Fonte: OpenWeather

    vida e sucesso


    Na saúde e no negócio: pizzaria vegana é alternativa inteligente no AM

    Empreendimento surgiu após a necessidade do casal em levar as próprias massas a festas e restaurantes que não tinham produtos veganos para consumo

    Casal investiu em negócio após marido ser diagnosticado com câncer | Foto: Em Tempo

    Manaus - Depois de uma reviravolta familiar por questões de saúde, a técnica de enfermagem Cláudia Santana, de 45 anos, e o produtor musical Antônio Marcos, de 41 anos, mudaram os rumos das suas vidas e criaram um novo negócio, a “Pizzaria Vegariana”.

    Diagnosticado com um possível câncer no intestino há seis anos, Antônio viu a vida dar um giro de 180 graus com uma abrupta perda de peso e a necessidade de mudar radicalmente sua alimentação.

    O produtor musical seguiu os passos da esposa, que já mantinha um estilo de vida mais saudável. Após diversos tratamentos e nenhum resultado positivo, Antônio iniciou uma reeducação alimentar. Com o apoio da esposa, eles se toram um casal vegano.

    Após melhoria significativa com o novo estilo de vida, Antônio e Cláudia resolveram, há dois anos, mudar também a origem da renda familiar com a Pizzaria Vegariana.

    Casal investiu em negócio após marido ser diagnosticado com câncer
    Casal investiu em negócio após marido ser diagnosticado com câncer | Foto: Em Tempo

    A ideia surgiu após diversas situações nas quais o casal simplesmente não comia durante as saídas com amigos a restaurantes e festas. Atrelado a isso, Cláudia formou-se em Naturopatia e está na segunda especialização voltada aos cuidados por meios naturais.

    Com o passar do tempo, o casal criou suas próprias massas e pães para levar em seus programas, o que chamou a atenção de amigos e conhecidos.

    “Nós gostávamos muito de comer pizzas, mas, depois da doença dele, isso acabou e sentíamos muita falta desse tipo de comida. Ficamos reféns, pois não existia em Manaus nada 100% natural e zero animal. Por isso passamos a fazer nossas próprias massas integrais: pães, pizzas, pastéis e esfirras”, explica Cláudia.

    Após a fabricação caseira das próprias pizzas, o casal passou a convidar os amigos para degustar as suas criações, no intuito de disseminar a ideia de que comer bem não significava comer sem saúde.

    "Comer bem não quer dizer comer sem saúde", afirma casal
    "Comer bem não quer dizer comer sem saúde", afirma casal | Foto: Em Tempo

    “No princípio não tínhamos o intuito de vender, de criar um negócio. Nossa intenção era apenas apresentar aos nossos amigos um estilo de vida mais saudável e, principalmente, uma comida extremamente gostosa. Por isso levávamos bolos, brigadeiros e, principalmente, as nossas massas e pizzas 100% naturais para as festas e casas dos amigos. Foi assim que surgiu os primeiros clientes interessados em consumir da nossa comida”, relembra a pizzaiola.

    O negócio iniciou com uma pizzaria física, mas por questões estruturais tornou-se apenas delivery. Atualmente, com o casal, trabalham mais três pessoas que dividem com Cláudia e Antônio as atividades da pizzaria.

    Os ingredientes

    Apesar de Manaus estar localizada em uma região onde os produtos orgânicos essenciais para as pizzas ainda são caros, Cláudia ressalta que é possível, sim, manter o negócio sem gastar muito.

    Os ingredientes usados são naturais, sem passar por processos industriais
    Os ingredientes usados são naturais, sem passar por processos industriais | Foto: Em Tempo


    "Na nossa região é tudo muito caro por questões de transporte, mas dentro do possível procuramos utilizar o que é mais acessível dentro do 100% natural”, diz

    Cláudia avalia que o que é mais caro realmente são as calabresas e presuntos veganos. “Somos fornecidos por um sítio que planta os orgânicos e fazem delivery dos seus produtos, como palmito e tomate cereja. Além disso, aproveitamos as feiras orgânicas que ocorrem na cidade e fazemos de tudo para não faltar nada”, ressalta a naturopata.

    Valores e Renda

    A Pizzaria Vegariana Funciona de sábado a quinta-feira e não abre às sextas-feiras. As pizzas são vendidas entre R$ 35 e R$ 50. De acordo com Cláudia, a renda semanal chega a R$ 1,5 mil. “Por dia vendemos de sete a dez pizzas.

    Colocando na ponta do lápis, vendemos em média R$ 1,5 mil por semana, se levarmos em consideração apenas o valor de R$ 35, o que gera por mês cerca de R$ 6 mil”, aponta.

    A empreendedora diz que o intuito do casal é levar um produto de qualidade, mas por um preço acessível para quem é vegano ou está iniciando uma reeducação alimentar.

    Atualmente além de trabalhar na pizzaria, Cláudia realiza atendimento e palestras sobre naturopata e o marido Antônio voltou a trabalhar com produção musical, mas a naturopata garante que casal não pretende parar de empreender com o negócio das pizzas veganas.

    “Estamos implementando novas receitas e inserido nas nossas redes sociais uma nova roupagem para nossa marca. Além disso, queremos levar para nossos consumidores, por meio do Instagram, dicas para uma vida mais saudável. Vale lembrar que muitas vezes durante uma venda eu sempre acabo dando algum suporte ou alguma instrução para os nossos clientes, que sempre tem dúvidas acerca de ingredientes”, finalizou Cláudia.

    Leia mais

    Empresária amazonense transforma lojas de roupas em marca de sucesso

    ‘Coworking’: Empreendimento que une produção e criatividade em Manaus

    Feira da FAS reúne música, gastronomia e lazer neste domingo em Manaus

    Comentários