Fonte: OpenWeather

    Covers


    Projeto 'Home Arte' divulga últimas histórias de teatro musical

    O projeto chega ao fim neste mês junho, mas poderá ser acompanhado no canal de Clayson Charles no Youtube

     

    | Foto: Divulgação

    As aventuras do personagem Miguel de Cervantes e o canto de Elis Regina que reflete os tempos antigos e atuais são o pano de fundo dos famosos musicais “O Homem de La Mancha” e “Elis, A Musical”. Trechos das duas obras ganharam uma releitura feita pelo artista amazonense Clayson Charles, 32, no projeto “Home Arte”, que traz vídeos com covers de conhecidas produções do teatro musical no Brasil e no mundo.

    O projeto chega ao fim neste mês de junho, mas poderá ser acompanhado no canal de Clayson Charles no Youtube, onde os vídeos são publicados e permanecem disponíveis para visualização.

    Gravados no mês de abril, oito números foram postados na plataforma ao longo do mês de maio. Os dois vídeos restantes entram no ar nesta semana: o número “Sonho Impossível”, do musical “O Homem de La Mancha” foi publicado na nesta terça (1º), enquanto que o número “Como Nossos Pais”, do “Elis, A Musical”, entrará no Youtube neste sábado (5).

     

    O projeto chega ao fim no início de junho, mas poderá ser acompanhado no canal de Clayson Charles no Youtube, onde os vídeos são publicados e permanecem disponíveis para visualização
    O projeto chega ao fim no início de junho, mas poderá ser acompanhado no canal de Clayson Charles no Youtube, onde os vídeos são publicados e permanecem disponíveis para visualização | Foto: Ascom


    "

    Sonho Impossível’ fala sobre a realização dos sonhos, sobre lutar o inimigo cruel. Sobre clamar com a voz da justiça e chegar às estrelas do céu. É um número muito bonito e fala de sonhos neste momento tão difícil que estamos passando "

    Clayson Charles, que, além de atuar e cantar nas produções, também assina a direção geral do projeto.

     

    Já a música “Como Nossos Pais”, do cantor e compositor Belchior, foi eternizada na voz da cantora Elis Regina e entoada no musical sobre a vida da icônica artista. Por conta disso, Clayson fez questão de trazer esse número para o “Home Arte”.

    “Porque contava a história de uma realidade do Brasil, e hoje estamos contando essa mesma história em outro momento do nosso País. É muito bom resgatar esses clássicos da MPB. E a música é um mega desafio, pelo fato de ser interpretada pela Elis e dela deixar uma marca muito forte nesse clássico do Belchior”, destaca Charles, lembrando que o referido número foi o mais desafiador de todo o projeto.

     

    | Foto:

    Elementos

    A cenografia do “Home Arte” foi implementada nos cômodos de uma casa, para incentivar o público a fazer arte dentro do próprio lar nesse período de pandemia. “Nosso cenário é a sala, a cozinha, os quartos... o resto entra mais como adereçagem, onde o tecido vira uma estrela que representa um personagem, e um ou outro elemento lembra o musical que o personagem traz. É a mudança de transformar aquele ambiente no próprio teatro”, alega ele.

    No momento, de acordo com Clayson, o foco do projeto após o período de estreia segue sendo o audiovisual no meio virtual, mas com possibilidades de migração para o teatro.

    A repercussão do projeto - que fez versões de números como “Corações Infelizes”, do musical “A Pequena Sereia”; “Livre Estou”, do musical “Frozen”; e “Rato”, do grupo “Palavra Cantada” - foi excelente, de acordo com o artista.

    “As pessoas me mandam mensagens e dizem que maratonaram os vídeos... dizem que tiveram que assistir mais de uma vez, para entender o que eu realmente queria passar. Muitos colegas artistas meus falaram: ‘Cara, que bacana, agora vou começar a criar coisas para dentro de casa de uma maneira divertida e espontânea’. É muito bonito emocionar as pessoas”, finaliza Clayson Charles.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais

    Gabi Farias faz vaquinha virtual para financiar álbum 'Enchente'


    ‘Três Minutos de Sol’ abre o Festival Amazonas de Ópera


    Veja como participar do espetáculo ‘Escola do Rock - O musical

    Comentários