Fonte: OpenWeather

    Cultura


    Lenda amazônica será apresentada em vídeo para crianças no YouTube

    O projeto “Contando Lendas” foi realizado com recursos da Lei Aldir Blanc, por meio do prêmio Feliciano Lana

     

    João Pedro Taneda é o autor do projeto que foi contemplado pela Lei Aldir Blanc/Prêmio Feliciano Lana
    João Pedro Taneda é o autor do projeto que foi contemplado pela Lei Aldir Blanc/Prêmio Feliciano Lana | Foto: DIVULGAÇÃO/JOÃO PEDRO TANEDA

    Manaus (AM) - O projeto “Contando Lendas”, do produtor, cenógrafo e iluminador João Pedro Taneda, vai apresentar, em breve, o espetáculo “A Lenda da Cobra Grande”.

      “É um projeto que propõe a temporada, no YouTube, da encenação teatral infantil ‘A Lenda da Cobra Grande’. Assim, ao invés de levar as crianças ao teatro, o teatro é que será levado à casa das crianças”, afirma João Pedro.  

    O produtor artístico conta que “Contando Lendas” ainda não tem data para estrear, mas que falta pouco para o espetáculo ser exibido no seu canal no YouTube.

     

    João Pedro Taneda é o autor do projeto que foi contemplado pela Lei Aldir Blanc/Prêmio Feliciano Lana
    João Pedro Taneda é o autor do projeto que foi contemplado pela Lei Aldir Blanc/Prêmio Feliciano Lana | Foto: DIVULGAÇÃO/JOÃO PEDRO TANEDA

    Ele ressalta que, principalmente neste momento de pandemia da Covid-19, é importante manter as crianças em segurança, na proteção de seus lares.

      “Como a pandemia tem mantido as pessoas em isolamento, é preciso cuidar do estado mental de todos, sobretudo das crianças, por isso trazemos o lúdico e o sonho diante de um momento tão obscuro”.  

    Para ele é importante proporcionar às crianças, que não estão acostumadas a ficarem isoladas socialmente, momentos de alegria, entretenimento e encantamento. “Para isso, escolhemos este espetáculo, que reúne teatro, animação, narração de história e lenda amazônica”, explica o produtor.

    Recursos artísticos

     

    Na encenação, participam os atores Luzimar Santos e Denise Lima
    Na encenação, participam os atores Luzimar Santos e Denise Lima | Foto: DIVULGAÇÃO/JOÃO PEDRO TANEDA

    O mito é encenado por atores locais, que buscaram uma interpretação leve e divertida, contextualizando a história com diversas técnicas e recursos artísticos, como utilização de bonecos, músicas, brincadeiras e poesias.

      “É uma dramaturgia inspirada nos contadores de causos amazônicos. Esperamos que a peça tenha comunicação imediata com o expectador, principalmente os que conhecem a história, e que, ao assisti-la, se entusiasmem. Afinal, o trabalho envolve, além da arte da animação de bonecos, a coleta do lendário e da cultura popular do Amazonas. Assim, procuramos valorizar nossa cultura através de um dos contos mais transmitido de forma oral através dos tempos”.  

    Ficha técnica

    O espetáculo tem produção artística de João Pedro Taneda. A direção é de Narda Telles. Na encenação, participam os atores Luzimar Santos e Denise Lima. O material gráfico foi criado por Diego Lima.

    A divulgação nas plataformas digitais e nas redes sociais foi realizada por Arnoldo Chaves. A produção do vídeo ficou a cargo do designer e videomaker Brendo Balieiro.

     

    Na encenação, participam os atores Luzimar Santos e Denise Lima
    Na encenação, participam os atores Luzimar Santos e Denise Lima | Foto: DIVULGAÇÃO/JOÃO PEDRO TANEDA

    Currículo artístico

    João Pedro Taneda trabalha como produtor artístico desde 2006, quando passou a integrar a Associação Amazônia Arte-Mythos. Desde então tem atuado em diversas produções da companhia. Como produtor artístico e cenotécnico, trabalhou em: “Yawê, o Pequeno Peixe Boi” (2006), “Prometheu” (2006), “Cici e as Formigas” (2007), “Antígona” (2008), “Brincando em Cena” (2010), “Assembleia das Árvores” (2010), “A Menina e o Tempo” (2015), “A Incrível Viagem de Mariana” (2015) e “A Menina dos Brincos de Ouro” (2015).

    Também fez produção artística para os seguintes espetáculos: “Dona Chuva e Dona Selva Contra O Senhor Moto Serra (2009), “Lenda da Cobra Norato” (2012), “As Bacantes” (2013), na participação da peça “Medéia” (2014) na Mostra 10 Anos do Festival de Teatro da Amazônia e “A Menina e o Tempo” (2020). Em 2010, foi o realizador do projeto “Teatro para todos em Manaus” – Circulação de espetáculos na Rua – Prêmio Secretaria Municipal de Cultura.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Curupira, Boitatá e Boto: lendas amazônicas estampam mural em Manaus

    Bob Marley é homenageado por bandas amazonenses no Reggae Folia Lives

    Manaus debate importância da Semana de Arte Moderna de 1922

    Comentários