Fonte: OpenWeather

    Trabalho no AM


    Vídeo:mercado de trabalho é mais receptivo para jovens de 18 a 24 anos

    Do total de 13.305 pessoas contratadas em julho, 9.025 são do sexo masculino, ou 67,83%, e 4.280 do sexo feminino - 27,31%

    O estudo aponta que a experiência ainda é um requisito importante para o empregador na hora de recrutar mão de obra.
    O estudo aponta que a experiência ainda é um requisito importante para o empregador na hora de recrutar mão de obra. | Foto: Divulgação

    Os jovens entre 18 e 24 anos são os que têm as melhores oportunidades no mercado de trabalho no Amazonas. Em sentido inverso, os trabalhadores da faixa etária entre 40 e 49 anos amargam poucas ofertas de vagas, segundo aponta estudo da Secretaria de Estado de Planejamento,  Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti) na pesquisa sobre emprego formal no mês de julho, disponível na página www.seplancti.am.gov.br item Indicadores e Mapas.

    O melhor saldo (diferença entre admissões e demissões) em julho, um total de 1.245 vagas, foi verificado no grupo de pessoas entre 18 e 24 anos. Entre 25 e 29 anos, a oferta cai drasticamente para 475 postos de trabalho, diminuindo para 374 vagas para os trabalhadores que estão na faixa de 30 e 39 anos, de acordo com pesquisa do Departamento de Estatística, Análise, Geoprocessamento e Inovação da Seplancti, com base nos dados do Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged). 

    Para os que têm entre 40 e 49 anos, a situação fica mais complicada, quando se trata de recolocação no mercado. A oferta de trabalho para esse segmento foi de 57 vagas. Para o grupo entre 50 e 64 anos houve redução de 207 empregos.

    Por sexo, a disparidade também é acentuada. Do total de 13.305 pessoas contratadas em julho, 9.025 são do sexo masculino, ou 67,83%, e 4.280 do sexo feminino - 27,31%.

    Requisitos

    O estudo aponta que a experiência ainda é um requisito importante para o empregador na hora de recrutar mão de obra.

    A admissão para os que tiveram o primeiro emprego alcançou 1.611 pessoas, 12,11% das contratações. O reemprego, a recolocação para as pessoas que já estiveram no mercado de trabalho representou 87,89% do total de admissões, o equivalente a 11.694 pessoas que recuperaram os postos de trabalho.

    Em se tratando de desligamento, as demissão sem justa causa, ou término de contrato por prazo determinado, responderam por 77,61% das dispensas.

    *Com informações da assessoria

    Assista à reportagem da TV Em Tempo:

    Assista a reportagem | Autor: Débora Martins/ TV Em Tempo
     


    Comentários