Fonte: OpenWeather

    Música e Teatro


    Espetáculo conta lendas e mitos amazônicos no Teatro Amazonas

    O espetáculo teatral e musical será exibido de forma virtual no canal do Youtube da Companhia Espatódea Trupe no sábado (29), às 20h

     

    Projeto surgiu de forma totalmente autoral
    Projeto surgiu de forma totalmente autoral | Foto: Wollace Scantelruy

    MANAUS – Com o conceito de preservar a memória afetiva da região Norte através das histórias que a população escuta desde criança - as lendas amazônicas e os mitos contadas pelos ribeirinhos, pais, tios e avós – o “Amazonas, o Maior Espetáculo do Brasil” sobe em um dos palcos mais conhecidos do mundo.

    O espetáculo teatral e musical será exibido de forma virtual no canal do Youtube da Companhia Espatódea Trupe no sábado (29), às 20h (horário de Manaus), diretamente do Teatro Amazonas.

      No enredo, o ribeirinho Raimundo Bodó é um pescador, inventor de histórias, pai de oito filhas e esposo da dona Generosa, com quem é casado há muitos anos. Ele recebe visitantes diariamente na comunidade onde mora e em um dia, três viajantes de um outro mundo chegam no lugar.  

    O pescador apresenta um pouco dos festejos, da culinária, do dialeto “Amazonês” e das lendas, que ele adora aumentar. As histórias contadas ganham vida através das intervenções musicais e coreográficas que são referências aos ritmos conhecidos da região, como as toadas de boi bumbá, carimbó, ciranda, forró e brega.

     

    “Amazonas, o Maior Espetáculo do Brasil” sobe em um dos palcos mais conhecidos do mundo
    “Amazonas, o Maior Espetáculo do Brasil” sobe em um dos palcos mais conhecidos do mundo | Foto: Wollace Scantelruy

    Dirigido por Árlisson Cruz e Emille Nóbrega, que são os fundadores da Espatódea Trupe Escola de Artes Cênicas, Companhia e Produtora Cultural, além de idealizadores e diretores do espetáculo, o projeto surgiu de forma totalmente autoral. O texto e as músicas foram escritos por Nóbrega.

    “Nesse momento de pandemia, onde fomos afetados emocionalmente também, é importante estimular o sentimento de afetividade, boas lembranças, e até matar um pouquinho a saudade de ver um espetáculo no Teatro Amazonas, sabe? Mesmo que o público não possa estar presente, mas que se sintam lá dentro ao nos ver apresentando para eles”, disse.

    O projeto tem apoio do Governo do Estado do Amazonas e Governo Federal, por meio do prêmio Feliciano Lana de Artes Cênicas 2020 – Lei Aldir Blanc de emergência cultural. Mais informações estão disponíveis no Instagram @amazonasomusical e @espatodeatrupe.am.

     

    Mais informações estão disponíveis no Instagram @amazonasomusical e @espatodeatrupe.am
    Mais informações estão disponíveis no Instagram @amazonasomusical e @espatodeatrupe.am | Foto: Wollace Scantelruy


    "

    É uma mistura que dá muito certo, enche os olhos e convida a gente que assiste a entrar naquela atmosfera. É encantador e contagiante. Acho que isso é uma característica muito forte da tradição cultural da região Norte em si. Principalmente nos grandes Festivais folclóricos, que atraem pessoas de todos os lugares "

    Emille Nóbrega, uma das diretoras do espetáculo

     

    Ficha técnica

     

    Mais informações estão disponíveis no Instagram @amazonasomusical e @espatodeatrupe.am
    Mais informações estão disponíveis no Instagram @amazonasomusical e @espatodeatrupe.am | Foto: Wollace Scantelruy

    No projeto, a dramaturgia, direção e músicas foram trabalho de Emille Nóbrega, enquanto a idealização e direção de produção é Árlisson Cruz. A direção musical foi por conta de Abenilson Fernandes e direção coreográfica de Stefanya Lima.

    Ediel Castro, Alan Jones, Nadja Hoyos, Yah Fernandes e Elton Nogueira formaram a banda e Márcio Braz cuidou da iluminação.

    No elenco, Rafael Albuquerque, Thiana Colares, Guilherme Bindá e Gabriel Soares interpretam os personagens ao lado dos bailarinos Will Lima, Larissa de Goes, Wilhan Santos, Juliana Oliveira, Raquel Menezes e Adam Souza.

     

    | Foto: Divulgação
    "

    A banda é composta por artistas, músicos, professores de voz, instrumentos, e eles tocam ao vivo. Os bailarinos são profissionais excelentes com muita experiência nas danças folclóricas, e os atores também possuem experiência com o teatro musical "

    Emille, diretora

     

    “Acho que essa propriedade que eles têm em falar, dançar, cantar e contar suas próprias histórias, falar da sua terra, das tradições, é que deixa tudo ainda mais real, emocionante e divertido”, finalizou.

    Leia mais:

    Orquestra de Câmara do AM relembra concerto ‘rOCkA’ em live

    Espetáculo 'Cabelos Arrepiados' estreia no fim de maio no YouTube

    Exposição é inaugurada no Centro Cultural Palácio Rio Negro

    Comentários