Fonte: OpenWeather

    Manaus Moderna


    Manaus Moderna estima 10 toneladas de peixe para Semana Santa

    Feirantes afirmam que o preço de peixes como jaraqui, sardinha, tambaqui e pirarucu nas vésperas do feriadão, pode sofrer reajuste

    Consumidores apontam que o reajuste dos peixes se dá de forma gradual, semanalmente na Manaus Moderna | Foto: Marcely Gomes

    Manaus- Com a aproximação da Semana Santa, a feira Coronel Jorge Teixeira, mais conhecida como a Manaus Moderna, se prepara para vender, aproximadamente, 10 toneladas de peixes como jaraqui, pacu e sardinha, tambaqui e pirarucu. A previsão é que cerca de 14 mil pessoas passem pela feira durante a Semana Santa até o feriado de Páscoa, dia em que a população católica evita comer bovina, suína e frango.

    O administrador da Feira, Thales Pinheiro, diz que a tendência é que os preços do pescado não alterem muito devido à grande procura. Segundo Thales, o tambaqui, um dos peixes mais consumidos em Manaus, no próximo dia 15 sai do período do defeso, podendo ser pescado e comercializado sem as exigências cobradas no período do defeso.

    Dessa forma não existe motivos, acredita o administrador, para o aumento do preço. Ele explica, no entanto, que quando o peixeiro vai comercializar o pescado sem espinha, ele pode aumentar o valor do produto, já que terá que contratar ajudantes que saibam fazer esse tipo de serviço. O pirarucu, porém, continua no defeso e a pesca e comercialização sem autorização é proibida.

    No próximo dia 15, o tambaqui é um dos peixes mais consumidos em Manaus sai do período do defeso
    No próximo dia 15, o tambaqui é um dos peixes mais consumidos em Manaus sai do período do defeso | Foto: Marcely Gomes

    Os preços dessa espécie de pescado estão sendo reajustado semanalmente. Na última semana de março, o quilo do pirarucu salgado poderia ser encontrado, tanto na Manaus Moderna quando no Mercado Municipal Adolpho Lisboa (o Mercadão), entre R$ 15 e R$ 23. Na sexta-feira (5), podia ser encontrado entre R$ 20 e R$ 25 no Mercadão e entre R$ 17 e R$ 25 na Manaus Moderna.

    Já o tambaqui, dependendo do tamanho e do peso, poderia ser encontrado ao preço de R$ 25 a R$ 280 o peixe de, aproximadamente, 11 quilos. Segundo peixeiros, o que pode deixar esse pescado mais caro é o fato dele der de rio ou de criadouro.

    O peixeiro André Luiz Lima diz que, apesar do aumento da procura na Semana Santa, os preços, ao menos em sua banca, devem permanecer os mesmos de antes da Páscoa. Na sexta-feira ele vendia o tambaqui com preço entre R$ 25 e R$ 50, o quilo do tucunaré por R$ 15 e a matrinxã, de acordo com o tamanho e o peso, vendia de R$ 25 e R$ 35.

    Anderson de Souza, conta que na sua banca, a matrinxã custava entre R$ 25 e R$ 30 e um tambaqui de 4,5 quilos era vendido por R$ 60. Ele também disse que não deve aumentar o preço do pescado no período da Semana Santa.

    O preço do pescado deve permanecer os mesmos de antes da Páscoa
    O preço do pescado deve permanecer os mesmos de antes da Páscoa | Foto: Marcely Gomes

    Em outra banca, Maria Araújo reclamava do preço do quilo do surubim, comercializado a R$ 15. “Já está caro agora, imagina na Semana Santa”, comenta. O aposentado Manoel Almeida, depois de muito pesquisar optou em comprar uma enfiada com 15 jaraquis, vendidos por R$ 20.

    O pacu, dos pequenos, estava sendo comercializado a R$ 20 uma enfiada com 11 unidades. A sardinha, uma enfiada com 20 unidades estava sendo vendida ao preço de R$ 20. O peixeiro Jeferson Lima, disse que na Semana Santa o preço do pescado não deve aumentar, mas deverá ser reduzido o número de unidades de pescados em cada enfiada.

    O pescado comercializado na Feira Manaus Moderna vem de outros Estados e de viveiros no Amazonas. Thales Pinheiro, conta que a feira é abastecida também por comunidades de pescadores que vivem e trabalham nos municípios próximos de Manaus.

    Os produtos que chegam a Manaus Moderna também abastecem as feiras menores, presentes em vários bairros da cidade. “Os feirantes que trabalham nas feiras de bairros compram os peixes miúdos aqui na Manaus Moderna, já o tambaqui e o pirarucu é comprado no Terminal Pesqueiro”, explicou Thales Pinheiro.        

    Feirão

    Além da Manaus Moderna, os consumidores de Manaus vão poder contar ainda com o Feirão do Pescado, que será montado pela Agência de Desenvolvimento Sustentável (ADS), a partir do dia 16, no Centro Social Urbano (CSU) do bairro Parque 10, Zona Centro-Sul; na Alameda do Samba, bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste; no Centro de Convivência Padre Pedro Vignola, bairro Cidade Nova, Zona Norte; e no estacionamento da sede do Sebrae, unidade Aleixo, Zona Centro-Sul. A previsão é que sejam comercializadas 100 toneladas de tambaqui, matrinxã e pirarucu.

    A estimativa é que o tambaqui será vendido a partir de R$ 8,50 tamanho médio, R$ 9,90 o grande e acima de cinco quilos custará R$ 12,90.

    A estimativa que é que o tambaqui será vendido a partir de R$8,50 tamanho médio, R$9.90 o grande
    A estimativa que é que o tambaqui será vendido a partir de R$8,50 tamanho médio, R$9.90 o grande | Foto: Marcely Gomes

    Para a espécie matrinxã, o preço ficou definido em R$ 11,90 qualquer peso. E o pirarucu vai variar entre R$ 5,90 (carcaça) a R$ 23,90 (lombo do pirarucu seco), com destaque para a ventrecha do pirarucu fresco que sairá a R$ 14,90 o quilo. Além do peixe in natura, o público também encontrará pescados processados em forma de filés, postas e picadinho, além de peixes regionais como pacu, jaraqui e sardinha. Serviços como cortes especiais para caldeirada ou assado e retirada de espinha também fazem parte da programação. Cada feira vai contar com 20 participantes, totalizando 80 expositores de pescado. 

    Leia mais:

    Governo quer reduzir tempo de abertura e fechamento de empresas

    Com tradição no mercado, Eurosono abre 39ª loja no Santa Etelvina

    Vídeo: prova de vida agora pode ser feita em qualquer agência do INSS

    Comentários