Fonte: OpenWeather

    Empreendedorismo


    Gestão e atendimento garantem sucesso de clínica ocupacional em Manaus

    Conheça e inspire-se na história do casal Claudiomara Silva e Renato Lima, que abriram a própria clínica de saúde ocupacional e um centro médico em Manaus

    Claudiomara e Renato apostam no bom atendimento e gestão diferenciada | Foto: Leonardo Mota

    Manaus - Experiência, estudo, paciência e muito trabalho. Esse foi o caminho percorrido pelo casal de empresários Claudiomara Silva, 46, e Renato Lima, 44, que há quatro anos decidiu abrir o próprio negócio voltado para o setor da saúde ocupacional. A MS nasceu em um espaço alugado, cresceu, prosperou, incorporou um centro médico e hoje é uma das principais novas referências do ramo em Manaus, com uma média de 100 atendimentos diários e uma receita de até R$ 100 mil por mês.

    Situados na Avenida Ayrão, 393, no bairro Presidente Vargas, Zona Sul da Cidade, a MS Saúde Ocupacional e Centro Médico Sanvie oferecem consultas em 18 especialidades médicas, como clínica geral, cardiologia, dermatologia, ginecologia, fonoaudiologia e outros. Além de exames laboratoriais, o centro  é especializado em saúde e segurança do trabalhador, com um catálogo amplo de serviços de medicina ocupacional para empresas. 

    A ideia do empreendimento começou logo após Claudiomara perder o emprego numa clínica. Ela, que é formada em Análise Financeira e possui vasta experiência em administração hospitalar, foi incentivada pelo marido a investir numa clínica própria. "Sempre fomos empregados CLT. Quando fui demitida, cheguei em casa triste, chateada, arrasada. Foi quando ele olhou para mim e disse 'Poxa, Mara, você tem capacidade e experiência. Agora chegou nossa hora'", relata.

    O casal começou alugando um prédio comercial no Centro, contando apenas com o salário de motorista de Renato, à época de R$1,8 mil reais. "Alugamos o local e metemos a mão na massa. Eu vou vender e ela vai administrar, e é isso que fazemos até hoje. Ninguém consegue vender o negócio melhor do que nós, que somos donos", diz o empresário. 

    Trabalho em equipe é uma das chaves do sucesso da MS
    Trabalho em equipe é uma das chaves do sucesso da MS | Foto: Leonardo Mota

    Nesse período, foram vários os percalços, inclusive a desconfiança de conhecidos, mas com o apoio de amigos e familiares o casal seguiu na empreitada. "Parte da gestão do negócio é angariar clientes. Tivemos que voltar a estudar, nós dois nos especializamos, fizemos pós-graduação. Continuamos estudando e ampliando os conhecimentos porque o mercado muda muito rápido e temos que estar preparados para essa mudança. Temos o mesmo aspecto de empresa familiar, mas com uma gestão diferenciada, profissional, para ter um atendimento com a maior qualidade", explica Renato. 

    As despesas para abrir a clínica e colocá-la para funcionar somaram R$ 40 mil no primeiro ano. Oito meses após iniciarem o empreendimento, conseguiram o primeiro grande contrato. Em janeiro desse ano, a MS adquiriu o Centro Médico Sanvie e ampliou a atuação no mercado de saúde manauara.

    Aposta e diferencial 

    Claudiomara e Renato trazem muito da vivência para os negócios. Isso se mostra na decisão pelo ramo em que iam empreender. Como passou vários anos atuando como motorista, Renato tem várias lesões ligadas ao trabalho. A partir da vivência pessoal e a experiência profissional da esposa, decidiram apostar na medicina ocupacional. "Infelizmente, as empresas não se preocupam muito com a saúde do trabalhador. Esse é um mercado amplo, e havia pouca gente interessada no setor na época", explica. 

    Para o casal, o atendimento no ramo da saúde ocupacional em Manaus deixa a desejar. Esse, então, foi o diferencial no qual eles se concentraram para conquistar clientes: a boa recepção. "Gostamos de estar perto do paciente, dar um serviço de qualidade. Já fomos empregados um dia e sabemos como é difícil a rotina, as dificuldades. Recebemos muitos elogios de empresas por conta dos atendimentos aos funcionários admitidos", diz Claudiomara. 

    Apesar de serem os patrões, Claudiomara e Renato não ficam somente na parte administrativa. Eles fazem questão de vestir a farda da empresa, literalmente e estão integrados a tudo o que acontece no centro médio. A boa relação com a equipe de colaboradores também é uma das marcas da administração do casal.

    Novos rumos  

    A nova 'casa' da MS Saúde Ocupacional, agora incorporada ao Centro Médico Sanvie
    A nova 'casa' da MS Saúde Ocupacional, agora incorporada ao Centro Médico Sanvie | Foto: Divulgação

    Adquirir uma nova clínica foi uma aposta ambiciosa da dupla de empresários. "Sabíamos que tínhamos potencial para assumir o negócio. Na primeira semana, em fevereiro, foram apenas 16 atendimentos. Hoje, chegamos até 100 por dia. Incorporamos serviços de imagem e laboratório, ampliamos a gama de serviço e atraímos mais pessoas. É um passo de cada vez", diz Renato.

    Apesar do sucesso em poucos anos, o empresário garante que há muito trabalho envolvido por trás. "Assim como o resto, estamos trabalhando em meio a uma crise econômica. As pessoas de fora acham que foi muito rápido, mas só nós sabemos o trabalho envolvido, as dificuldades. 

    "Somos acostumados a trabalhar na adversidade, mas conseguimos nos manter com o trabalho, a dedicação, no acreditar no nosso trabalho", acrescenta. Após o período de reorganização da nova 'casa', os empresários esperam aumentar o faturamento em até 50%.

    "Quatro anos atrás, éramos dois assalariados tentando abrir um negócio, hoje já temos experiência, sabemos como o mercado funciona e até onde podemos ir. A estrutura que temos é compatível com nosso trabalho", afirma Renato. 

    Clínica popular

    Atualmente, a MS tem contratos com 32 empresas, além de atender sindicatos, associações e prefeituras. O próximo passo do casal é entrar no ramo da clínica popular, oferecendo serviços e exames médicos a preços acessíveis para a população manauara. Pensando na dificuldade de acesso dos trabalhadores a planos de saúde, o Centro Médico Sanvie atuará no mercado com um plano de fidelidade para os clientes. A partir de um cartão com anuidade de R$ 50 por ano, os pacientes terão de 40% a 80% de desconto em consultas e exames. 

    Comentários