Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Criança de 1 ano morre agredida por padrasto na Zona Norte

    Anderson confessou que deu tapas no abdômen da criança, que teve o estômago rompido por causa da agressão - Fotos: Michael Dantas

    Anderson Carneiro de Paiva, de 21 anos, foi preso na noite desta terça-feira (23) suspeito ter matado o enteado Alex Gabriel Silva de Oliveira, de 1 anos e 8 meses. A criança foi agredida e teve estômago rompido. O crime aconteceu na comunidade Nossa Senhora de Fátima, bairro Novo Aleixo, Zona Norte de Manaus.

    A mãe da criança, uma adolescente de 15 anos, informou que havia deixado a criança com Anderson enquanto fazia um serviço de manicure, em outra casa no mesmo bairro. Quando retornou à casa, a mãe viu o bebê deitado na cama, com febre e a barrigada inchada e medicou a criança.

    "Vi meu filho naquelas condições e perguntei do Anderson o que tinha acontecido, ele disse que possivelmente seria um bolinho que meu filho comeu na merenda, dei dipirona, mas a barriga dele estava muito inchada, pensei que fossem gases, então dei luftal, foi quando ele começou a passar mal. Meu cunhado chegou na hora e fomos para o hospital de moto", contou a jovem.

    Anderson viva uma relação conturbada com a mãe da criança há mais de 2 anos

    A criança não resistiu aos ferimentos e chegou morta por volta das 19h45 no Hospital Pronto-socorro Platão Araújo. Na unidade de saúde a equipe médica verificou diversos hematomas na região do abdômen do bebê e suspeitou que a criança teria sofrido maus tratos. A situação foi repassada para a direção do hospital que acionou a Policia Civil.

    Uma equipe da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) foi até o hospital e conseguiu deter Anderson, que estava junto com a mãe do bebê aguardando por informações. Os dois foram levados para a delegacia, onde aguardaram o resultado do laudo do Instituto Médico Legal (IML), que constatou que a morte foi causada por agressão física.

    De acordo com o delegado Juan Valério, titular da DEHS, o casal foi interrogado e prestou depoimentos com as informações desencontradas. Os policias foram até a casa onde o casal morava e foram colhidos relatas de que a criança sofria maus tratos com frequência. Foi quando Anderson confessou o crime.

    "Ele disse que a criança estava bastante enjoada, chorando muito e como ele estava sozinho, ficou sem paciência e deu três "tapões" na barriga do bebê, foi o que causou a morte", disse Juan Valério.

    A delegada Juliana Tuma, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), informou que, em depoimento, a mãe da criança contou uma possível motivação do crime.

    A titular da Depca, Juliana Tuma, informou que as investigações vão continuar

    "A mãe da vitima estava grávida no inicio do ano de um filho do Anderson. Aos dois meses de gestação o homem chegou a dar remédios para a adolescente abortar. Aos quatro meses de gravidez a adolescente perdeu esse bebê e o Anderson culpava o Gabriel, que na época tinha pouco mais de 1 ano, pelo fato da criança querer sempre estar no colo da mãe. Por esse motivo o suspeito tinha raiva da criança", informou a delegada.

    Após prestar esclarecimentos na delegacia, a adolescente foi liberada, mas segundo a delegada, a polícia vai investigar se a criança sofria maus tratos, caso a hipótese seja comprovada, a mãe pode responder pelo crime. "As lesões na criança não denotam apenas a questão da morte, mas também apontam para uma possível situação de maus tratos. O caso será investigado em conjunto com a Delegacia Especializada em Apurações de Atos Infracionais (Deaai)", concluiu Tuma.

    De acordo com os familiares de Anderson, o casal tem uma relação conturbada há mais de dois anos e há cerca de um mês a adolescente foi morar com o jovem em um cômodo nos fundos da casa dos pais do suspeito. A família informou também que desconhece qualquer agressão que a criança tinha sofrido e que Anderson estaria brincando com o menino momentos antes dele passar mal.

    A adolescente disse que deixava o filho frequentemente com o padrasto e que Anderson já havia dado algumas palmadas na criança. "De vez em quando ele batia na mão do Gabriel, mas nada muito grave, era mais quando ele estava com birra", disse a mãe da criança.

    Anderson foi autuado em flagrante por homicídio qualificado e será encaminhado para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, na Zona Sul da capital.

    Daniel Landazuri
    EM TEMPO

    Comentários