Fonte: OpenWeather

    Exclusivo


    Poema inédito: Celdo Braga apresenta 'Manaus -Meu Chão'

    Músico e poeta amazonense escreveu a pedido do EmTempo sobre a capital amazonense

    Aos 348 anos, Manaus é pura arte. Os encantos e mistérios desta terra sempre foram fontes de inspiração para toda forma de cultura, seja na música, dança, pintura e literatura. Isso tanto é fato que a cidade pulsa arte até no nome, que remete a Manaós (tribo indígena extinta que habitava  à margem esquerda do Rio Negro) e traz um peso no significado - “a mãe dos deuses”. Como Réia, mãe dos deuses na mitologia grega, Manaus é pura fertilidade. Neste caso, mãe de muitas manifestações artísticas. 

    A cada esquina a cidade oferece uma paisagem diferente e mostra à beleza natural e plena que tanto encanta a todos.  Ouve-se uma música com particularidades locais,  lê-se uma literatura que traz à luz todo esse imaginário, vê-se a arquitetura do centro histórico onde é possível enxergar os grandes casarões construídos na chamada "Belle époque" da Paris dos Trópicos, ou mesmo o colorido recente dos palafitas nas áreas mais afastadas da cidade. 


    "Teu teatro é um portal, 
um capítulo à parte", Celdo Braga
    "Teu teatro é um portal, um capítulo à parte", Celdo Braga | Foto: Ione Moreno



    Manaus é isso. Poesia. Nada mais justo do que homenageá-la com uma forma de arte - um poema inédito para comemorar os quase três séculos e meio de existência. Por isso, o EmTempo convidou um dos nomes consagrados da literatura e música local que assim como a cidade, vive e respira arte: Celdo Braga. O poeta apresenta aos leitores - "Manaus - Meu Chão". 

    Leia também: Cantor Gabriel o Pensador grava clipe na Amazônia


    Aos 348 anos, Manaus é pura arte.
    Aos 348 anos, Manaus é pura arte. | Foto: Ione Moreno



    Manaus- Meu Chão

    Celdo Braga
    Manaus, teu belo passado,
    Ilumina o teu presente.
    Quero, carinhosamente, 
    dizer-te, muito obrigado
    pelo histórico legado 
    das tantas lutas vencidas
    despertando em nossas vidas
    sonhos, há muito sonhados.
    Teus poetas, teus cantores, 
    os nativos, os migrantes,
    tornaram-se teus amantes
    pra quitaremteus penhores.
    Jornalistas, escritores,
    enfim, o povo em geral,
    num abraço fraternal
    dizem viva a teus valores
    Nascentes forte, altaneira,
    com o dote especial
    de tornar-se a capital
    desta terra hospitaleira;
    marco da saga guerreira
    dos cabanos que tombaram
    e de todos que lutaram 
    fazendo de ti trincheira.
    Teu teatro é um portal, 
    um capítulo à parte,
    no memorial da arte
    luz em pleno matagall
    Um toque monumental 
    do ciclo da economia
    do charme que se expandia
    em tua vocação plural.
    No manto branco, azulado, 
    da Virgem da Conceição,
    ganhaste a cor da expressão
    de um canto abençoado;
    o lugar mais procurado
    para morar e viver,
    de fazer acontecer
    as promessas do Eldorado.
    Manaus, cidade querida, 
    pareces muito comigo, 
    também pareço contigo
    no que tange à acolhida;
    quero passar minha vida
    bem ligado ao teu umbigo
    sendo teu fiel amigo
    e tu, terra prometida.
    Salve Manaus e suas cores, 
    seu jeito humano de ser;
    com ela pude aprender
    muito cheiros e sabores.
    A ela um ramo de flores
    com o sol da nossa alegria,
    um Pai Nosso, Ave Maria 
    e a paz dos nossos louvores.
    Sobre Celdo Braga
    Poeta, professor, cantor, compositor, Celdo Braga
    Poeta, professor, cantor, compositor, Celdo Braga | Foto: Reprodução/Facebook
    O poeta, músico, compositor, cantor, professor é natural de Benjamin Constant, no Amazonas, mas há décadas está radicado em Manaus. Fundou o grupo Raízes Caboclas, consagrados naionalmente e referência da música produzida no Amazonas. Celdo é Membro da União Brasileira de Escritores e atualmente é líder integrante do grupo Imbaúba,tem quase 10 livros lançados e centenas de composições. 
    Comentários