Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Mototaxistas lançam aplicativo para concorrer com Uber em Manaus

    O “Mototáxi Oficial” já tem mais de R$ 400 trabalhadores cadastrados e cerca de mil perfis de clientes ativos - Foto: Ione Moreno

    Lançado recentemente em Manaus e com a proposta de frear o sucesso do Uber - aplicativo de transporte particular de passageiros -, o “Mototáxi Oficial” já tem mais de R$ 400 trabalhadores cadastrados e cerca de mil perfis de clientes ativos. O presidente do Sindicato dos Profissionais Mototaxistas de Manaus (Sindmoto), Anderson Souza, defende que a tecnologia vai ajudar a garantir segurança para quem utilizada os serviços da categoria em todas as zonas da capital.

    “Todos os trabalhadores cadastrados são legalizados pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) e operam regularmente seus serviços. A pessoa que solicitar uma corrida pelo aplicativo terá a total garantia que estará usufruindo de um serviço seguro e de qualidade, com profissionais de boa índole e capacitados. Já que as fiscalizações do poder público não coíbem a prática ilegal dos famosos ‘Jacarés’ [mototaxista ilegal] na cidade que, inclusive, cobram um preço absurdo nas corridas”, justificou.

    A proposta do "Mototáxi Oficial" é frear o sucesso do Uber em Manaus

    Leia também: Uber começa a operar em Manaus 

    “É um aplicativo que já existe em outras regiões do país, porém ele foi adaptado para operar os serviços aqui na capital amazonense. O nome ‘Mototáxi Oficial’ é exclusivo para Manaus e ele tem quase as mesmas características que o Uber. No entanto, há pontos que o diferenciam em melhorias como, por exemplo, o serviço não possuí custo por minuto”, acrescentou.

    Ainda de acordo com Souza, o aplicativo está disponível para usuários dos sistemas operacionais iOS e Android e começou a ser usado a cerca de 15 dias.

    “Ele foi lançado nessas duas versões justamente para atender a demanda da população. É um aplicativo leve com apenas 6,32MB, que não ocupa muito espaço na memória do telefone e foi testado com a internet de todas as operadoras de telefonia móvel”, garantiu Anderson, informando que, por enquanto, o mototáxi não paga nenhuma taxa para ser contemplado pelo aplicativo.

    "Esperamos bater a meta de mil inscritos e, após isso, vamos passar a cobrar uma taxa de cada mototaxista cadastrado no aplicativo. O valor deve ser entre R$ 10 e R$ 15".


    Entenda como funciona

    Para fazer o download do aplicativo é necessário acessar a loja Play Store (Android) ou AppStore (iOS), buscar por Mototáxi Oficial, clicar em baixar e depois instalar. Após isso, o aplicativo pede a autorização para o uso da localização via GPS. Em seguida é necessário clicar na opção: pedir mototáxi, criar uma conta – nome, e-mail, senha e número de telefone.

    O download do aplicativo é feito na loja Play Store (Android) ou AppStore (iOS) - Reprodução

    Após o cadastro, a próxima etapa é a localização do cliente e o destino final da corrida. Ainda é possível acrescentar informações adicionais como a solicitação de troco para o valor da corrida e dar dicas de como o solicitante está vestido, para auxiliar na identificação. Antes de confirmar a solicitação da corrida, aparecerá na tela do usuário o preço estimado para o serviço.

    Conforme explicou Anderson Souza, pode haver alteração no preço final da corrida. “O valor da quilometragem é o mesmo cobrado pelo Uber por quilômetro percorrido, que é de R$ 1,15. Mas esse valor pode sofrer alteração para mais ou para menos dependendo da orientação do cliente. Um exemplo é você solicitar uma corrida até o Amazonas Shopping, mas quando chegar no local pedir para o mototaxista ir até o Manauaura Shopping. Nesse ponto, o diferencial também é que não temos o custo por minuto, que se não estou enganado é cobrado a R$ 0,15 o minuto no Uber”, comentou Souza.

    "No preço da corrida já está incluso a taxa de R$ 3,50 e o valor da quilometragem já passa a contar em cima dessa quantia".


    "O pagamento, por enquanto, é apenas em dinheiro. Porém, nós já estamos estudando outras formas de pagamento como cartões de crédito ou débito, igual como é feito no Uber. A intenção é levar comodidade e confiança para os nossos clientes", enfatizou o presidente do Sindmoto.

    No aplicativo ainda é possível ter acesso ao histórico de corridas, compartilhar o serviço com os amigos nas redes sociais e fazer um elogio. Além disso, o cliente tem acesso a informações como nome e foto do mototaxista, número de matrícula na SMTU e telefone.

    Comparando os preços

    Análise comparativa de preços entre os aplicativos Mototáxi Oficial, Yet Go e Uber - Reprodução

    A reportagem fez uma comparação de preços utilizando os aplicativos Mototáxi Oficial, Uber e Yet Go– concorrente gaúcho do Uber. Na simulação, o ponto de partida foi a sede do Jornal Amazonas EM TEMPO, localizado na rua Brasil, bairro São Jorge, Zona Oeste, e o destino final foi o Sumaúma Park Shopping, situado na avenida Noel Nutels, bairro Cidade Nova, Zona Norte.

    Confira os valores: Mototáxi Oficial (R$ 22.31), Yet Go (R$ 31,59) e Uber (R$ 23,58), sendo que neste último houve ainda uma segunda simulação com o aplicativo já indicando a opção “Preços um pouco mais altos do que o normal” e o valor passou para (R$ 32,72).

    Isac Sharlon
    EM TEMPO

    Leia mais:

    Taxistas e mototaxistas se unem em protesto contra Uber e Yet Go

    Taxistas pressionam vereadores a votarem contra regulamentação do Uber

    Aplicativo Uber divide plenário da CMM

    Comentários