Fonte: OpenWeather

    FGTS


    Saque do FGTS injetará R$ 40 bi na economia, afirma governo

    A liberação dos saques de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) será limitado a R$ 500.

    A estimativa do governo é que a medida injete R$ 40 bilhões na economia, sendo R$ 30 bilhões neste ano, R$ 10 bilhões em 2020 e mais R$ 2 bilhões da liberação do PIS-Pasep.
    A estimativa do governo é que a medida injete R$ 40 bilhões na economia, sendo R$ 30 bilhões neste ano, R$ 10 bilhões em 2020 e mais R$ 2 bilhões da liberação do PIS-Pasep. | Foto: Agência Brasil

    A liberação dos saques de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) será limitado a R$ 500. O anúncio oficial foi feito, nesta quarta-feira (24), pelo governo federal. Para especialista econômico, a liberação dos valores irá movimentar a economia e estimular a produção e o consumo.

    “Isso vai fazer com a economia gire porque apesar de ser apenas R$ 500 por pessoa, o volume total é muito grande, vai fazer com que a economia tenha injeção de capital e volte a girar, fazendo com os setores produtivos voltem a produzir, tenha esse dinheiro no consumo e, com isso, tenha geração de emprego, avaliar individualmente R$ 500 parece muito pouco, mas, no total, faz uma diferença enorme esse volume”, afirmou o economista Ailson Rezende.

    A liberação dos saques de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) será limitado a R$ 500
    A liberação dos saques de contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) será limitado a R$ 500 | Foto: Agência Brasil

    A estimativa do governo é que a medida injete R$ 40 bilhões na economia, sendo R$ 30 bilhões neste ano, R$ 10 bilhões em 2020 e mais R$ 2 bilhões da liberação do PIS-Pasep. O período de saque autorizado do FGTS será de setembro deste ano a março de 2020.

    “Será uma coisa opcional. O trabalhador tem toda a liberdade de usar esse recurso ou não”, disse o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em entrevista à Rádio Gaúcha antes do anúncio oficial feito pelo presidente Jair Bolsonaro e ministro da Economia, Paulo Guedes, no Palácio do Planalto.

    Guedes adiantou que o governo pretende permitir um saque anual em caráter definitivo. “O governo passado soltou só inativas. Nós vamos soltar ativas e inativas. Eles soltaram uma vez só. Nós vamos soltar para sempre. Todo ano vai ter”, disse.

    Segundo Lorenzoni, o valor da retirada será calculado por uma regra de proporcionalidade. O trabalhador que tiver menos recursos na conta poderá realizar um saque superior. Onyx confirmou que das 260 milhões de contas do FGTS, mais de 80% ou 211 milhões, possuem saldo de apenas R$ 500. A medida, segundo Onyx, deve beneficiar até 96 milhões de trabalhadores.

    Comentários