltada para o regionalismo, mas sem entrar no clichê.

     

    | Foto: Brayan Riker

    “Um deles já foi professor do curso de Artes Visuais da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em Parintins, e o outro é aluno. São pessoas que estão despontando com um trabalho autoral e falam do regional com um outro olhar”, ressaltou.

    A iniciativa “Grafite é Arte” recebe apoio do Concurso-Prêmio Manaus Conexões Culturais 2020 - Lei Aldir Blanc, promovido pela Prefeitura de Manaus e pelo Governo Federal.

    Inspiração 

    "

    As pessoas precisam entender que pichação é diferente de grafite, que ele tem outra ‘pegada’. A arte precisa estar na cidade e é importante fazer com ela que seja consumida por diversos olhares. Por isso escolhemos os muros das paradas de ônibus, para estarmos junto das pessoas "

    João Fernandes, diretor do Casarão de Ideias

     

    Um muro na rua Barroso foi o “pontapé” inicial desse projeto, informou Fernandes. “Ano passado, em janeiro, a gente fez uma ação aqui na frente do Casarão de Ideias. Era um muro que, na verdade, tinha um aspecto bem estranho, e a noite ficava bem pior, então pedimos autorização e pintamos”, contou.

     

    Duas paradas já receberam a arte urbana
    Duas paradas já receberam a arte urbana | Foto: Brayan Riker

    Com a resposta positiva dessa iniciativa, e com o impacto que as cores proporcionam no espaço, o diretor manteve a proposta de revitalização na mente.  

    “Não adianta o Casarão estar aqui, cheio de ações culturais, e o nosso entorno desfigurado. Então, a ideia começou aí, e com a Lei Aldir Blanc, a gente viu a possibilidade de ampliar”, avaliou.

    Educação

     

    Grafites são trabalho da dupla Curuminz
    Grafites são trabalho da dupla Curuminz | Foto: Brayan Riker

    Apesar dos pontos positivos que o grafite proporcionou nas áreas que receberam a arte, o projeto ainda enfrentou algumas dificuldades. Uma delas foi a poluição visual enquanto o primeiro muro era preparado.

    “Antes de fazer o grafite, a gente precisa preparar o muro. Descascar, fazer uma massa e pintar. Nesse intervalo, fomos surpreendidos com cartazes. É algo que infelizmente não temos como controlar”, lamentou.

    "

    E na verdade, a gente não sabe quanto tempo esse grafite vai durar, porque é uma questão educacional da população. Mas, a gente vai continuar insistindo, pois acreditamos que a arte pode vencer "

    João Fernandes, diretor do Casarão de Ideias

    Leia mais:

    'Museu de Arte de Rua' promove tour virtual em São Paulo

    Expedição Cultural beneficia mais de 260 pessoas em municípios do AM

    Arte urbana: Grafite em vias públicas ilumina cotidiano em Manaus

    Comentários