Fonte: OpenWeather

    Combustível


    Após período de redução, gasolina sofre aumento nas refinarias

    Petrobras anunciou novo aumento de 1,3% no preço do combustível para as refinarias na manhã de quarta-feira (27)

    Preço da gasolina deve aumentar nos próximos dias | Foto: Janailton Falcão

    Manaus - No último fim de semana em Manaus, quem precisou abastecer foi surpreendido com valores mais baixos no preço do litro da gasolina. Depois de uma série de reduções, a Petrobras anunciou novo aumento de 1,3% no preço do combustível para as refinarias na manhã de quarta-feira (27).

    O valor do litro nas refinarias vai aumentar R$ 0,2, passando de R$ 1,87 para R$ 1,90, causando um aumento no preço final para o consumidor de até R$ 0,30. Este será o oitavo aumento aplicado pela estatal no preço da gasolina. O combustível acumula queda de R$ 0,06, ou seja, de 3,27% em junho.

    De acordo com o vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Amazonas (Sindicam), Geraldo Dantas, Manaus estava com o litro da gasolina em promoção, uma vez que o período é de férias escolares e a realização do festival folclórico de Parintins.

    “Estamos em um momento atípico, onde a cidade fica menos movimentada por conta das férias escolares, por isso, os postos estão com valores promocionais. Até terça-feira era possível encontrar a gasolina por R$ 4,09 em alguns postos. Essa foi a maneira que encontramos de chamar a atenção do cliente”, explicou.

    O preço praticado nos postos seria um valor promocional por conta do período de férias
    O preço praticado nos postos seria um valor promocional por conta do período de férias | Foto: Ricardo Oliveira


    Dantas disse ainda que já previa o aumento dos preços, visto que a Petrobras continua com a política de aumentar os valores diariamente. Com a alta nas refinarias, o valor  encontrado hoje de R$ 4,69, pode aumentar e chegar a R$ 5.

    Com a instabilidade nos preços, o consumidor sai prejudicado, principalmente, os que trabalham com transporte próprio. É o caso do autônomo Nei Lopes, que trabalha com vendas de cosméticos.

    Ele que chegou a trabalhar como Uber, mas teve que encerrar a renda extra por conta dos constantes aumentos no preço da gasolina.

    “Deixei de trabalhar com Uber, pois o preço por quilometro não pagava os gastos. Isso porque devemos levar em conta o abastecimento do veículo e os custos na manutenção. Além disso, a gasolina deixou de ser um item supérfluo e o aumento afetou o meu trabalho. Na cidade tudo é longe, não dá para fazer viagem à toa”, lamentou.

    A reportagem tentou contato com donos de postos de gasolina, porém não teve resposta. Na manhã desta quarta-feira (27), ainda era possível ver postos com preços variando.

    No posto da bandeira Shell, localizado na Avenida Djalma Batista, foi possível encontrar o valor de R$4,35. Já no posto Atem da Avenida Constantino Nery, o valor do litro da gasolina estava por R$ 4,09. No posto da mesma bandeira, localizado na Avenida Mário Ypiranga, o preço estava de R$ 3,45.

    O vice-presidente do Sindicom lembrou que o consumidor pode encontrar valores mais baixos em alguns postos, uma vez que o valor só é alterado quando o posto reabastece.

    “Até o próximo reabastecimento, os valores não vão sofrer reajuste. O consumidor precisa entender que cada distribuidora tem um valor de custo. É levado em conta o volume, o estoque e o capital de cada posto. É um conjunto de fatores que precisam ser considerados para chegarmos a um valor final para o consumidor”, finalizou Dantas.

    Leia mais

    Greve derruba indústria e setor tem o pior mês da história em maio

    Confira resultado final dos sete processos seletivos da Aades

    Ifam divulga lista de classificados no processo seletivo 2018

    Comentários