Fonte: OpenWeather

    Espera


    Investidores com R$ 1,3 bi para o PIM, à espera da reunião do CAS

    Somados os 39 projetos industriais, eles preveem a geração de 7.131 empregos a partir do terceiro ano de produção

    Pauta traz 39 projetos, sendo a maioria de ampliação, atualização ou diversificação | Foto: ARQUIVO EM TEMPO

    Manaus - O total de R$ 1.319.573.322 bilhão. Esse é o montante previsto em investimentos no Polo Industrial de Manaus (PIM), conforme a pauta da 287ª Reunião Ordinária do Conselho de Administração da Suframa (CAS), publicada nesta segunda-feira (15). A Panasonic do Brasil e a Crown Embalagens Metálicas da Amazônia aparecem como as maiores investidoras somando R$ 628,7 milhões.

    Depois de diversos cancelamentos, a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) confirma com a publicação da pauta a realização da reunião para a manhã do dia 25 de julho, na sede da autarquia. No total, serão 39 projetos industriais e de serviços, sendo 11 de implantação e 28 de ampliação, atualização ou diversificação. Somados, os projetos preveem 7.131 empregos a partir do terceiro ano de produção.

    Na ZFM desde 1981, a Panasonic apresenta nesta pauta projeto industrial de ampliação para produção de autorrádio. Para realização, a fábrica prevê investimento fixo de R$ 239,3 milhões e a contratação de 1.055 trabalhadores, a maior oferta de empregos apresentada na pauta. Hoje, a empresa produz eletroeletrônicos de áudio e vídeo e fornece componentes para outras indústrias brasileiras.

    Outro expressivo investimento anunciado foi o da Crown Embalagens Metálicas da Amazônia, que atua no PIM há pouco mais de 10 anos. No projeto, a fábrica traz projeto industrial de atualização para produção de tampa para latas de alumínio ou aço para acondicionamento de líquidos potáveis. Dos 39 projetos, esse é o com maior valor de investimento: R$ 389.373 milhões. Em termos de empregos, a Crown prevê com o projeto de atualização a criação de 270 postos diretos e indiretos.

    Implantação

    Entre os projetos de implantação têm destaque, pelos maiores valores de investimentos no PIM, o das empresas Cromus Indústria e Embalagens da Amazônia e Best Notebooks Indústria e Comércio de Equipamentos de Informática, que irão produzir, respectivamente, chapa, folha, tira, fita, película de plástico e artigo de matéria plástica; e microcomputador portátil. Juntas, essas novas indústrias ao se instalarem na ZFM irão investir R$ 29,074 milhões.

    Das empresas que apresentaram projeto de instalação no PIM, aparecem como as maiores empregadoras a Cromus e a Yellow Indústria e Comércio de Equipamentos de Mobilidade. A Yellow, que irá produzir brinquedo eletromecânico e bicicleta elétrica, prevê a geração de 206 novos postos de trabalho, enquanto que a Cromus de 106 empregos.

    Imbróglio

    Com a última reunião realizada em dezembro do ano passado, a Suframa vinha sucessivamente adiando as deliberações do CAS. Inicialmente, a autarquia alegava tentar conciliar a agenda do presidente Jair Bolsonaro com o encontro. Mas, após diversos adiamentos, a Superintendência alterou o discurso e apresentou como motivo a publicação do decreto nomeia os novos conselheiros do CAS.

    A norma responsável por travar há quase sete meses os investimentos na ZFM foi publicada no último dia 11 de julho no Diário Oficial da União (DOU) e trouxe o ministro da Economia, Paulo Guedes – tido como um dos atuais inimigos do modelo – na presidência do CAS.

    Leia mais: 

    O que AM precisa para se tornar o estado mais inovador do Brasil?

    37 vagas de emprego disponíveis nesta quinta-feira (16) em Manaus

    Procurando emprego? Veja as 176 vagas disponíveis no Setrab

    Comentários