Fonte: OpenWeather

    Comunidade


    Catadores transformam lixo reciclável em renda mensal

    Catadores ganham incentivos da Prefeitura Municipal de Manaus e estão conseguindo gerar renda

    Desde que assumiu a administração do município, o prefeito Arthur Virgílio Neto abraçou o compromisso de implementar a Política Nacional de Resíduos Sólidos
    Desde que assumiu a administração do município, o prefeito Arthur Virgílio Neto abraçou o compromisso de implementar a Política Nacional de Resíduos Sólidos | Foto: Marinho Ramos/SEMCOM

    O incentivo e os investimentos da Prefeitura de Manaus no trabalho dos catadores de materiais recicláveis dão novos frutos, dia após dia, gerando renda e os tornando empreendedores.

    Hoje o mercado local conta com produtos fabricados e insumos fornecidos pelas associações e cooperativas de catadores, como os sacos plásticos recicláveis da Associação de Reciclagem e Preservação Ambiental (Arpa), que já estão nas gôndolas de supermercados e nas operações da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp).

    “O prefeito Arthur Virgílio Neto é o maior incentivador dessa categoria. Em sua gestão, eles não só foram incluídos nas ações de limpeza do município, conforme determina a Política Nacional de Resíduos Sólidos, mas foram valorizados, capacitados e receberam estrutura para tornarem-se empreendedores. A Prefeitura apoia esses grupos, visando à sustentabilidade e à inclusão dos catadores no mercado. Por isso, vemos com muita alegria o crescimento desse trabalho”, afirmou o secretário da Semulsp, Paulo Farias.

    Além dos sacos plásticos da Arpa, já estão no mercado diversos produtos fabricados a partir de insumos fornecidos pelos catadores, como coletores universais (material para exames laboratoriais), pregadores de roupas, tigelas, tábuas de corte e cabides de roupas, todos feitos de plástico.

    “A participação dos catadores na cadeia de suprimentos é importante para dar vazão à sua produção e fomentar o trabalho das associações”, reforça Farias.

    Para o catador e membro da Arpa, Raul Lima, inserir os produtos fabricados pela categoria no comércio é uma vitória, não apenas aos trabalhadores, mas também do meio ambiente.

    “Nosso material é 100% reciclado, tudo sai da cidade de Manaus. Esse trabalho impacta positivamente, pois usa materiais que iam sujar as ruas ou os rios, agrega valor e os transforma em algo útil. A gente faz a coleta seletiva e transforma lixo em novos produtos, que voltam para o mercado com qualidade. A gente precisa mostrar para sociedade que tudo é reaproveitável, é nossa sobrevivência, é a nossa fonte de renda”, destacou.

    Desde que assumiu a administração do município, o prefeito Arthur Virgílio Neto abraçou o compromisso de implementar a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) na capital e lutar pela melhoria desse setor, que passa pela valorização contínua dos catadores. “Viabilizamos e fornecemos os galpões, inserimos e asseguramos a participação efetiva dos catadores nos grandes eventos da cidade e apoiamos a logística da coleta seletiva para fornecer materiais a esses grupos.

    Estamos fazendo a nossa parte e esperamos ver o crescimento desses profissionais”, reforçou o secretário da Semulsp, Paulo Farias.

    Atualmente, a Prefeitura de Manaus apoia mais de 200 catadores, inseridos em 17 associações, que se dividem os sete galpões viabilizados pelo município desde 2014.

    Leia mais:

    Programa "Lixo zero, social 10" vai instalar 15 usinas para reciclar material

    Governo investe mais de R$ 320 mil em iniciativas que geram emprego e renda

    Ações de sustentabilidade são desafio para próxima administração municipal

    Comentários