Fonte: OpenWeather

    Produção de café


    Pesquisa da Embrapa mostra potencial para cafeicultura no AM

    Vamos incentivar? O pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Edson Barcelos, destaca que o café é uma cultura muito apropriada para a agricultura familiar. Áreas já desmatadas no Amazonas podem ser aproveitadas para geração de renda.

    Veja o vídeo produzido pela Embrapa sobre a cultura do café na região | Autor: Embrapa
    A produtividade de café no Amazonas pode ser três vezes maior, com a adoção de tecnologias da Embrapa.
    A produtividade de café no Amazonas pode ser três vezes maior, com a adoção de tecnologias da Embrapa. | Foto: Síglia Souza/Embrapa

    Manaus - O café é uma cultura que já fez a riqueza de São Paulo e Minas Gerais. Atualmente o Brasil é o maior produtor do mundo, exportando o grão para vários países, com maior concentração nas fazendas do Sul de Minas Gerais. Uma pesquisa da Embrapa, no entanto, aponta que uma região do Amazonas pode despontar como futura produtora. Experimentos na área apontam excelente produção. 

    Geração de Renda

    A produtividade de café no Amazonas pode ser três vezes maior, com a adoção de tecnologias da Embrapa.

    Os resultados da Unidade de Referência Tecnológica (URT) de café na cidade de Silves-AM, a 267 Km de Manaus, mostram que o cultivo de café clonado, com a cultivar BRS Ouro Preto e as técnicas de manejo recomendadas, podem ser uma ótima oportunidade para produção e geração de renda para agricultores na região. 

    Produtividade regional

    De acordo com o pesquisador da Embrapa Rondônia, Marcelo Curitiba, cita que na primeira safra, no ano de 2017, foram colhidas 60.4 sacas de café por hectare
    De acordo com o pesquisador da Embrapa Rondônia, Marcelo Curitiba, cita que na primeira safra, no ano de 2017, foram colhidas 60.4 sacas de café por hectare | Foto:

    A produtividade obtida na média das duas últimas safras em Silves é de 4,5 toneladas por hectare. O resultado é muito superior a média de produtividade no Amazonas.

    De acordo com o pesquisador da Embrapa Rondônia, Marcelo Curitiba, na primeira safra, no ano de 2017, foram colhidas 60.4 sacas de café por hectare. Em 2018, a colheita aumentou para 90.4 na mesma área.  A produtividade média de duas safras (2017 e 2018), ficou em 75.4 sacas de café por hectare. Nesta terceira safra, em 2019, os dados baseados no início da colheita indicam a estimativa de superar 100 sacas por hectare, informou o pesquisador. 

    “Durante esses quatro anos, tivemos todas as práticas relacionadas ao manejo principalmente plantio em cova bem feita, com adubação, práticas de manejo de formação como poda, desbrota, além de controle de pragas e doenças, adubação de crescimento e adubação de produção”, cita Marcelo.

    O grande diferencial  dessa lavoura, é que além de material de qualidade genética, ela também foi bem manejada e isso lhe deu rendimento promissor.

    Cultura pode aproveitar áreas desmatadas

    O pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Edson Barcelos, que também atua em projetos de pesquisa para cafeicultura no Amazonas, destaca que o café é uma cultura muito apropriada para a agricultura familiar. Existe potencial de mercado, agricultores podem aproveitar áreas já desmatadas existentes no estado, para produzir e gerar renda.

    Um exemplo dado pelo pesquisador Barcelos, é que “uma família cultivando cinco hectares de café, se produzir 50 sacas por hectare, serão 250 sacas, que ao preço de mercado hoje em R$ 300 rende R$ 70 mil de receita bruta por família/ano, com apenas cinco hectares. Isso é muito mais que todas as outras culturas que temos a disposição do nosso agricultor hoje aqui na região”, cita.

    Mercado na região

    O gerente industrial da empresa Três Corações, em Manaus, José Ailton Lopes, confirmou que há mercado para compra de café produzido no Amazonas. Lopes informou que atualmente a fábrica está torrando 6 mil sacas de café por mês e tem um potencial de 50% a mais que esse volume, para atender o mercado de Amazonas e Roraima com grande potencial para expandir. Porém, atualmente a fábrica em Manaus compra o café conilon de Rondônia, pois o Amazonas ainda não tem volume de produção. O gerente disse que é importante os produtores seguirem as recomendações técnicas para produzir, pois a empresa pode pagar um pouco mais para obter um café com  qualidade especial. Lopes disse que conheceu amostra do café produzido na URT de Silves e é um café de ótima qualidade. “Nós temos interesse sim de comprar cem por cento dessa produção”, afirmou.

    Veja o vídeo produzido pela Embrapa sobre a cultura do café na região | Autor: Embrapa

    * Edição Web: Gláucia Chair 

    Leia mais:

    Pesquisa ajuda indígenas de Rondônia a produzir café com qualidade

    Café: opções versáteis em Manaus para a mais brasileira das bebidas

    Vai um cafezinho? Saiba mais sobre a bebida no Dia Nacional do Café






    Comentários