Fonte: OpenWeather

    Navios


    Nova temporada de cruzeiros deve trazer 18 mil turistas para Manaus

    Apenas o primeiro navio da temporada 2018/2019 deverá injetar na capital cerca de 282 mil dólares na economia local

    A temporada movimenta a economia local, além de garantir uma receita cambial de variação positiva para o país | Foto: Divulgação

    Manaus - A temporada de cruzeiros 2018/2019, que vai durar cinco meses, começa no próximo dia 17, em Manaus, e deve injetar, apenas com a primeira embarcação, mais de US$ 282 mil em diversos setores da economia. A previsão é de pesquisa encomendada pela Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur). Neste ano, serão cinco transatlânticos a mais do que na temporada 2017/2018, de pequeno, médio e grande porte, até abril de 2019.

    No próximo sábado, o navio Sirena, da Oceania Cruises, vindo de Miami com 1.084 mil turistas, marca o início da temporada. Durante a estação, o Amazonas vai receber, aproximadamente, 18 mil turistas. A maioria deles édos Estados Unidos, Inglaterra, Austrália e Canadá.

    Uma das principais fontes de turistas estrangeiros no Brasil, a temporada movimenta a economia local, além de garantir uma receita cambial de variação positiva para o país.

    Para o presidente da Amazonastur, Orsine Oliveira, esse é o momento de fomentar a economia local. “A previsão é de arrecadar mais de US$ 200 mil com esse primeiro navio. Considerando outros segmentos que trazem o turista estrangeiro para o Amazonas, como o festival de Parintins, pesca esportiva, o ecoturismo, a gastronomia, o artesanato, entre outros, dá para perceber que eles movimentam toda a cadeia produtiva local, gerando emprego e renda no Estado”, observou.

    Nesta temporada, 15 navios devem atracar no porto de Manaus. Na temporada passada, que teve início em setembro de 2017 e durou até maio deste ano, tiveram apenas dez. Para quem trabalha com turismo no Amazonas, o momento é de lucrar com a chegada dos turistas.

    Para Mauro Souza, proprietário de uma agência que oferece passeios turísticos, a expectativa para a nova temporada é crescer 70% na venda de pacotes. Ele vai até contratar mais guias durante os cinco meses. “Oferecemos pelo menos três tipos de passeios. Assim consigo cobrar um valor razoável para os turistas que geralmente pagam em dólar. O estrangeiro gosta do Amazonas e dos seus atrativos, a beleza exótica, a gastronomia peculiar. Todas essas coisas eles só encontram aqui. Muitos deles voltam, e nós, que trabalhamos com isso, temos que aproveitar”, disse.

    O gasto médio de cada turista que desembarca em Manaus e fica por até três dias é de US$ 250 ao dia. Na temporada passada, os cruzeiros movimentaram R$ 11,8 milhões, de setembro a abril deste ano. A expectativa passada era de arrecadar em torno de R$ 40 milhões, com 21 mil turistas estrangeiros conhecendo o Amazonas.

    Para a turismóloga Bárbara Coelho, ainda há muito o que fazer para que o turista estrangeiro queira voltar para a Amazônia. “A estrutura portuária precisa melhorar. É necessário ter uma boa organização para os estrangeiros, uma vez que eles são mais exigentes. O pensamento deve ser que eles estão vindo por algum motivo, por isso temos que cativá-los para que gastem mais aqui e que sintam interesse em retornar. Temos vários problemas no turismo daqui. Existem restaurantes que poderiam atender em altas horas, mas não atendem porque os funcionários dependem do transporte público para voltar para casa, além da falta de segurança. Ainda falta melhorar muita coisa”, lamentou.

    Para melhor atender os novos visitantes, a Amazonastur irá montar um balcão de informações no Porto de Manaus e vai atuar no Centro de Atendimento ao Turista (CAT), da avenida Eduardo Ribeiro, para atender os turistas que estarão no centro histórico da capital. Além desse trabalho, a Polícia Turística (Politur) também prestará total apoio aos turistas que chegarão à cidade durante a temporada de cruzeiros.

    Leia mais:

    Prática da canoagem é oportunidade de turismo ecológico no AM

    Boi Bumbá do Amazonas agora é Patrimônio Cultural do Brasil

    Comentários